quarta-feira, maio 18, 2016

134

Por que cristãos demonizam Karl Marx?




"Jesus faz milagres e dá. O homem não faz milagres, e vende."


O pastor Ed René Kivitz se atreveu a publicar em seu perfil no facebook  a seguinte citação de Karl Marx:
"Chegou, enfim, um tempo em que tudo o que os homens haviam considerado inalienável se tornou objeto de troca, de tráfico e se pode vender. O tempo em que as próprias coisas que até então eram coparticipadas, mas jamais trocadas; dadas, mas jamais vendidas; adquiridas, mas jamais compradas - virtude, amor, opinião, ciência, consciência, etc. Agora de tudo isso se faz comércio. Irrompeu o tempo da corrupção universal ou, para falar em termos de economia política, inaugurou-se o tempo em que qualquer coisa, moral ou física, uma vez tornada valor venal, é levada ao mercado para receber seu preço."
Pergunto: alguma inverdade no trecho acima? Algo que contradiga nossa fé e prática cristãs? Quando li as reações nos comentários, fiquei a imaginar se as mesmas seriam diferentes se em vez de atribuir o texto a Marx, ele o atribuísse a algum autor cristão incensado entre os evangélicos, em especial, os reformados.

Propus, então, fazer um teste em  meu próprio perfil.

Publiquei várias frases de Marx, atribuindo-as a João Calvino, Martinho Lutero, Charles Spurgeon, John Stott e Agostinho. Um bocado de gente curtiu e compartilhou, sem imaginar seu verdadeiro autor. Publiquei também frases destes mesmos autores, porém, atribuindo-as a Marx. Obviamente, muitos também curtiram. Entretanto, as críticas vieram e foram duras. 

Por exemplo: "A família é a fonte da prosperidade e da desgraça dos povos." Esta frase é do reformador Martinho Lutero. Mas como estava atribuída a Karl Marx, houve quem comentasse: "Família e a base de Deus entre os que ele criou, homens e mulheres. Karl Maxx era um apócrifo imbecil. Era morreu, e com ele suas idéias idiotas" (sic).

Outra frase que atribuí ao sociólogo alemão é de autoria do príncipe dos pregadores C.H. Spurgeon: "Não creia em metade do que você ouve; não repita metade do que você crer; quando ouvir uma notícia negativa divida-a por dois, depois por quatro, e não diga nada acerca do restante dela." Lindíssima frase, não? Mas como estava assinada por Marx, gerou foi confusão. Num dos comentários, lia-se: "Vdd...a vida dele mostra quem ele foi...Marx teve apenas um trabalho fixo e, embora fosse estudioso... Por esse amor, ele aceitou a morte de quatro dos sete filhos, duas filhas se suicidaram, e que dependeu financeiramente da mulher durante os 16 anos que se dedicou a escrever "O Capital". UM EXEMPLO, SÓ QUE NÃO" (sic). Outro comentário dizia: "Sujeito ordinário, preguiçoso e imoral, que não conseguiu sequer colocar a própria vida em ordem. É este pilantra, em muitos aspectos similar ao Lulla, o criador do sistema que tem a pretensão de trazer a solução para o mundo? Pois é. Cada um tem a referência que merece" (sic).

O que tudo isso tem a ver com as frases? O fato de ter tido uma biografia desastrosa, como teve tantos outros, inclusive cristãos, porventura desabona qualquer lampejo de genialidade que tenha tido? O fato de Sócrates ter se suicidado desfaz toda a sua filosofia? Fico a me perguntar se a maioria de seus críticos já reservou um tempinho para ler uma linha de "O Capital". Provavelmente, não. Estavam ocupados assistindo aos vídeos do grande mestre astrólogo e filósofo Olavo de Carvalho, ou lendo seu maravilhoso livro "O mínimo que você precisa saber para não ser um idiota." (Antes que me perguntem se já o li, minha resposta é não. Não me apetece. As coisas que assisti em seus vídeos foram suficientes para que formasse um juízo acerca de suas ideias).

Até quando comeremos com as mãos dos outros? Quem recebeu procuração para pensar por nós? Conheço calvinistas que nunca leram uma linha das Institutas ou do Sínodo de Dort. Citam Agostinho sem jamais terem lido "Confissões" ou "A Cidade de Deus."  Detonam Darwin sem terem lido nem o prefácio de "A origem das espécies". Criticam acidamente Simone De Beauvior sem nunca terem lido "O segundo sexo" (mesmo porque, a grossura do volume é assustadora! rs). Caem de pau no coitado do Paulo Freire (celebrado no mundo inteiro!), mas nunca leram "Pedagogia do Oprimido". Desdenham de Foucault sem terem lido "Vigiar e Punir" ou "A Arqueologia do Saber".

Não estou dizendo com isso que todos temos a obrigação de ler tudo isso. Mas se formos honestos, ao menos, procuraremos nos inteirar de algumas ideias antes de sair por aí combatendo-as com frases prontas que ouvimos de terceiros.

Alguns dos que criticaram as frases falsamente atribuídas a Marx, curtiram e até compartilharam frases de sua autoria, porém, falsamente atribuídas a alguns dos grandes ícones cristãos. Abaixo, algumas delas:

"De cada um, de acordo com as suas habilidades, a cada um, de acordo com as suas necessidades." (atribuí a John Stott). 
"Se a aparência e a essência das coisas coincidissem, a ciência seria desnecessária." (atribuí a Agostinho). 
"Se uma pessoa ama sem inspirar amor, isto é, se não é capaz, ao manifestar-se uma pessoa amável, de tornar-se amada, então o amor dela é impotente e uma desgraça." (atribuí a Spurgeon).

"Os olhos que só enxergam a mentira quando percebem a verdade, cegam." (atribuí a Lutero). 
"Quem usa o nome da justiça para defender seus erros é capaz de muito mais para desvirtuar um direito." (atribuí a Calvino...rs).

Espero que nenhum dos meus amigos que curtiram qualquer das citações se sinta aborrecido comigo. Foi, digamos, um experimento... E que demonstrou que, de fato, ainda há muito preconceito entre nós, inclusive, de cunho intelectual.

Vira e mexe, sou chamado de Marxista, principalmente, quando saio em defesa das minorias, ou quando denuncio injustiças, e mais recentemente, ao posicionar-me contra o impeachment. O que me consola é saber que eu, Kivitz, Ariovaldo e tantos outros, não somos os únicos a lidar com a mentalidade tacanha que insiste em prevalecer em alguns setores cristãos. Dom Helder Câmara dizia que quando ele alimentava os pobres, chamavam-no de santo, mas ao questionar a razão da pobreza, chamaram-no de comunista. Fazer o quê? Ossos do ofício...rs

É mais fácil rotular do que debater ideias. Rotulando, encerra-se a discussão. Posso garantir, mesmo não sendo marxista, que quem ler Marx desprovido de preconceito, poderá sentir-se constrangido ao encontrar em seus escritos mais de cristianismo do que em muitos escritores cristãos. O mesmo se dá com Nietzsche, Sartre, Voltaire, Espinoza, Freud, Jung e tantos outros. Experimente ler também Rubem Alves, Leonardo Boff, Frei Betto e Teresa d'Ávila com a mesma disposição com que lê Agostinho (se é que lê o bispo de Hipona). Aproveite e leia o rabino Nilton Bonder (ele me surpreendeu! principalmente com "A alma imoral"). Vai por mim... deixe de lado a teologia enlatada "made in USA" e varie um pouco seu cardápio de leitura. Garanto que fará bem à sua alma. 

A propósito, sabe de quem é a frase postada no cabeçalho do meu post? Dele mesmo. Do miserável do Marx! Alguém ousa discordar do velho barbudo? Aliás, Karl Marx faz parte do dileto grupo dos cinco judeus que mudaram o mundo, ao lado de Jesus, Moisés, Einstein e Freud. Dorme com um barulho desses...rs

E responde à pergunta do post: talvez demonizemos tanto Marx porque suas teorias acabam revelando que não somos tão cristãos como deveríamos ser. Como disse um tal Martin Luther King, "só existe o comunismo porque não somos suficientemente cristãos." Podíamos dormir sem essa, não?

134 comentários:

  1. Arrasou!!!!!! Queria que o mundo inteiro lesse seu artigo. Brilhante e definitivo !!!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Espantoso experimento! Maravilhoso artigo . Muito Obrigado por promover a Verdade, o Amor e a Justiça através de elucidações como essas 💜

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Excelente! Num momento tão triste, qdo vemos bancadas religiosas promovendo o preconceito, dá esperança ver cristãos que se pautam no amor e na empatia.

      Excluir
    2. Parabéns pelo artigo sobre a demonização de Marx por parte da rasura intelectual e senso comum manipulado de muitos cristãos. O senhor foi muito feliz na manobra realizada para capturar a confusão e preconceitos desse público com respeito ao grande teórico do socialismo científico. Outrossim, caro bispo Hermes, solicito sua licença para publicar esse seu texto em blog, com os devidos créditos, claro. http://cartasprofeticas.org Abraços

      Excluir
    3. Sinta-se à vontade, Dom Orvandil. A propósito, gostei muito do seu vídeo em que fala sobre Anita Garibaldi.

      Excluir
    4. Muito obrigado pela licença e pelo elogio. Vindos do senhor é uma bênção!

      Excluir
    5. Muito sério esse artigo,é pra pensar seriamente em sermos Cristãos de fato,e não meros críticos sem conhecimento de causa.

      Excluir
  3. Espantoso experimento! Maravilhoso artigo . Muito Obrigado por promover a Verdade, o Amor e a Justiça através de elucidações como essas 💜

    ResponderExcluir
  4. Hermes, assino junto!
    A tanto que discuto em meu nicho eexatamente isso, e assim sou taxado de ser esquerdista,petista, comunista, e outros rótulos....

