terça-feira, setembro 27, 2011

4

Labirinto - Poema

Autor: Hermes C. Fernandes em 20/05/2006
Num labirinto
Nas entranhas do meu ser
Assim é que me sinto,
Perdido em meu querer

Deus sabe que não minto
O que quero é viver
Mas me sinto em um labirinto
Sem saber o que fazer

Tudo que eu sinto
Ninguém pode compreender
No meu próprio instinto
Já não posso crer

Deram-me absinto
Recuso-me a beber
A este labirinto
Ei de sobreviver

O que me faz distinto
de todos de minha raça?
Para ser bem sucinto
Dependo de Sua graça

4 comentários:

  1. Jônatas Rocha Silva11:43 PM

    O preço não é maior do que a Graça.

    ResponderExcluir
  2. Adoro poemas rs.

    Concordo com o "eu" lírico do poema que para se achar apenas com a graça de Deus.

    Adoro poemas rs.

    Concordo com o "eu" lírico do poema que para se achar apenas com a graça de Deus.

    ResponderExcluir
  3. Anônimo11:37 AM

    O labirinto é a metáfora de uma existência dualista.
    Quando pegamos uma Via ‘certos’ de que alçaremos o fim desejado e deparamos com um fundo cego obstruindo esperanças. Retornar ao ponto de partida não é sempre o melhor caminho. Saltar sobre o fundo cego e alçar a caminhada com a Fé de um jogador é o exercício do caminhante que acredita na visão da Labareda que ilumina a Fé perdida no fundo escuro do caminho.
    O labirinto que mapeia a nossa Alma é uma complexa cartografia sem Legenda.

    ResponderExcluir
  4. O labirinto é a metáfora de uma existência dualista.
    Quando pegamos uma Via ‘certos’ de que alçaremos o fim desejado e deparamos com um fundo cego obstruindo esperanças. Retornar ao ponto de partida não é sempre o melhor caminho. Saltar sobre o fundo cego e alçar a caminhada com a Fé de um jogador é o exercício do caminhante que acredita na visão da Labareda que ilumina a Fé perdida no fundo escuro do caminho.
    O labirinto que mapeia a nossa Alma é uma complexa cartografia sem Legenda.

    PAIXÃO, Edson.

    ResponderExcluir