sábado, setembro 24, 2011

22

Sexo, Deus & Katy Perry

katy-perry-máscara-hermes fernandes Esta semana deparei-me com uma edição da revista Rolling Stone trazendo na capa o mais novo sex symbol americano, a cantora Katy Perry. O que chamou minha atenção foi o título da matéria: Sex, God & Katy Perry. The Hard Road & Hot Times of a Fallen Angel (Sexo, Deus e Katy Perry. A difícil trajetória e os tempos quentes de um anjo caído).


A canção que a projetou no cenário mundial foi “I kissed a girl (and liked it)”, que traduzido é “Beijei uma garota (e gostei)”.

Meus filhos já haviam feito comentários sobre a tal cantora, referindo-se à música em questão. O que nem eu nem eles sabíamos era que Katy Perry é filha de um casal de pastores pentecostais conservadores, que lhe deu uma educação religiosa rígida. Antes de tornar-se famosa, atuou como cantora gospel e era conhecida pelo seu nome verdadeiro, Katy Hudson.  Gravou seu primeiro CD em 2001: Faith Won’t Fail (A fé não falhará).

De acordo com uma entrevista cedida por sua mãe Mary Hudson ao jornal inglês Daily Mail, o primeiro sucesso da filha “…promove o homossexualismo. Sua mensagem é vergonhosa e nojenta. Toda vez que escuto minha filha cantando no rádio, baixo a cabeça e oro por ela. Katy é nossa filha e nós a amamos, mas discordamos da maneira como está se comportando”.

Exibindo o nome “Jesus” tatuado no punho, Katy Perry segue sua promissora carreira, enquanto constrange seus pais. Esta semana lançou o vídeo de sua nova música “Teenage Dream” (sonho de adolescente), onde aparece semi-nua na cama de um motel com um namorado.

Apesar de sua postura libidinosa, a cantora tenta demonstrar que ainda se mantem fiel às suas raízes cristãs.
“Falar em línguas é tão normal para mim como ‘Passe o sal’… É um segredo, uma linguagem para a oração direta com Deus… Meu pai costuma falar em línguas, enquanto minha mãe interpreta. Esse é o dom deles…” - Rolling Stone, agosto de 2010.
Esta declaração nos oferece pistas sobre o tipo de espiritualidade vivida em seu lar durante sua infância e adolescência. É comum aqui nos EUA ver crentes pentecostais ou carismáticos falando em línguas durante o cotidiano. Falam enquanto comem, enquanto penteiam o cabelo, e até enquanto usam o banheiro. Acham que isso dá demonstração de fervor espiritual. Assim, trivializam o que deveria ser considerado excepcional. Surge, então, uma curiosidade: Será que ela falou em línguas depois de gravar o clip em que diz ter beijado uma garota e gostado? Que tipo de espiritualidade dualista é esta em que os carismas se sobrepõem ao caráter?

Na mesma entrevista cedida à Rolling Stone, Katy Perry diz:
“Quando pequena, eu não podia dizer que eu tinha sorte, porque minha mãe preferia que disséssemos ‘somos abençoados’. Ela também não achava que lucky (sortuda, em inglês) tinha um som parecido com a palavra Lúcifer… Eu não podia comer o cereal Lucky Charms (amuletos da sorte), mas acho que era por causa do açúcar. Creio que minha mãe mentiu para mim sobre isso.”- Rolling Stone, agosto de 2010.
Fica claro que Katy viveu numa espécie de redoma. Os pais tentaram protegê-la ao extremo. Não podia isso, nem aquilo, nem aquilo outro. Imagine não poder comer um sucrilho só porque se chama “amuletos da sorte”? Veja o que ela diz em outra entrevista:
“Minha criação religiosa foi comicamente rígida, proibiram até mesmo de termos em casa qualquer coisa cujo nome remetesse ao diabo. Em nossa casa, não podíamos nem mesmo chamar ovos apimentados pelo seu nome popular. Ao invés de deviled eggs (ovos do demônio), tínhamos de chamá-los de “ovos angelicais”. Nunca fomos autorizados a falar palavrão. Eu sempre tinha problemas quando dizia “que inferno”… Só podíamos escutar música gospel. Não admira que eu me rebelei.”- Celebrity Blend, 2009
Eis a possível razão porque Katy saiu de um extremo a outro. Talvez se seus pais a houvessem criado com um pouco mais de equilíbrio, de visão crítica das coisas em vez de meras proibições, de diálogo em vez de imposições, ela ainda estaria cantando louvores, ou mesmo que desenvolvesse uma carreira secular, não estaria encarnando valores tão ofensivos à moral cristã. Vale a pena conferir o que ela diz mais sobre isso:
“Fui criada numa casa com muita rigidez religiosa. Tudo o que podia ouvir eram [hinos religiosos conhecidos, como] ‘Oh Happy Day,’ ‘His Eye Is on the Sparrow’ e ‘Amazing Grace’. Então agora até o New Kids on the Block são novidades para mim. Eles tem músicas legais…” — MTV, 2008 
“Não podíamos ouvir música secular em casa, pois era considerada coisa do diabo… Se eu queria levar amigas para casa, minha mãe queria saber se elas eram cristãs… Meus pais são assim. Eles são loucos! Eles são malucos mesmo!” — revista Blender, 2004
Excesso de proteção! Não estou acusando seus pais por sua rebelião. Eles bem que tentaram mantê-la nos trilhos. Ela é totalmente responsável por seus atos, mesmo porque não é mais uma adolescente, mas uma mulher de 25 anos. Entretanto, como pais, devemos avaliar a maneira como educamos nossos filhos, para que mais tarde se mantenham fiéis aos valores e princípios que lhes passamos. Nosso dever é prepará-los para o mundo. Afinal de contas, não podemos mantê-los na barra da saia da mamãe para sempre.