    Parabéns!

    Eu também faço esse desafio as pessoas, de lerem o Marx, e d sairem dos comentários de rodapé de autores que nem sequer leram a sua obra!

    Um agrade abraço!

    ResponderExcluir
  5. Eu tô completamente sem chão! Que texto sensacional!!

    ResponderExcluir
  6. Genial! Vou imprimir e colar na portas das igrejas rs. Fico sempre grato quando leio tanta lucidez surpreendente. Obrigado.

    ResponderExcluir
  7. Caifás profetizou que Jesus morreria. O importante não é o mensageiro e sim a mensagem. Se Marx falou a verdade o mérito não está nele, assim como o mérito não está em nenhum dos apóstolos ou dos mensageiros. No caso da Verdade o mérito é da própria Verdade. A questão do Karl Marx é que ele prega uma "verdade" que não tem realidade!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo9:21 PM

      Perfeito!

      Excluir
    2. Fantástico! Parabéns.

      Excluir
    3. Anônimo10:07 PM

      Você leu Marx para chegar a essa conclusão ou está apenas repetindo o que lhe disseram???

      Excluir
    4. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    5. Perfeito Eduardo!!!
      A VERDADE não tem dono, dependendo de quem ELA é proferida não deixa de ser A VERDADE.

      Se Marx Mentiu não deixou de ser Marx, mas se Marx "falou" uma frase verdadeira, prevaleceu A VERDADE.

      O problema é que Uns proferem A VERDADE pela VERDADE e outros proferem algumas verdades para que prevaleça a MENTIRA, que o caso de MARX e de mais alguns.

      Nenhum Cristão odeia Karl Marx, mas o verdadeiro cristão odeia a mentira.

      Excluir
    6. Espero que aquele que por acaso vier a lê estes comentários, que leia a todos para degustar do ponto e do contra-ponto para depois definir qual o mais saboroso.

      O autor deste Artigo precisa descobrir o infinito poder do CONTRÁRIOS para depois não passar por decepção.

      A VERDADE não tem dono, dependendo por quem quem ELA é proferida, não deixa de ser A VERDADE.

      Se Marx Mentiu não deixou de ser Marx, mas se Marx "falou" uma frase verdadeira, prevaleceu A VERDADE.

      O problema é que Uns proferem A VERDADE pela VERDADE e outros proferem algumas verdades para que prevaleça a MENTIRA, que é o caso de MARX e de mais alguns.

      Nenhum Cristão odeia Karl Marx, mas o verdadeiro cristão odeia a mentira.

      Excluir
    7. Setas para a mentira: "O que é a verdade?"(João 18:38), perguntou Pilatos a Cristo. E este calado estava, calado ficou. Devias aprender com teu mestre e ser mais humilde. Afirmar que a "verdade não tem dono é um truísmo". E sobre Marx mentir: faltaram as provas e referências para ancorarem tal afirmação tão peremptória. Das duas uma: ou nunca leste nada dele ou então se leu não entendeu bulhufas.As mentiras dos "verdadeiros" cristãos ficam para outra oportunidade.

      Excluir
    8. Excelente! Assim também pessoas falam de pessoas que sequer conhecem, com a autoridade de quem dorme com elas todas as noites, baseadas em notícias de noticiários, muitas vezes falsas...

      Excluir
  8. Muito bom bispo! Parabéns!

    ResponderExcluir
  9. Anônimo8:10 AM

    Parabéns pelo texto e pela iniciativa. Se houvesse mais pessoas a exarar publicamente tal reflexão, poderíamos aventar a possibilidade de um mundo menos desigual no futuro. Penso que o caminho até Cristo é entender o verdadeiro Cristo, e não os rótulos diários que lhe impingiram certos "cristãos". Parabéns.

    ResponderExcluir
  10. Nossa! Fantástico! Compartilhando

    ResponderExcluir
  11. Muito bom! O preconceito cega.

    ResponderExcluir
  12. Oxalá se os preguiçosos tirassem 10 minutos pra lerem esse texto elucidativo!!!

    ResponderExcluir
  13. Os reformados ortodoxos xiitas power ranger piram.....

    ResponderExcluir
  14. Estrondosooooo ! Desintoxicação Cristã Alienada -- Grato

    ResponderExcluir
  15. Muito bom, por isso os senhor sempre teve meu respeito e admiração desde o primeiro dia em que o conheci. Ser cristão é estar ao lado dos excluidos, e viver sem preconceitos. Um abraço e que Deus abençoe sua obra.

    ResponderExcluir
  16. Valeu Hermes! Tenho aprendido muito com os "diferentes".

    ResponderExcluir
  17. A frase é boa! Mostra um desejo de que as pessoas não negociem suas virtudes.
    Agora vamos falar sobre a solução que Karl Marx encontrou pra isso?
    Privar todos de suas liberdades pelo "bem coletivo" não parece razoável.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo9:22 PM

      o/

      Excluir
    2. Isso não é invenção de Marx. A liberdade nunca é absoluta, pois sua liberdade termina onde começa a liberdade do outro. Viver em sociedade significa abdicar da liberdade em prol da sobrevivência e da segurança.

      Porém não é apenas isso, eu acho que vocês tem uma concepção irresponsável de liberdade que não é compartilhada por nenhum filósofo de respeito. A liberdade verdadeira não está no indivíduo fazendo tudo que bem quiser, mas sim, a verdadeira liberdade só existe quando o indivíduo não cede a pressões que o impeçam de desenvolver plenamente suas capacidades e de atender plenamente suas necessidades.

      Excluir
    3. Levando em consideração sua própria definição "A liberdade verdadeira não está no indivíduo fazendo tudo que bem quiser, mas sim, a verdadeira liberdade só existe quando o indivíduo não cede a pressões que o impeçam de desenvolver plenamente suas capacidades e de atender plenamente suas necessidades."

      Essa liberdade não existe em nenhum pais de cunho Marxista Venezuela, China, Coreia do Norte não atendem as necessidades e Cuba não permite o desenvilvimento das capacidade e nem necessidades a menos que vc tenha um bom contato com a familia real kkkk

      Excluir
  18. Só esqueceu de dizer que onde chegou o marxismo houve tentativa de destruir o cristianismo. O marxismo é anticristão na sua essência. Dizer que Marx foi demonizado apenas porque ele tem boas citações é no minimo raso, qualquer pessoa, por pior que seja, pode dizer coisas corretas. Até o relógio quebrado acerta a hora duas vezes por dia.
    Gostaria que alguém tentasse explicar que Marx foi demonizado para as centenas de milhares de cristãos que morreram perseguidos por motivo de sua fé na Russia, na China, na Albânia e na Romênia. Tenta explicar isso para pessoas como Richard Wurmbrand ou Yun que essa ideologia anticristã e assassina é compatível com a nossa fé.
    Já que vamos citar Marx, que tal essa frase dele: "O comunismo quer abolir estas verdades eternas, quer abolir a religião e a moral..."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo9:23 PM

      Ufa! Alguém ousou falar...

      Excluir
    2. Boa colocação Pedro.

      Excluir
    3. Bem, o que estamos esperando para demonizar Agostinho, então, já que o catolicismo que ele defendia tem tanto sangue nas mãos? Aliás, vamos demonizar a todos os pensadores cristãos, porque, infelizmente, pessoal, sou cristã, mas também sou historiadora e tenho consciência de que o cristianismo foi a ideologia que mais matou pessoas em toda a história do mundo. É triste ter que observar isso. Mas é a verdade. Nós precisamos de auto-crítica também.

      O cristianismo de muita gente é anti-cristão, se formos levar a sério os ensinamentos de Jesus. Quantos e quantos países cristãos não perseguiram e ainda perseguem pessoas de outras religiões? Vamos considerar o que virou a Europa após a reforma protestante... Irmãos matando irmãos.

      Isso desabona o cristianismo? Desabona os pensadores cristãos? Me desabona como cristã?

      Por que usamos dois pesos e duas medidas?

      *Em tempo: Marx não diz, é óbvio, mas foi imensamente influenciado pelo socialismo cristão. A questão é que ele tenta criar uma teoria social laica, e aí para entendermos suas críticas à religião, precisamos considerar qual religião ele critica, e porque. Nesse caso, acho de extrema importância separar religião (mais institucional) de fé. Mas a história é longa. Quis apenas trazer algumas questões para que a gente perceba que as coisas não são assim tão simples, acho que é isso que o texto pretende mostrar.

      Excluir
    4. Muito bom Elis. Um contra argumento importante neste debate. É assim que aprofundamos o tema e respeitamos o que pensa diferente. Parabéns ao Pedro também. Obrigado

      Excluir
    5. parabéns disse tudo Pedro Lins

      Excluir
    6. Falou merda. O marxismo não é "anticristão", o marxismo se opõe ao metaficismo em si, pois sua filosofia emana do materialismo dialético. O marxismo não preconiza a perseguição das religiões, e não chegou apenas à Rússia, Albânia e Romênia, mas também aos Estados Unidos, à Suécia, ao Brasil e a todo lugar. Marx é um dos filósofos mais influentes da história. Deixa de ser macartista, cara.

      Excluir
    7. Muito bem colocado Elis Falasqui! A Igreja também precisa estudar mais História e pensar com criticidade! É preciso pensar bem tanto quanto ao Marx quanto a qualquer autor cristão

      Excluir
    8. Anônimo3:02 AM

      Luis, pois é, Marx deve ter falado essas bostas enquanto estava cagando, ai inventou o essa porcaria de ideologia:

      "O Estado pode e deve seguir em frente até à abolição da religião, até à aniquilação da religião."
      MARX, KARL HEINRICH. Zur Judenfrage (Sobre a Questão Judia)(Agosto – Dezembro de 1843), in : Marx und Engels Werk (Obra de Marx e Engels), Berlim : Dietz, Vol. 1, pp. 357, 367 e s.

      “A luta contra a religião implica a luta contra o mundo do qual a religião é o aroma espiritual”.
      MARX, KARL HEINRICH, “Der Kampf gegen die Religion ist also mittelbar der Kampf gegen jene Welt, deren geistigen Aroma die Religion est”. cf. G. M. M. Cottier, op. cit. p.162.

      “Mais o homem coloca realidade em Deus e tanto menos resta de si mesmo”.
      MARX, KARL HEINRICH, “Je mehr der Mensch Gott setzt, je weniger behalt er in sich”. cf. G. M. M. Cottier, ibidem.p.159.

      “O comunismo começa onde começa o ateísmo”
      MARX, Karl. Terceiro Manuscrito econômico e filosófico, XXXIX , V

      “A lei, a moral, a religião são preconceitos burgueses, atrás dos quais se ocultam outros tantos interesses burgueses.”
      MARX, Karl. Manifesto comunista, p. 36

      “O comunismo, porém, abole as verdades eternas, abole a religião e a moral”
      MARX, Karl. Manifesto comunista. p. 44

      Excluir
    9. Quem dera o comunismo conseguisse abolir a religião e a moral. Afinal, Cristo não é a religião e Deus é amoral.

      Excluir
    10. Quase concordei com vc faltou um espaço kkkk
      Deus é a moral

      Excluir
    11. Que verdade Pedro Lins? As guerras santas não estão no seu vernáculo? os exércitos Papais, o cristianismo das dos Calvinistas e Luteranos? preciso tocar na "Santa" inquisição? Até mesmo dentro das inúmeras denominações cristãs no brasil e no mundo, nos vemos a diferença de entendimento desse tal Cristianismo como verdade, entendimentos diferentes, alguns ególatras, outros com a pretensão de verdades eternas. A religião é o ópio do povo, quando o povo não consegue enxergar fora desse fragmento de verdade, muitas são as verdades e as melhores mentiras se revestem delas.

      Excluir
  19. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK Que De(z)mais!!!!!!!

    ResponderExcluir
  20. Meu Deus, que maravilha de artigo! Posso dizer que há vida inteligente entre nós, cristãos! Ufa!

    ResponderExcluir
  21. Um sujeito que usa a expressão "ossos do oficio" querer desqualificar o professor Olavo de Carvalho chamando-o de mestre astrólogo... faça-me o favor né?! Ousou defender Marx com o intuito de convencer seus leitores de que há muita coisa em comum entre as obras desse senhor e o cristianismo, fazendo o uso de apenas algumas frases isoladas e se acha o espertalhão, por que você não falou que Marx foi um apóstata? que o mesmo confessou que tinha em si um desejo de vingar-se de Deus? não sei se o fez por ignorância ou por desonestidade mesmo... o que mais me assusta é cristão elogiando esse tipo de posicionamento... e só para concluir, a expressão correta é "ócios do oficio", de ociosidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marx, foi um apóstata? Desde quando ele foi cristão? Marx era judeu não praticante!

      Excluir
    2. Anônimo9:24 PM

      Cristãos abraçando doutrinas apóstatas em nome da igualdade, serão os primeiros a abrir os braços ao Anticristo...

      Excluir
    3. O que mais assuta é alguém chamando Olavo de Carvalho e professor!!

      Excluir
    4. Há controvérsias http://www.sitedecuriosidades.com/curiosidade/origem-do-termo-ossos-do-oficio.html

      Excluir
    5. "ócios do ofício"... Meu deus... O termo está correto. É "ossos do ofício". Pior que ser fâ do astrólogo é vir corrigir o certo. Pára de assistir os vídeos daquele molóide e ussa o Google, cara. Ele te responde.

      Excluir
    6. Anônimo1:22 PM

      O bravo sem trabalho...kkkkkk

      Excluir
  22. Ótimo, meus sinceros comprimentos

    ResponderExcluir
  23. Bom,quero deixar claro que respeito a opiniao do Bispo Hermes, porém, fazer uma defesa de Marx e do pensamento marxista com uma única frase, a meu ver, no mínimo, um erro de exegese.
    Seria interessante que fosse analisada toda a obra do mesmo. E, com relaçao ao pensamento marxista seria necessario também conhecer a obra de Engels,Lucaks, Gramnsci entre outros.
    Veja por exemplo este texto tirado do livro O Manifesto Comunista:

    "Abolição da família! Até os mais radicais ficam indignados diante desse desígnio infame dos comunistas. Sobre que fundamento repousa a família atual, a família burguesa? No capital, no ganho individual.


    A família, na sua plenitude, só existe para a burguesia, mas encontra seu complemento na supressão forçada da família para o proletário e na prostituição pública.

    A família burguesa desvanece-se naturalmente com o desvanecer de seu complemento. E uma e outra desaparecerão com o desaparecimento do capital.”

    Veja agora o que diz Engels sobre a monogamia no seu livro A Origem da Família, Propriedade e Estado:

    “A monogamia não aparece na história, portanto, como uma reconciliação entre o homem e a mulher e, menos ainda, como forma mais elevada de matrimônio. Pelo contrário, ela surge sob a forma de escravização de um sexo pelo outro, como a proclamação de um conflito entre os sexos, ignorado, até então, na pré-história. (...) Hoje posso acrescentar: o primeiro antagonismo de classes que apareceu na história coincide com o antagonismo entre o homem e a mulher na monogamia; e a primeira opressão de classes, com a opressão do sexo feminino pelo masculino"

    Sei que retirei o texto do seu contexto e com isto posso estar caindo no mesmo erro que reprovei acima, mas como conheço o contexto e analisando a Luz das Sagradas Escrituras, entendo que ambos estão errados. Sinceramente nao consigo ver como unir marxismo e a fé cristã. A Historia comprova que onde o marxismo foi a estrutura de poder dominante, a fé cristã foi perseguida de forma brutal, porém, esta é minha humilde opinião.
    Vejo apenas com bastante preocupação que os Evangélicos estão se posicionando junto a extremos muito perigosos. Uns ao lado de Jair Bolsonaro, com seu discuro moralista, porém, contaminado pela insensatez e violencia; outros, à esquerda por causa de um pretenso discurso voltado para os pobres e minorias, que esconde uma sede de poder insaciável.

    Tempos dificeis estes!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo6:18 PM

      Parabéns!
      Sou da mesma opinião...
      Não consigo ver coerência em textos que elogiam verdadeiros anticristãos históricos e que denigrem a posição cristã de Marisa Lobo!!

      E daí que essas pessoas disseram algumas frases boas? Até mesmo pessoas más podem produzir um pouco de bondade...

      O veneno desses anticristãos causou muita desgraça e morte mundo afora.

      Excluir
    2. Anônimo2:33 PM

      É lamentável. Não dá pra saber se esse pastor é apenas um inocente fazendo papel de idiota útil, levando várias pessoas ao erro junto consigo, ou se tem ciência do que faz levando as pessoas ao erro de caso pensado. De qualquer maneira em ambos os casos precisamos orar tanto por ele quanto para os seus seguidores, que Deus tenha misericórdia de nós.

      Excluir
  24. Interessante sua analise meu caro, o problema é q estude quanto quiser de Marx ou de qualquer outro autor marxista e vc ainda continuaria demonizando-o
    E sobre a frase no início do artigo, ja sabia q era de Marx, afinal, é típico dele ficar desdenhando do cristianismo e das obras de Cristo

    ResponderExcluir
  25. Eu não consigo ver nada de Cristianismo em Marx, claro que existe alguma verdade nos textos de Marxs, mas também e existia no dialogo de Eva com a Serpente quando ela afirma que se comesse do fruto saberia discernir o bem do mal. Acredito que as pessoas como vc disse pegam uma teologia enlatada e misturam com marxismo. Mas pense comigo: Se estamos falando de Cristianismo ou se busca-se Cristo qual o melhor livro para se ler? Não seria a Bíblia? Pode-se ler Marxs para fins de estudos, mas não há lugar no Cristianismo para Marxs, Engels, Marcuse e outros que dizem algumas verdades entrelaçadas em mentiras. Talvez estejamos cultos demais secularmente, preocupados demais com os referenciais teóricos e tenhamos esquecidos da Bíblia. Reflitamos então: Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça;
    Para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra.
    2 Timóteo 3:16,17

    ResponderExcluir
  26. Marx fala de comunismo pela inexistência de cristãos.

    ResponderExcluir
  27. excelente reflexai!! to cansada de me sentir tao nao crista por meu posicionamento de pensar com minha propria cabeça!!! obrigada por me lembrar de que isso nao é ser nao crista, apesar do posicionamento hegemonico entre os criataos.

    ResponderExcluir
  28. Perfeito! Bela análise. Parabéns!

    ResponderExcluir
  29. Cara, que texto!!! Deus te abençoe!

    ResponderExcluir
  30. Caro Hermes, obrigado pelo texto e experimentos feitos. Isso deixa muito claro para mim, que a maioria dos religiosos cristãos jamais percebem a essência, mas sempre se atem às aparências dos coisas e pessoas. Para eles não basta demonstrar amor nos atos e palavras amáveis, tem que fazer propaganda de que ama. São cegos e não conseguem ver a essência de Jesus nos de fora e nos de longe.