Mesmo protagonizando cenas picantes em seus clipes musicais, Katy Perry revela sentir-se chateada pela irreverência que outras estrelas pop demonstram para com a fé cristã e sua falta de temor a Deus.
“Fico chateada quando vejo Russell [Brand, ator e seu noivo], usando o nome do Senhor em vão e Lady Gaga colocar um rosário na boca. Acho que quando você mistura sexo e espiritualidade no mesmo recipiente e sacode bem, algo ruim acontece. Sim, eu disse que beijei uma garota. Mas não disse que beijei uma garota enquanto transava com um crucifixo.” Rolling Stone, agosto de 2010
Penso que este foi o jeito que ela arrumou para se justificar. Apontando os erros alheios, ela parece safar-se de seus próprios erros, ou, no mínimo, atenuá-los. Será que ela pensa em voltar a “louvar ao Senhor” um dia? Será que em algum momento sua consciência lhe tira a tranquilidade, e na calada da noite, ela se entrega ao pranto e ao arrependimento?

Espero que alguém já tenha lhe falado sobre outras estrelas pop que abandoram sua fé e pagaram um preço muito alto por isso. Elvis Presley é o maior exemplo disso. Em sua vida privada, tinha o costume de reunir os amigos para cantar velhos hinos, sendo muitas vezes interrompido pelas lágrimas. Um exemplo mais recente é o da diva Whitney Houston, que depois de escapar da morte por diversas vezes por causa das drogas, lançou recentemente um novo álbum em que louva a Deus em uma de suas faixas, agradecendo por haver sido resgatada.

Britney Spears, a primeira desta leva de estrelas destinadas ao público teen, alcançou o estrelato enquanto gravava vídeos extremamentos sensuais e defendia ao mesmo tempo a manutenção da virgindade até o casamento. Pra quem não sabe, ela também teve criação cristã tradicional. Depois de um tempo posando de santa na vida privada e de insana na vida artística, estrambelhou de vez, chegando às raias da loucura. Temo que outros artistas como os Jonas Brother’s e Miley Cyrus tenham destino semelhantes. Ambos de famílias  cristãs conservadoras. Os irmãos Jonas parecem manter ainda certa conduta mais compatível com a criação que recebram. Mas Miley Cyrus dá sinais de que abandonou o estilo ingênuo adotado enquanto protagonizava o seriado “Hannah Motana”, aderindo precocemente à perfomance sexy que pode ser conferida no clip de sua música  “Can’t Tamed”.

Muitos dos maiores ícones da músca pop americana são egressos de igrejas cristãs. Elvis mesmo foi descoberto enquanto cantava em um culto ao ar livre. Particularmente, não vejo qualquer problema em um cristão desenvolver uma carreira musical secular. O problema é que os pais cristãos não estão preparando seus filhos para o mundo. Preferem mantê-los no gueto, na redoma. E quando descobrem o mundo, ficam encantados, entregando-se sem reservas.

Repare no Katy Perry diz sobre isso:
“Quando comecei a cantar música gospel, minha perspectiva das coisas era bem limitada e rígida. Tudo em minha vida estava muito ligado à igreja. Não sabia que existia um outro mundo além daquele. Por isso, quando saí de casa e vi tudo isso, pensei ‘Meu deus, caí no buraco do coelho branco e existe todo esse mundo de Alice no país das maravilhas aqui.’ ” — revista The Scotsman, 2009
É claro que o mundo não é essas mil maravilhas. Talvez Katy Perry ainda não tenha se dado conta disso. Um dia ela vai acordar e descobrir que tudo não passava de uma ilusão. Espero que haja tempo para voltar aos braços do Pai. Quem sabe ela use sua carreira musical secular para despertar os jovens para valores que estão muito acima da fama, do dinheiro e do sexo.