    ResponderExcluir
  31. "Por que não se vendeu este unguento por trezentos dinheiros e não se deu aos pobres?
    João 12:5".
    Essa frase também parece refletir um pensamento de justiça,mas foi repudiado por Jesus,que defendeu a livre iniciativa e o direito de posse junto à liberdade de fazer o que você bem entender,com o fruto do trabalho.
    Essa pequena passagem bíblica desmonta todo pensamento comunista e sua biblioteca ideológica.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Descontextualizada, essa "pequena passagem bíblica" pode parecer desmontar sim o pensamento comunista. Mas toda a pregação de Cristo em seu contexto, bem como a citação a seguir, são justamente a base do socialismo cristão, que, embora Marx não assuma (e ele ia dar o braço a torcer, por acaso?), foram sua grande influência:

      "Os que aceitaram a mensagem foram batizados, e naquele dia houve um acréscimo de cerca de três mil pessoas.
      Eles se dedicavam ao ensino dos apóstolos e à comunhão, ao partir do pão e às orações.
      Todos estavam cheios de temor, e muitas maravilhas e sinais eram feitos pelos apóstolos.
      Todos os que criam mantinham-se unidos e tinham tudo em comum.
      Vendendo suas propriedades e bens, distribuíam a cada um conforme a sua necessidade.
      Todos os dias, continuavam a reunir-se no pátio do templo. Partiam o pão em suas casas, e juntos participavam das refeições, com alegria e sinceridade de coração,
      louvando a Deus e tendo a simpatia de todo o povo. E o Senhor lhes acrescentava todos os dias os que iam sendo salvos."
      Atos 2:41-47

      Excluir
    2. Sempre vejo cristão socialista usar esse texto. Já que falou em contexto, lembre que isso acontecia dentro da igreja, não na sociedade.

      Excluir
  32. o paraíso sem Deus, é o que a serpente ofereceu no éden, e o que marx e seus adjuntos continuam a oferecer, mas tudo que podem entregar é o inferno...
    li a porcaria de paulo freire, que é uma piada internacional, uma fraude e além de tudo plagiador... e li o capital, e ficando apenas neste aspecto da ideologia , que consegue errar TUDO de economia, e a prova são os países que tentaram implantar qualquer versão dessa tal mistificação. Sugiro ler Von Mises...

    ResponderExcluir
  33. Farei o teste colocando como Jesus Cristo o autor. Vamos ver o que dá.

    ResponderExcluir
  34. Ótimo artigo. Parabéns!!!! Compartilhei de montão :D

    ResponderExcluir
  35. Claudio1:15 AM

    Já dizia o Florentino Nicolau :Os preconceitos têm raízes mais profundas que os princípios. Já estão te defenestrando lá no Genizah.

    ResponderExcluir
  36. PARTE 2

    Ainda que haja algum sentido verdadeiro nas frases, para um cristão, lê-las como fruto de algum autor cristão faz toda a diferença no sentido. Fazer o inverso também conduz ao mesmo resultado. Pegar frases de cristãos, eivadas de contexto e sentido cristão na palavras e colocá-las na boca de Marx muda sim seu sentido.

    O triste é ver a demonização de Marx e não de Adams: se não é evangelho, é demônio. Não quero dizer com isso que são servos de satanás, com pacto de sangue e criança sacrificada, mas que é do incrédulo a ação de deter a verdade de Deus com a injustiça. Não tem jeito, Jesus é a VERDADE e ele se revela a quem quer. Concordo que ele possa usar a boca de ímpio para humilhar um crente molenga. Concordo que se cristãos fossem cristãos dedicados, o comunismo não teria encontrado tanto espaço no ocidente. Mas não posso concordar com Kevitz e utilizar categorias marxistas, para construir minha cosmovisão. Essa submissão epistemológica me preocupa.

    Não só essa submissão, mas todo materialismo que domina a igreja me preocupa. O cristão se tornou materialista há muito. Tem cristão marxista, liberal, niilista, capitalista, freudiano... Isso é absurdo. Tá faltando cristão crente de que a Escritura é tudo que preciso para entender o mundo e avaliar aqueles que expõem suas visões de mundo. Admirar coisas em incrédulos é uma atitude. Submeter minha epistemologia e construir uma visão de mundo que não se fundamenta no tripé bíblico de criação-queda-redenção, em minha opinião, é deter a verdade pela injustiça, por mais que eu diga só estou utilizando categorias marxistas, ou coisa que o valha. Por que utilizar outras categorias, se tenho as bíblicas? Prefiro estas.

    Creio eu, irmão, que se formos olhar todo o contexto de Marx, termos motivos sim para rejeitá-lo, ainda que tenhamos concordâncias e venhamos a admirar a precisão de sua análise dos efeitos do capitalismo. Sim, que é engraçado fazermos esse jogo de frases e autores, mas não, isso não mostra tudo que o irmão colocou. Devemos sim, ler esses autores e buscarmos ser justos com o que eles disseram, mas não, não vou utilizar suas categorias e tornar seus modelos e lutas minhas lutas. Não luto pelos oprimidos, luto pelo evangelho – precisando melhorar muito nisso – crendo que essa luta combate o verdadeiro problema, o pecado.

    Grande abraço, fica na paz.

    ResponderExcluir
  37. PARTE 1

    Hermes, achei muito gozado seu experimento. Realmente, lendo Marx, vejo coisas que concordo. Concordo com a crítica marxista ao capitalismo. Concordo que haja opressores e oprimidos. Concordo que o capital capitalizou o que não se deveria.

    Contudo, não posso deixar de lado que Marx também diz muita coisa com as quais discordo. Não concordo com Marx que a história de todas as sociedades seja a história da luta de classes. Não concordo porque sou cristão e, pela Escritura, a história de todas as sociedades é a de homens pecadores que detém a verdade de Deus pela injustiça, que se manifesta das formas mais variadas e não só na dialética opressor-oprimido. Não posso concordar com Marx, quando ele diz que não há intervenção divina na história, tão pouco objetivo, só movimento, porque a Escritura diz que tudo converge a Cristo. Não posso concordar, portanto, com seu ateísmo. Não posso concordar com ele de que o protestantismo é fruto da burguesia e deve ser superado pela busca da sociedade deixando de lado a espiritualidade, buscando uma base material numa série de condições materiais.

    Por mais que ele tenha feito uma análise interessante da sociedade, sua proposta não foi boa. Não posso, como cristão, aceitar sua proposta, ou a de quem quer que seja, que não for fundamentada no evangelho, ainda que tenha semelhanças. Só o evangelho é o evangelho. O que me leva à preocupação com cristãos que foram para a direita, a fim de lutar contra o marxismo cultural que assola as escolas - prática motivada por Theodoro Adorno. Desde quando a direita, por ter algumas semelhanças com a Bíblia torna o capitalismo e o liberalismo econômico bíblico e as políticas sociais anti-bíblicas? Pois é, a Bíblia traz leis de apoio ao pobre, ao órfão e à viúva – e é para dar mesmo, em alguns casos.

    Mas vamos ao seu experimento. Primeiro, ele é bem interessante, pois, em princípio, mostra o que mostra mesmo: saber quem escreveu muda a visão da pessoa sobre o escrito. Mas ai vem o segundo: quem escreveu faz diferença para os significados das palavras. Por exemplo, como pastor, se digo uma frase do tipo: “mas lutar pela causa” – minhas ovelhas entendem que falo do evangelho. A mesma frase dita por Marx diz outra coisa; a causa é outra. A frase que usou: "Se a aparência e a essência das coisas coincidissem, a ciência seria desnecessária.", pode sim ser entendida de formas distintas entre Marx e Agostinho. Marx nega a teleologia e a espiritualidade, logo, sua visão de essência é distinta da de Agostinho. O mesmo podemos dizer sobre o que ele pensa da verdade, amor, cegueira... O autor faz sim diferença para o que é dito. Terceiro, frases sem seus contextos literários são complicadas. Quem sabe Lutero não estivesse exortando os pais, para o fato de que eles podem ser fonte de bem e também do mal?

    ResponderExcluir
  38. Deus mata para exercer a Sua justiça, e pó mais que o homem reclame disso, Deus é Soberano absoluto sobre todas as coisas e nós somos reles mortais incapazes de compreendê Lo. Nao obstante a histeria dos ateus por causa disso, Ele continua a fazer o que Lhe apraz, misteriosamente, e fazendo valer a Sua palavra que diz em Romanos 9:20 e 21: "Mas, ó homem, quem és tu, que a Deus replicas? Porventura a coisa formada dirá ao que a formou: Por que me fizeste assim? Ou nao tem o oleiro poder sobre o barro para da mesma massa fazer um vaso para honra e outro para desonra?

    ResponderExcluir
  39. Paulo H.11:12 AM

    Sim texto fora do contexto e pretexto para heresia, e também para transformar ideias abomináveis em conceitos verossímeis.
    Sim palavras bonitas podem ser encontradas até mesmo em cultos de consulta aos mortos, o cristianismo de hj aprova isso também?
    Sim, até em livros satanistas podemos pincelar ideias maravilhosas, isso tb é literatura sugerida aos cristãos hj?
    Tendenciosa a reportagem, até mesmo das escrituras pincelando textos fora do contexto podemos construir um discurso diferente da ideia central....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. “Assim, o Céu eu perdi, e sei disso muito bem. Minha alma, que já foi fiel a Deus, está escolhida para o Inferno.”
      “Nada, senão a vingança, restou para mim.”
      “Eu desejo me vingar contra Aquele que governa lá em cima.”
      (Karl Marx 1818-1883)

      Excluir
    2. Por que cristãos demonizam Karl Marx? Bem, fora a questão de Marx ter sido o pai de uma ideologia confusa, utópica, e sem sentido que incendiou o mundo e matou mais de 140 milhões de pessoas, e que ainda hoje continua fazendo milhares de vítimas pelo mundo todo, vamos ver algumas coisas que Karl Marx disse que não consta no artigo do nosso amiguinho do evangelho progessista:

      "Assim, eu perdi o direito ao céu, Sei disso perfeitamente. Minha alma, outrora fiel a Deus, Está destinada ao inferno."”

      “Nada, senão a vingança, restou para mim.”