22 comentários:

  1. De fato, a religiosidade conservadora na criação não prepara pessoas para enfrentar o mundo de cabeça erguida, mas apenas cria pessoas alienadas que terão extremas dificuldades em inserir-se no mundo.

    Ótimo texto!

    Abraço!

    ResponderExcluir
  2. Entendo que a palavra de Deus nos ensina o equilíbrio. Tudo deve ser feito dentro de certos parâmetros. Ela condena a gula, a promiscuidade, a embriaguês, no entanto não é pecado comer, fazer sexo, nem vejo condenação em beber um copo de vinho. A educação de nossos filhos também não pode ser diferente. Precisa haver rigidez, mais sem extremismo.
    Em Cristo:
    Amarildo.

    ResponderExcluir
  3. Olá Hermes. paz.
    A honra é minha. O seu blog é bem rico em conteúdo, parabéns!!!

    Não sei se você lembra, mas nós já nos conhecemos. Lembra do Fórum PCC, orkut?

    Eu era aquele cara bem chato pra debater...calvinismo, soteriologia, escatologia. :-)

    Bom o encontrar por aqui!
    A paz de Cristo, meu irmão!

    ResponderExcluir
  4. dá até vontade de chorar.
    muiiito triste. ela acha q é cristã. mas tá indo e levando um monte pro inferno.
    ai ai..

    ResponderExcluir
  5. vontade de chorar dá, mas não porque ela pensa q eh cristã, na verdade isso me dá é esperança. Fico triste é em ver o ponto que ela chegou.
    A inibição de seus pais em muito contribuiu para tal, provavelmente eles preocuparam apenas no "ter que fazer" ou no "não pode fazer", quando a maior preocupação deveria ser o coração com o qual se faz ou deixa de fazer... Agora o que eles tem a fazer é isso o que estão fazendo mesmo, é orar....

    ResponderExcluir
  6. quanto ao que foi dito em relação ao orar em línguas, não concordei muito...
    Se ela entendeu uma coisa sobre o que é ser cristão foi isso.... A oração em línguas é uma graça dada pelo E.S., e ao que parece, não me lembro de ter nada escrito que para orar em línguas a pessoa deve ter um padrão definido... a unica regra que me lembro é ter recebido o E.S....
    Mesmo ela tendo desviado Ele ainda tá lá, incomodando, gritando e chorando por ela...

    O fato dela orar em linguas nada mais é que deixar que o espírito dela (q está intimamente ligado com o E.S.) ore.

    caso a discrepância de sua vida pecaminosa interferisse, agente ia tah tudo lascado!rsrs....
    pq diariamente estamos pecando, com a mente, mentirinhas, olhos, raiva, inveja, rancor, falta de fé e mais uma infinidade de coisas....

    e é isso...
    encerrando aki os comentarios, rs, gostei muito do blog, pretendo frequentar o máximo possivel... abraço! Deus te abençoe!

    ResponderExcluir
  7. Os primeiros videos da Britney não eram tão sensuais assim.. se vc ver bem ela nos bastidores na época, dava pra ver uma garota dividida entre o mundo e os valores que aprendeu..
    A mãe dela é cristã.. no livro dela, ela conta que errou já no começo da Britney em não ter tido pulso firme, chegando ao ponto de não poder mais ter o controle, afinal já era adulta.. E ela é cercada por pessoas cristãs.. No livro, ela diz que a mulher que cuida dos bebês da Britney, é uma mulher que ama ao Senhor.. e conta também como foi após toda aquela época insana..

    Bom, estou escrevendo isso porque você citou todas essas celebridades que sairam da igreja.. fico triste em ver tudo isso... Dá pra ver que Katy tem temor pelo Senhor, mas que está deslumbrada com o mundo.
    Miley Cyrus é outra tb..
    Não acho errado estar no mundo pop.. Carrie Underwood, por exemplo..
    A propria Whitney, na entrevista com a Oprah, ao ser perguntada sobre o que mais amava: "O Senhor.. fico maravilhada com sua misericórdia a cada manhã"

    ResponderExcluir
  8. Gostei e vou usar como material de estudo sobre educação infantil.

    Obrigada.