      “Eu desejo me vingar contra Aquele que governa lá em cima.”
      (Karl Marx 1818-1883)

      De fato Marx se vingou: até hoje a obra infernal da qual foi autor não pára de fazer vítimas.

      “Evaporações infernais se levantam e enchem meu cérebro,
      até que eu enlouqueça e que meu coração não mude dramaticamente.
      Vêem esta espada? O rei das trevas a vendeu a mim.”
      (Karl Marx, do verso Nidler;Oulanem)

      "O cristianismo, com seu culto do homem abstrato, mais especificamente em seus desenvolvimentos burgueses, protestantismo, deísmo, etc., é a forma de religião mais conveniente." (O Capital, Capítulo 1, seção IV)

      "Assim um deus tirou de mim tudo na maldição e suplício do destino. Todos os seus mundos foram-se, sem retorno! Nada me restou a não ser a vingança! "Meu desejo é me construir um trono Seu topo seria frio e gigantesco Sua fortaleza seria o medo sobre-humano E a negra dor seria seu general "Quem olhar para ele com olhar são Voltará, mortalmente pálido e silencioso, Arrebatado por cega e fria morte. Possa a sua felicidade preparar-lhe o seu túmulo." (Karl Marx, Obras Reunidas, Vol. I, N. York, International Publishers, 1974)

      “Pois ele está marcando o tempo e dando sinais.
      Mais audaciosamente ainda eu executo a dança da morte.
      E eles também: Oulanem, Oulanem.
      Este nome soa como a morte,
      E soará até que não pare em formas miseráveis.
      Alto! Agora eu já tenho.
      Se levanta da minha alma, claro como o ar,
      E duro como os meus ossos.
      E ainda assim tu personificas a humanidade.
      Eu te poderei tomar pelo poder de minhas poderosas mãos,
      E esmagar-te com força feroz,
      Enquanto o abismo se fende diante de mim,
      E tu na escuridão.
      Tu cairás no abismo e eu te seguirei,
      Gargalhando e sussurrando em teus ouvidos:
      “Venha para baixo juntamente comigo, companheiro!” Karl Marx, Oulanem

      “Pereci, pereci. O meu tempo se esgotou.
      O relógio parou, a pequena construção ruiu.
      Logo abraçarei a eternidade, e com um grito,
      Proferirei gigantesca maldição para toda a humanidade.”
      Karl Marx, Oulanem

      Marx começou como cristão e se desviou do caminho se tornando satanista.

      Bom, pessoas dão like em tudo o que publicamos. Até mesmo em frases idiotas. Então, por que não dariam like em frases do Marx atribuída a outros autores. Ademais, as pessoas são tão simples que são capazes de dar like só pelo nome citado como autor da frase, sem nem ao menos chegar a compreensão da frase propriamente dita.

      Excluir
  40. O autor "joga" com a imensa habilidade da mente humana em traçar linhas de raciocínio em frações de segundos que levam em consideração o meio, a pessoa, a história, o currículo e diversas variáveis para daí chegar a conclusão do pensamento final ou conclusão de uma simples frase ou pensamento.


    Exemplo I - "A morte é o caminho natural de todos"

    Isto dito por diferentes "ícones" da humanidade terá um fundamento e significado prático diferente.


    Exemplo II - "o dinheiro é o mal do mundo, está aí a origem de toda corrupção humana"

    atribua a frase acima a qualquer pessoa religiosa, pensador ou filósofo e dependendo do histórico de cada um, ela vai ter um significado e fundamento diferente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Te vejo por aqui... Larga deu chulé, deixa eu oprimir esses Comunistas pseudo cristãos sozinho...

      Excluir
  41. O Ricardo Moura Lopes Coelho tocou na ferida aberta do texto.

    O ponto nevrálgico da questão, que é justamente típico de tempos de opiniões apressadas - está na redução e deturpação da linguagem e do símbolos que à sustentam. Este teste é falso na medida que quando curto/compartilho uma frase atribuída a Agostinho/Lutero/Armínio/Calvino etc., deve ter uma noção, na pior das hipóteses, do que lhe ampara como contexto teológico, que é, divergindo talvez em alguns pontos, a Escritura. Ao contrário disso, Marx, apesar de ter espelhado um sistema religioso em sua doutrina, não pretendia de nenhum modo aderir à ética cristã - na verdade, era um raivoso crítico às religiões. O teste feito é desonesto porque os comentários das pessoas estão sim calcados pelo conhecimento que elas possuem de quem a citação/frase é atribuída - faça um teste colocando uma frase na boca de Stálin que seja do apóstolo Paulo (menos conhecida, claro), é evidente que as críticas serão contrárias.
    Outra coisa, o texto apresenta uma estrondosa e descarada contradição interna. Em certo ponto diz: "Estavam ocupados assistindo aos vídeos do grande mestre astrólogo e filósofo Olavo de Carvalho, ou lendo seu maravilhoso livro "O mínimo que você precisa saber para não ser um idiota." (Antes que me perguntem se já o li, minha resposta é não. Não me apetece. As coisas que assisti em seus vídeos foram suficientes para que formasse um juízo acerca de suas ideias)"; para em seguida aconselhar: "Não estou dizendo com isso que todos temos a obrigação de ler tudo isso. Mas se formos honestos, ao menos, procuraremos nos inteirar de algumas ideias antes de sair por aí combatendo-as com frases prontas que ouvimos de terceiros". Isto é, confessa que não estudou absolutamente nada do pensamento de Olavo de Carvalho para defini-lo como um astrólogo - e que ele não lhe "apetece", pois já assistiu alguns vídeos dele, isso porque justamente só conhece ele por meio das caricaturas criadas pelas mídias. E já alerto, não sou nenhuma cria dele, mas pelo que acompanho das aulas sobre literatura de ficção, parece-me que a advertência feita pelo articulista, oriunda do teste, é sua própria fonte de pensamento. Por fim, um teste que não conclui nada acompanhado por um texto desonesto e sem embasamento bíblico. Forte abraço, Hermes. Que a paz de Deus nos acompanhe!

    ResponderExcluir
  42. Wow!!! Nocauteada e feliz! Parabéns pelas sábias palavras, e experimento tão primoroso. Delicioso confronto.

    ResponderExcluir
  43. Muito bom, um olhar diferente em meio a um turbilhão de hipócritas do cristianismo. Deus continue te abençoando.

    ResponderExcluir
  44. Muito bom texto e experimento, não lemos mais o texto, mas apenas lemos a nós mesmos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um proposta como essa de confundir os leitores é no mínimo de péssimo gosto literário e um bom motivo para desacreditar em todo o conteúdo publicado. Partindo então de um "pastor" é lamentável. Só esqueceu de dizer que onde chegou o marxismo houve tentativa de destruir o cristianismo. O marxismo é anticristão na sua essência. Dizer que Marx foi demonizado apenas porque ele tem boas citações é no minimo raso, qualquer pessoa, por pior que seja, pode dizer coisas corretas. Até o relógio quebrado acerta a hora duas vezes por dia. Gostaria que alguém tentasse explicar que Marx foi demonizado para as centenas de milhares de cristãos que morreram perseguidos por motivo de sua fé na Russia, na China, na Albânia e na Romênia. Tenta explicar isso para pessoas como Richard Wurmbrand ou Yun que essa ideologia anticristã e assassina é compatível com a nossa fé. Já que vamos citar Marx, que tal essa frase dele: "O comunismo quer abolir estas verdades eternas, quer abolir a religião e a moral..." A Historia comprova que onde o marxismo foi a estrutura de poder dominante, a fé cristã foi perseguida de forma brutal, porém, esta é minha humilde opinião. Vejo apenas com bastante preocupação que os Evangélicos estão se posicionando junto a extremos muito perigosos. Uns ao lado de Jair Bolsonaro, com seu discuro moralista, porém, contaminado pela insensatez e violência; outros, à esquerda por causa de um pretenso discurso voltado para os pobres e minorias, que esconde uma sede de poder insaciável. Tempos difíceis estes!!

      Excluir
  45. O texto foi muito bem escrito, o experimento foi interessante... Mas faltou Bíblia, né? Seria muito legal se você exemplificasse pelo menos uma parte das teorias de Marx em paralelo com o que a Bíblia diz. Digo isso porque seu texto consegue mostrar que Marx é demonizado por muitos cristãos e também sugere que existem princípios marxistas que condizem com o cristianismo. Mas faltou provar, faltou mostrar o porquê de não haver um fundo de razão no que dizem sobre Marx.

    ResponderExcluir
  46. Anônimo5:13 PM

    Os protestantes brasileiros ainda estão discutindo marxismo. Que tristeza! Como o comunista gospel disse anteriormente, o marxismo é uma ideologia materialista. O problema é que o mesmo curiosamente não sabe q isso já basta para ser anticristã. Misericórdia! Os católicos já resolveram isso satisfatoriamente, só rezo para que os nossos irmãos evangélicos não caiam nesse engodo do Diabo, mas é tanta ignorância que vai ser dureza. Abs

    ResponderExcluir
  47. Marcos3:00 AM

    Marxismo e cristianismo são totalmente incompatíveis...
    Se alguém se entende crente e é simpático ao marxismo, alguma das duas coisas ele não entende bem.
    O marxismo pode até partir de preocupações legítimas, como a miséria, a opressão etc, mas suas soluções são as mais imorais possíveis, a partir do momento que concebe o Estado para roubar dinheiro das pessoas, ops, recolher impostos, para fazer "redistribuição de renda".
    Pra finalizar, uma frase: "o comunismo é a imitação diabólica do cristianismo" A.W. Tozer.