    ResponderExcluir
  9. Anônimo3:05 PM

    Gostei muito do texto, concordo plenamente com tudo. Meu pai é pastor e minha mãe ministra de musica, eles nunca foram contra música secular, porém meu pai sempre diz que mesmo quando a música é inglês, deve se ter cuidado com a letra.
    Eu ouço musica secular, mas ultimamente tenho me interessado muito pela gospel. Acho que isso é devido a educação dos meus pais, eles não forçaram a barra, mas sempre escutam música gospel, acabei tomando um apreço muito grande, e hoje tomo cuidado com as letras das músicas em ingles.

    Em relação ao Espirito Santo e Katy Perry, eu acho uma pura mentira que ela fala em linguas. Ela nem em comunhão com o Espirito Santo está, começa por aí. Em uma música ela canta "Eu quero ver seu galo", acha mesmo que o Espirito Santo está se revelando a ela? Ela está cega pelo Diabo.
    E quanto a Britney Spears, acho que ela não tem temor ao Senhor não, é só ler a letra da música Toxic "Eu dou um gole no copo do demônio, Pouco a pouco está me dominando"

    ResponderExcluir
  10. Ellyezer3:26 PM

    Parabéns pelo excelente texto. Eu acho que não apenas os pais tem culpa e tabambém a igreja que preferem ficar discutindo teologias mediocres que não levam ninguém a lugar nenhum ao invés de ensinar a adolescentes, jovens e crianças a serem o sal da terra e luz para o mundo.

    ResponderExcluir
  11. Anônimo5:21 PM

    O encanto que o Mundo apresenta aos egressos das igrejas é poderoso diante da crise de identidade que o egresso experimenta na Arena de surpresas picantes e fugazes para a “perícia” encantada do adolescente.
    A criança que nasce na Igreja deve receber orientação de pessoas experimentadas no 'Chão' do Mundo. Muitos pais de crianças e adolescentes das Igrejas conseguiram chegar à idade de serem Pais apenas com o conhecimento hermético adquirido no Átrio da Congregação. Humanamente falando esta natureza de conhecimento é insuficiente para orientar uma criança futuro adolescente a deparar com a fantasia e com o encanto precário que o Mundo oferece. A orientação oferecida para jovens e menores semanalmente nos serviços da Igreja deve ser ministrado com competência e espiritualidade assistida pelos pais ou tutores que devem exercitar, sempre que oportuno, a pedagogia devida.
    A sexualidade não deve ser amordaçada nem reprimida. A Alma deve ser cuidadosamente orientada com a profundidade necessária, amor e apontamentos explícitos condizentes com a idade da emoção.

    ResponderExcluir
  12. Filipe7:26 PM

    A Perry esqueceu que a fama passa...Lamento por ela e por todos os outros que acham válido largar a Cristo por fama num mundo passageiro.
    Come back to your first love,Perry.




    @WhiteSlug

    ResponderExcluir
  13. Anônimo10:26 PM

    O encanto que o Mundo apresenta aos egressos das igrejas é poderoso diante da crise de identidade que o egresso experimenta na Arena de surpresas picantes e fugazes para a “perícia” encantada do adolescente.
    A criança que nasce na Igreja deve receber orientação de pessoas experimentadas no 'Chão' do Mundo. Muitos pais de crianças e adolescentes das Igrejas conseguiram chegar à idade de serem Pais apenas com o conhecimento hermético adquirido no Átrio da Congregação. Humanamente falando esta natureza de conhecimento é insuficiente para orientar uma criança futuro adolescente a deparar com a fantasia e com o encanto precário que o Mundo oferece. A orientação oferecida para jovens e menores semanalmente nos serviços da Igreja deve ser ministrado com competência e espiritualidade assistida pelos pais ou tutores que devem exercitar, sempre que oportuno, a pedagogia devida.
    A sexualidade não deve ser amordaçada nem reprimida. A Alma deve ser cuidadosamente orientada com a profundidade necessária, amor e apontamentos explícitos condizentes com a idade da emoção.

    ResponderExcluir
  14. Há exemplos de cristãos que nem tiveram essa criação e agem igualmente, como o porto-riquenho Daddy Yankee, o cara é novo convertido, em suas letras ele diz para jogar gasolina na polícia e outras letras de perrear, como dizem os hispânicos, mas todo domingo ele vai para a igreja e ainda chama os outros artistas que conhece para irem ao culto, na igreja, com ele. Tem a Beyoncé e outros. Eu acho q eles encaram o trabalho como algo a parte, separada da vida espiritual, então pensam poder aceitar o lucro que vier profissionalmente e que a vida espiritual deles, eles levariam de forma pessoal, sem a interferência de empresários. Há de se considerar casos mais complexos, como o da Beyoncé, em que o empresário é o próprio pai, ele quem diz para ela mostrar pele pq isso vende.