    ResponderExcluir
  48. Achei ótimo. Engraçado, porque hoje mesmo postei sobre a questão da rotulação e algumas coisas do gênero. Li o texto e praticamente todos os comentários e opiniões até aqui postadas e pelo que pude subentender de muitos destes é que leram e não entenderam ou não dobram o braço, simlesmente porque não lhes convém. Imagine dividir com quem nada tem para oferecer. Viver no seculo XXI e compactuar com as algumas das idéias de Marx. No século XXI ter a BIBLIA como o livro que melhor explica todo o antoganismo entre as pessoas. Louvo a coragem deste senhor Hermes C. Fernandes, que nem conheço, nunca ouvi a respeito dele mas que conceitua a sociedade humana como ela reakmente é.

    ResponderExcluir
  49. O bispo Hermes selecionou algumas frases "do bem" em Marx, a fim de demonstrar que ele (Marx) não é tão ruim quanto pintam e que os cristãos erram em pre-julgar o filósofo barbudo.
    Pois bem, antes de defender as ideias de Marx é necessário entender suas origens e propósitos.
    Marx, para estabelecer sua dialética materialista, precisou romper com o idealismo hegeliano que à época dominava o pensamento filosófico. Hegel, invocou a mediação entre a filosofia e o cristianismo e isto foi o início da crítica à religião verificada em filósofos posteriores, como Marx e Nietzsche. Para Marx, a religião cristã aliena o homem e o afasta da verdadeira história. Tal premissa se originou dos estudos feitos por Feuerbach, que propiciaram a Marx inverter a dialética hegeliana, na qual a destruição da religião cristã é o pressuposto para a construção de um mundo no qual o homem, seja senhor de si mesmo.
    Então eu pergunto: qual o sentido de se defender a dialética materialista de Marx? Bispo Hermes, quer dizer que se eu analisar a história cotejada com a filosofia de Marx e concluir que a proposta marxista se opõe aos valores cristãos, estarei demonizando o barbudo alemão? Me desculpe, mas deixa-me pensar livremente e se as minhas conclusões estiverem erradas, é um problema da minha consciência.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo11:51 AM

      Perfeita sua colocação. Além de não analisar filosoficamente o materialismo histórico, parece que esse "bispo" tem pouco conhecimento histórico do que realmente foi a prática das teorias de Marx. Recomendaria somente um livro (que ele com certeza não deve ter lido): "Seria Karl Marx um Satanista?" Do pastor Richard Wurmbrand, que sofreu nas prisão socialista simplesmente por pregar o cristianismo.

      Excluir
  50. Como pode alguém criticar quem critica marx se ele critica olavo sem ler olavo?

    ResponderExcluir
  51. Anônimo12:07 PM

    O problema e o fascismo, e esta pequena frase nao e rasa nem superficial. Eh o nosso axioma: como superar a semente cancerosa do fascismo? Leia o Anti-edipo de Deleuze. Leia Por uma vida nao fascista de Foucault.

    ResponderExcluir
  52. Há também ateus e agnósticos além de estudantes da ciência da religião que criticam a Bíblia sem ao menos fazer uma hermenêutica e exegese honesta. creio que as pessoas sempre esboçam seu lado subjetivo sem levar em conta a crítica textual. Quanto a Marx não há provas do que realmente era. Quando se fala em fé sempre é um assunto muito subjetivo.

    ResponderExcluir

  53. “Pereci, pereci. O meu tempo se esgotou.
    O relógio parou, a pequena construção ruiu.
    Logo abraçarei a eternidade, e com um grito,
    Proferirei gigantesca maldição para toda a humanidade.”
    Karl Marx, Oulanem

    ResponderExcluir
  54. Meu caro Hermes,

    Não posso deixar de registrar que o seu raciocínio não passa de mais um sofisma em que incorre a maior parte da esquerda brasileira, e mais ainda os cristãos que tentam desesperadamente adequar o pensamento de Karl Marx aos ensinos de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.
    Primeiramente, ressalto que não estou falando do que não conheço, pois estudei economia em uma Universidade em que a maior parte dos docentes eram Marxistas ou se orientavam de alguma maneira pelo pensamento do velho barbudo.
    Não li, com certeza, toda a imensa obra de Marx, mas o bastante para sorver o suficiente de sua doutrina, e mais ainda, a base teórica de meu trabalho de conclusão de curso baseou-se em autores como Michał Kalecki e o australiano Josef Steindl, que, apesar de Keynesiano, baseou sua principal obra, Maturity and Stagnation in American Capitalism, no pensamento do marxista Kalecki.
    Não li Simone de Bouvoir, mas li muitos marxistas como Althouser, Leo Hurberman, Eric Hobsbawn, Francisco de Oliveira e inclusive a Pedagogia do Oprimido, de Paulo Freire, mas não tenho tempo a perder com teólogos como Leonardo Boff ou Frei Beto (embora deste último já tenha lido muitos artigos).
    Também tive a felicidade de ler as Confissões de Agostinho, parte do de Magistro e espero ainda poder ler toda ao obra do ilustre pensador de Hipona.
    Não nego que Karl Marx tenha contribuído em muito para o conhecimento em vastas áreas como a Economia Política, a Sociologia e a própria filosofia, mas o seu pensamento, embora muitas vezes confunda-se com o cristianismo primitivo, sobretudo na mensagem consoladora de Cristo aos mais pobres e até mesmo no podemos dizer “protocomunismo” que existia nas primeiras comunidades cristãs, realidade é que a ideologia de Marx é permeada pela luta (ou ódio) de classe, completamente incompatível com a mensagem cristã.
    Bem, quanto às belas citações de Karl Marx, não podemos esquecer que o diabo se transforma em anjo de luz, e possivelmente encontraremos belas frases nos discursos de Hitler ou até no Mein Kampf (Minha Luta) do maior monstro que a humanidade já conheceu, mas não tenho tempo para ficar procurando frases de efeito desse patife para atribuí-las a Agostinho, Lutero, Calvino, Chersterton, C.S.Lewis ou qualquer outro pensador cristão famoso (quem puder fazer que o faça!).
    Milhares de mulheres já foram assassinadas seduzidas pelas belas palavras de serial killers que, certamente, não surgem com palavras de ódio ou de medo, mas de ternura e carinho, e com isso conquistaram a confiança de suas vítimas.
    A base filosófica do marxismo é o materialismo histórico, em que a realidade precisa ser explicada através das condições materiais em que as sociedades vivem, opondo-se ao idealismo de Hegeliano e, o que, por sua vez, exclui qualquer explicação espiritual a respeito da história, colocando Deus de lado e dando de ombros para a redenção que, segundo o evangelho, depende de o homem submeter-se à soberania divina.
    Tenho vontade de manifestar minha opinião sobre a tentativa falaciosa de unir cristianismo e marxismo, mas tenho outros assuntos para estudar no momento que são prioritários, mas com certeza uma fonte de água salgada não pode produzir água doce.
    Prontofalei#

    ResponderExcluir
  55. Uma outra perspectiva do "Por que cristão demonizam Karl Marx ?"
    Esse texto propõe-se a responder esta pergunta feito pelo irmão Dom Hermes Carvalho Fernandes, me esforçarei para respeitosamente, dar a ele e outros a quem possa interessar, um outro prisma sobre o assunto.
    Em suma, entendo que tese que ele quer provar em seu texto é: "cristãos demonizam Karl Marx por não o conhecerem, há muito mais preconceito do que conceito formado".
    E gostaria de, inicialmente dizer, que eu concordo com essa afirmação.
    Mas me esforçarei para provar duas teses em meu texto:(1) existem preconceitos bons e (2) o preconceito contra o pensamento de Marx, em geral, é bom.
    Primeiro precisamos definir o que é um pré-conceito (passarei a escrever dessa forma para reforçar seu significado). Um pré-conceito é um conceito prévio sobre algo. O grande problema é que foi vendida a nossa geração, a falsa idéia de que todo pré-conceito é ruim em si mesmo. Bravatas ideológicas do tipo "precisamos extirpar todo preconceito da nossa sociedade" tem reforçado essa mentira.
    Toda a nossa mente funciona a base de pré-conceitos, todas nossas rotinas e hábitos são executados a partir de pré-conceitos estabelecidos. Nossa distinção entre bem e mal é feito a partir de idéias pré-concebidas. Enfim a lista é grande.
    É um pré-conceito que me faz, por exemplo, pensar dez vezes antes de pular na água do alto de uma cachoeira, ou evitar passar a noite em um beco escuro. Isto porque, temos idéias pré-concebidas de que, em geral, debaixo de quedas de cachoeira costuma-se ter muitas pedras, e lugares escuros a noite costumam representar perigo. Ou seja, existem inúmeros bons pré-conceitos que nos livram de maiores problemas e perigos.
    Mas porque estou sugerindo que pré-conceito contra o pensamento de Marx é bom ?
    O Marxismo seduz e escraviza seus prosélitos tanto quanto qualquer religião tem o potencial de fazer, contando inclusive, com muitos componentes do próprio Cristianismo. Eles tem um Deus (sua ideologia), um messias (o partido comunista), um império das trevas a degladiar (a burguesia); e ainda dão aos seus, o senso de propósito e esperança que todo o homem é tão carente. Com a vantagem de que a vitória, o paraíso, e seu desfrute, estão acessíveis nesta vida; é mais do que qualquer religião pode oferecer. Adiciona-se ainda, o conforto de livrar-lhes de qualquer culpa, remorso ou responsabilidade individual, já que a "causa de todos os males" no marxismo é externa e não interna - como o pecado para nós. Um sonho não ?
    Poucas ideologias humanas poderiam ser tão, rapidamente e facilmente, enquadradas naquilo que a bíblia chama de "sofismas que se levantam contra o conhecimento de Deus" (2Co10:4-5). A definição mais comum de sofisma nos dicionários bíblicos é: "argumento que parece ser correto, mas que, na verdade, é enganoso e leva ao erro".
    A mentira é mais rapidamente reconhecida e recusada. Os sofismas são "meias-verdades", isto é, verdades misturadas a mentiras para ficarem mais palatáveis. A linha que separa a verdade da "meia-verdade" é tênue, por isso sofismas e heresias são frequentemente acolhidas pela cristandade brasileira que não dispõe de conhecimento bíblico necessário para discernir o certo do "meio-certo". No caso do Marxismo Cultural, a linha é tão frágil que ocasionalmente é ultrapassada até mesmo por eminentes cristãos. O que esperar da grande massa ?
    É evidente que existem coisas boas no pensamento Marxista, é aquilo que estou chamando de "verdades" em meio a mentiras. O mesmo vale para doutrinas espíritas, budistas, ou de qualquer outra religião.

    ResponderExcluir
  56. continuação:
    O grande ponto caro Dom Hermes, é que pouquíssimos cristãos podem exercer a sua "liberdade intelectual" sem grandes prejuízos. É muito fácil ter como slogan do seu blog - "sem pacotes fechados" - e criticar a "mente tacanha" da cristandade do alto do seu currículo literário.
    Essa mentalidade liberal, de criticar tudo, de dizer que devemos "parar de comer na mãos dos outros", devemos "pegar nosso procuração e pensar por nós mesmos", certamente rende bons frutos em uma elite intelectual e madura na fé. Àquela minoria que "se alimenta de alimentos sólidos e são capazes de discernir o bem e o mal" (Hb 5:14). Mas propagar esse pensamento as massas, é uma das principais raízes do ceticismo que permeia a mente de nossa geração, em que muitas vezes se faz necessário provar as pessoas que a grama é verde (como profetizara Chesterton). Creio que poucos hoje discordariam da análise do sociólogo Zygmunt Baumman: "os nossos problemas de hoje derivam do fato de que nossos antepassados entregaram muito de nossa segurança, em prol de mais liberdade".
    Algumas pessoas em discussões como essa costumam argumentar utilizando a passagem de 1 Ts 5:21 - "Examinai tudo e retenha o bem" - querendo com isso argumentar que eu deveria ler, examinar, e reter o que for bom; a esses eu recomendo que leia o versículo debaixo e verá que o "tudo" dessa passagem, não é bem tudo. E não tenho dúvidas que o Marxismo facilmente encaixaria-se em "aparência do mal".
    Eu estou com isso defendendo uma postura ultra-conservadora, querendo suprimir toda liberdade intelectual e sugerindo que cristãos devessem ler só a bíblia ? Estou dizendo que nenhum cristão pode ler Marx ? Claro que não. (por isso deixei claro desde o início que o pré-conceito contra Marx, em geral, é bom. E não sempre.)
    O que eu quero demonstrar é uma tensão que envolve a questão. A ambivalência já mencionada a que Zygmunt Bauman se refere: "a medida que se doa liberdade, perde-se segurança - e vice-versa".
    Existe uma saída a essa ambivalência ? Ou seja, é possível doar liberdade sem perder segurança, ou pelo menos minimizar essa perda ? Sim.
    A resposta chama-se maturidade. Quando posso dar mais liberdade na criação dos meus filhos ? A medida em eles respondem com maturidade. Quando posso permitir ou até mesmo recomendar a meus filhos, ou liderados, uma leitura ardilosa feito Marx ? A medida em eles deixem de ser "crianças inexperientes na palavra da justiça" e se tornem "adultos (na palavra) com alimento sólido e, portanto capazes de discernir tanto o bem quanto o mal". (Hb 5:13-14)

    ResponderExcluir
  57. continuação2:
    Resumindo a minha argumentação, o pré-conceito contra Marx em geral é muito bom. Nossos pré-conceitos também servem para selecionar aquilo que lemos ou damos atenção, e em meio a tanto lixo cibernético ou físico publicado, isso certamente é muito bom. A grande massa da cristandade, mal lê a bíblia. Querer que eles leiam Marx, ou conheçam sua ideologia, é submetê-los a grande prova e tentação. E a chance deles caírem nas sutilezas do engano são enormes. Além de claro, estar deixando de ler algo muito mais útil e edificante para uma cristandade tão carente de conteúdo.
    Querer empurrar Marx goela abaixo das massas, é o envenenamento cultural ao qual nossa sociedade já está sendo doutrinada a décadas, e o Progressismo Evangélico e a Teologia da Missão Integral, em vistas de enfatizar a justiça social, que também é dever cristão, por muitas vezes tem ajudado nesse envenenamento.
    É querer cobrir um lado e descobrir o outro. A ortodoxia tem olhado a questão de uma maneira mais ampla, é sabido que a justiça social é importante, mas tanto quanto é não deixar o Marxismo Cultural entremear a sociedade e a igreja.
    Como já mencionado antes, a resposta à ambivalência - segurança X liberdade - está na maturidade. É preciso amadurecer as idéias do Progressismo e da T.M.I. É necessário aprofundar as discussões, extender essa coberta para que ela possa cobrir os dois lados. E, sem dúvida alguma, o extreitamento com a Ortodoxia, tem muito a cooperar nesse sentido.

    ResponderExcluir
  58. seu experimento foi interessante, porém foi muito desonesto! Diga-me com sinceridade, você aprova a obra de Marx como um todo? ou apenas algumas frases isoladas? Porque quando estudamos sua obra como um todo, constatamos que é incompatível com o cristianismo. O comunismo é materialista e é adverso à fé e ao Cristianismo, sendo que a produtividade econômica é considerada o único valor reconhecido, de modo que a fé em Deus Criador e em Jesus Cristo Salvador são vistas como inútil e alienante. A religião é considerada “o ópio (droga) do povo”, e se odiava a Igreja de Cristo; para ver isto basta ler a obra de Karl Marx, “O Capital”, de 1867. A análise marxista é estruturada sobre a teoria violenta da “luta de classes”, joga uma classe contra outra; é o motor da história. Considera que toda a história é movida pelo conflito entre patrões e operários, o que está errado e injusto, pois muitos outros fatores movem a história: as relações de amor, paz, aliança tanto entre indivíduos como entre sociedades. A mentalidade da luta de classes é anti-cristã porque incita ao ódio e joga irmãos contra irmãos.

    ResponderExcluir
  59. Você pode ter curso até de Doutorado do Hades, mas se é um mentiroso, não passa de um mentiroso.

    ResponderExcluir
  60. Anônimo5:06 PM

    1.Experimento idiota, mais ainda da parte de um pastor;
    2. Esse pessoal de igreja envolvido com açao social adora defender o comunismo. O que há de errado com a livre iniciativa e a propriedade privada que mete tanto medo em vocês?
    3.Minha conversão ocorreu na vida adulta. Antes disso, na infância,frequentei uma Ong evangélica em uma comunidade miserável. Foram 6 anos de futebol,parquinho,sopinha,6 anos ouvindo esse papo reformado-classe-média-urbana de inclusão,promoção da justiça,comunhão entre os povos- e nada de Palavra de Salvação. Pense nisso.
    4.Eu tenho um amigo que compara as idéias com as piscinas. Em algumas,como as de Max Lucado,a gente pode mergulhar nu,de cabeça. Nas suas,caro Hermes,de agora em diante,só com equipamento de mergulho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo2:20 PM

      1. custa respeitar o experimento alheio? Onde há proibição de um pastor fazê-lo?
      2. o que há de errado é a distribuição injusta da riqueza, a sua concentração e a exploração. Não mete medo, mete vontade de mudar o status quo. Um dia trocaremos esse modelo falido que faz umas mesas transbordarem e outros terem de se alimentar do resto que cai delas.
      3. Ou seja, minha situação tá resolvida.. tenho mesa farta, minha família toda organizada, o resto é resto...pouco me importa... Quero é a "Palavra da Salvação" no mundo de lá, porque no de cá, já tou beleza! ;)
      4. quanto ao mergulho nu, cuidado para não configurar o crime do art. 233 - ato obsceno!
      Sorte!

      Excluir
  61. Mandou bem. Compartilhei no Facebook. Parabéns. Há esperança no meio dos evangélicos.

    ResponderExcluir
  62. Anônimo10:31 AM

    Hermes, excelente o texto, so que infelizmente, as pessoas que leem seus artigos, sao muito alienados, e ainda não evoluiram o suficiente para entender a palavra. Uma hipocriasia instaurada pelas igrejas, que criam seguidores a altura, parabens pelo texto. Leandro Nogueira

    ResponderExcluir
  63. Talvez um itinerario para uma boa leitura seriam a biografia e os livros de Richard Wurmbrand, Com a sequencia das historias e o testemunho do irmao andré, em seguida o livro Ivã de Myrna Grant, Então poderiamos citar tambem Torturados por sua fé de Haralan Popov, em seguida O Sabor do Paraiso de Ircek Erlichson e Arquipelago Gulag de A. soljenitsin e um complemento basico fundamental 1984 de George Orwell tendo como sobremesa A Revolução dos Bichos do mesmo autor...Depois dessa maravilhosa coletanea, poderia-se recomendar uma aureola para Karl Marx e a canonização de todos os marxista pelas peripecias beatificas de Holodomor...

    ResponderExcluir
  64. Anônimo8:14 PM

    NÃO entendo nada de Karl Marx... mas de Jesus , sei que Ele pediu para amar à Deus acima de tudo e ao seu próximo como a si mesmo! Posso agir assim , independente de qualquer sistema político!!

    ResponderExcluir
  65. chegando agora e já me encontrando com seu blog.
    edificante...

    ResponderExcluir
  66. Chegando agora e já me sentindo edificado pelo blog..

    ResponderExcluir
  67. O seu texto é muito eficaz à reflexão, pois, relata a verdade em Marx!

    ResponderExcluir
  68. Excelente! Não preciso ser marxista, nem calvinista, nem nenhum ista para aprender, questionar sobre qualquer um deles. Aprendo de tudo e retenho o que é bom.