    Mas também existem os bons exemplos, Hanson, Bono Vox e Jonas Brothers. São pessoas que não costumam estar envolvidas em escândalos, ou raramente estão envolvidas em escândalos, e, no caso dos Hansons, chegaram a trilhar uma carreira independente e consequentemente vender menos, para não serem obrigados a trair os próprios valores.

    Mas não julgo ninguém. Só Deus conhece o coração deles e os dilemas que são obrigados a enfrentar em casa e no trabalho. Como dizia Seu Madruga (Chaves): "Artistas vemos, costumes não sabemos". E a Bíblia diz também que aquele que vive sem lei será julgado sem lei e quando faz algo que é de acordo com a lei é por causa da lei gravada em seus corações e não para seguir regras. Nisso eles saem em vantagem!

    ResponderExcluir
  15. Missionário Luiz10:12 AM

    Hermes, paz de Jesus Cristo seja com o irmão e todos os seus familiares amém?
    no livro de Mateus 18.7 fala o seguinte:
    Ai do mundo, por causa dos escânda-los, porque é mister que venham escânda-los, mas ai daquele homem por quem o escânda-lo vem!
    Jesus Cristo adverte que aqueles que servem de instrumento para pôr coisas pecaminosos diante dos outros e, especialmente, diante de crianças, receberão a extrema condenação; veja em Mateus 18.2,5-7.
    - Pôr " Escânda-los " - tais como diversões mundanas, ensinamentos humanistas, filmes imorais, literatura pornográfica, drogas, bebidas alcoólicas, maus exemplos, falsas doutrinas e companheiros iníquos - no caminho dos outros, é ajuntar-se a Satanás.
    O grande tentador; veja em Mateus 4.1; Gêneses 3.1-6; João 8.44; Tiago 1.12.
    - O procedimento santo dos fiéis é romover da vida da nossa família, nosso lar, das igrejas físicas e da nossa própria pessoa, tudo que possa levar os outros as pessoas à tentação e ao pecado; veja em Mateus 18.7-9.
    Não brinque com o pecado, porque ele leva a morte espiritual e também a morte física!
    Principalmente: " NÃO BRINQUEM COM DEUS! ELE É FOGO CONSUMIDOR!

    ResponderExcluir
  16. Anônimo12:20 PM

    não disse que sexo é nojento

    ResponderExcluir
  17. Já havia lido algo sobre, inclusive os pais disseram que ela é a vergonha da família. Muita repressão dá nisso. Filhos rebeldes!

    ResponderExcluir
  18. Filhos rebeldes uma ova!!! Até eu me rebelaria com uns pais desse. Educação é uma coisa, lavagem cerebral é outra. Katy Perry, a biografia da nova rainha do pop foi um dos ultimos livros que li e realmente, os pais da Katy eram doentes, e não ela. Tudo em exagero, até mesmo a religião, é dose!

    ResponderExcluir
  19. Dentro em breve teremos notícia de um retorno - agora "esclarecido" - de Katy Perry ao Senhor, como uma filha pródiga que retorna à casa do pai. Valerá a pena aguardar para ver.

    ResponderExcluir
  20. Vou fazer um comentário Simples:
    PROVÉRBIOS 05:05 Os pés da prostituta, firmam-se no inferno (Sheol).

    abraço

    ResponderExcluir
  21. Desculpe, nem sei nada sobre essa Katy Perry. Só um verso da Palavra

    ResponderExcluir
  22. O encanto que o Mundo apresenta aos egressos das igrejas é poderoso diante da crise de identidade que o egresso experimenta na Arena de surpresas picantes e fugazes para a “perícia” encantada do adolescente.
    A criança que nasce na Igreja deve receber orientação de pessoas experimentadas no 'Chão' do Mundo. Muitos pais de crianças e adolescentes das Igrejas conseguiram chegar à idade de serem Pais apenas com o conhecimento hermético adquirido no Átrio da Congregação. Humanamente falando esta natureza de conhecimento é insuficiente para orientar uma criança futuro adolescente a deparar com a fantasia e com o encanto precário que o Mundo oferece. A orientação oferecida para jovens e menores semanalmente nos serviços da Igreja deve ser ministrado com competência e espiritualidade assistida pelos pais ou tutores que devem exercitar, sempre que oportuno, a pedagogia devida.
    A sexualidade não deve ser amordaçada nem reprimida. A Alma deve ser cuidadosamente orientada com a profundidade necessária, amor e apontamentos explícitos condizentes com a idade da emoção.

    PAIXÃO, Edson.

    ResponderExcluir