    ResponderExcluir
  69. Anônimo12:18 PM

    Vou arquivar o artigo e permita-me pinçar alguns trechos em alguns comentários, excelente!

    ResponderExcluir
  70. Juliana Velôzo1:06 PM

    Esse texto, a três dias das eleições, me caiu como uma grande bênção. Senti minha alma lançar um grande grito de afirmação da minha identidade: católica e não comunista. Já fui comunista. Já acreditei nesses mesmos ideais e também já me afastei de Deus. Cheguei a duvidar de sua existência. Li Karl Marx. Passei pela universidade traçando o caminho de humanas (o celeiro de ideias comunistas). Concordo plenamente, e a Igreja também, de que Marx percebeu uma doença social. Até aí tudo bem, Sr. Hermes. Você perguntou se alguém discorda de que, no trecho que o sr. citou de Marx, tenha alguma dissonância com o cristianismo. Respondo que, se o cristianismo se resumisse a diagnosticar o mal social, a resposta seria, obviamente, não. E daí partem as minhas tristezas ao ler essa matéria. Primeiro, ao ver que uma pessoa que toma pra si a identidade cristã, brincar, é, brincar, com outras pessoas, de forma desonesta, para fazer "um experimento social" particular, o que, ao meu ver, tem traços doentios e perversos para levar as pessoas a "comprarem" sua ideia. Isso se opõe totalmente à liberdade que Cristo nos oferece de aderi-lo, pela VERDADE: "Eis que estou à porta e bato..."

    ResponderExcluir
  71. Juliana Velôzo1:07 PM

    Segundo, o sr. não dá enfoque nenhum aos "remédios" que outras pessoas, ao longo da história, querem dar a essa sociedade, baseadas no "receituário" que Marx deixou, ou seja, ele entendeu que a família é a primeira propriedade privada do homem e que enquanto não se destruíssem os papéis que o "paternalismo" gera dentro da família, nenhum operário pegaria em armas e lutaria contra seu patrão. Entendeu também que existia uma estrutura que reforçava esses papéis e a opressão caseira: a Igreja. Partindo dessas ideias, não é difícil entender porque faz parte da ideologia esquerdista a "igualdade de gênero", o feminismo, o aborto livre, a família como sendo qualquer arranjo de pessoas... É por isso, meu caro, que a Igreja Católica (magistério) condena o comunismo. Ele é simplesmente INCOMPATÍVEL com a fé cristã. Não tem como apoiar partidos que pretendem destruir a lei natural DIVINA, esvaziando o sentido de ser humano, e dizer que "ama a Deus sobre todas as coisas". A isso se dá o nome de IDOLATRIA.

    ResponderExcluir
  72. Juliana Velôzo1:07 PM

    Terceiro, fiquei realmente chocada com uma frase que você citou atribuindo a autoria a Martinho Lutero, o alicerce da sua religião: "A família é a fonte da prosperidade e da desgraça dos povos". Eu não sei em que circunstâncias Lutero proferiu estas palavras mas elas vão seguindo do lado oposto as da que a Igreja Católica, essa que o sr. ama difamar, profere, ao longo da história, pelo magistério que, tendo o dever de confirmar os irmãos na caridade, o faz à luz da Verdade. Somos chamados, o tempo inteiro, a relembrar nossa vocação matrimonial e vivê-la nos tempos modernos, pisando no chão de problemas que eles trazem. Um pequenino exemplo: "A salvação da pessoa humana e da sociedade está estreitamente ligada ao bem-estar da comunidade conjugal e familiar. A íntima comunhão de vida e de amor conjugal, que o Criador fundou e dotou com suas leis, é instaurada pelo pacto conjugal, ou seja, pelo consentimento pessoal irrevogável. Cristo abençoou largamente esse amor multiforme originado da fonte da caridade divina e constituído à imagem de sua própria união com a Igreja". (Concílio Vaticano II - Gaudium Spes, nº 47 a 49).

    ResponderExcluir
  73. Juliana Velôzo1:07 PM

    Quarto: que você tenha lido Leonardo Boff e frei Beto, excomungados por disseminarem outra fé que não seja a Católica, não é de surpreender mas, aqui trago as minhas dúvidas quanto a SANTO Agostinho e SANTA Teresa D'Ávila, doutores da Igreja Católica e influenciadores da construção da civilização ocidental, esta mesma que o sr. apoia a desconstruir. Ou, peço perdão se o julguei mal, mas também coloco em cheque a sua interpretação. Esta santa, em seus escritos, fala-nos de calcar a santidade e sobre ela, relatos de experiências místicas com Cristo que, nem eu nem você, jamais teremos. Enfim, termino te agradecendo e rezando, por todos, pois para a Verdade todos nós nascemos, por ter me chegado este artigo às vésperas das eleições e ter a felicidade de entregar a Jesus a consciência limpa de não vender meu voto ao preço do PAGANISMO. Não acredito nele como resposta aos anseios da humanidade. Obrigada.

    ResponderExcluir
  74. Parabéns pelo excelente texto!! Sou Evangélica e sinto vergonha de ver tanta ignorância reunida em alguns comentários rs

    ResponderExcluir
  75. então pode publicar o restante de Marx.

    ResponderExcluir
  76. Marx mudou o mundo? O autor do artigo está equivocado, pois o comunismo nunca deu certo em lugar algum do planeta Terra. Então eu pergunto onde fica esse mundo que o autor se refere. Citou vários livros que devemos ler para antes criar conceitos, mas ao que me parece ele não leu a bília para falar sobre o pensamento do cristão. Então quele leia a bíblia INTEIRA e a ENTENDA para depois dizer algo. E por último, me parece que este autor do artigo está mais querendo se exibir e, dizer que faz parte do "panteão" do que acrescentar algo na vida dos leitores. A propósito, seria mais interessante ele usar o tempo dele para escrever artigos científicos que apontem soluções para os problemas do país ao invés de ficar atribuindo mensagens de determinado autor a outros.

    ResponderExcluir
  77. Anônimo5:27 PM

    "O fato de Sócrates ter se suicidado"

    Haha, chega. Parei aqui, de tanto rir.

    ResponderExcluir
  78. Muito obrigada pelo texto. Sóbrio, direto e leve!

    ResponderExcluir
  79. Sócrates suicidou-se, tomando sicuta.

    ResponderExcluir
  80. Sr. Hermes. B R I L H A N T E!!!

    Seu texto simples e claro, acabou gerando bastante polêmicos e propiciou uma boa prosa. Facoreceu que o debate florescesse, nem sempre saudável e lúcido nos conteúdos, mas aqui é ali surgem conteúdos interessantes e com feições de quem se esforçou e se sabe lúcido, mesmo que defendendo e fazendo dogmas as suas convicções.

    Economistas tratando de teologia. Dogmáticos católicos defendendo seus dogmas. Preconceitos sendo defendidos em lugar de dúvida, suspeita e dedução. Afirmações do tipo "Marx é ateu" e trazendo como provas suas lutas interiores contra seres sobrenaturais, sem se darem conta das incoerências. Neoliberais inocentes defendendo a "liberdade" sem se preocuparem com a ausência da liberdade pelo tempo gasto na produção e alienações pelos meios de comunicação de massas. Leitores de Olavo sem se preocuparem em conhecer os tópicos, os quais ele trata, assim não percebendo que está sendo vítima de uma farsa. Citações da Bíblia como a única fonte de verdade, sendo que nela há argumentos para justificar qualquer ideologia. Gente que afirma que a solidariedade e a partilha deve se dar dentro da Igreja, sendo que sequer Jesus criou igreja e fez o bem "materialmente" a pessoas "estranhas", o samaritano, p.exemplo. Gente citando literatura de uma nota só, como cartilhas cujos significados possuem algum valor...

    Como o Sr sugere entre os grandes personagens, Marx fala dos condicionamentos externos e Freud dos condicionamentos internos. Parece-me que só estando bem resolvido em ambos, seja possível o Cristo. A revolução proposta por Marx - sendo ele judeu, se assemelha em muito ao "ano sabático".

    Obrigado pelo deleite da sua leitura e dos comentários que se seguiram. Foram todos de muito aprendizado.

    ResponderExcluir
  81. Acrescento ainda, ao meu raciocino, outras situações que me chamaram a atenção: 1) evangélicos defendendo que nem todos podem ler Marx, sendo que a briga de Lutero era para que todos pudessem acessar a verdade; 2) afirmações do tipo "marxismo não deu certo em nenhum lugar", nisto confundem Marx com o marxismo, sendo que ele próprio assumiu não ser marxista; 3) seguindo a lógica desse item 2, se confundimos o Cristo com a cristandade que governou na Idade Média, período das trevas e de grandes atrocidades, mostra que o "cristianismo" assassinou mais que os comunismo e foi uma tragédia política; 4) ainda, se pegamos o capitalismo (liberalismo) desde seu início, mercantilismo, colonização, escravismo, extinção de culturas e povos, destruição ambiental... Um cristão que se diz amar o próximo se envergonharia de defender esse sistema tão e tão mesmo atros que constrangeria qualquer pessoa de bom senso, pois matou muito mais gente que o comunismo, além de provocar sofrimentos terríveis aos povos dominados.
    ...

    ResponderExcluir
  82. Hahaha... legal demais.

    ResponderExcluir
  83. Ivano2:53 PM

    Se eu digo: "Estou indo trabalhar".., haverá um entendimento. Mas se meu filho, de 4 anos de idade diz: "Estou indo trabalhar", haverá outro entendimento. Portanto o conhecimento que se tem sobre o autor, irá influenciar no entendimento de suas frases ou textos.

    Se eu escrevo: "Não vim trazer paz a terra, mas espada" e atribuo esta frase a Adolf Hitler, haverá um entendimento. Mas se eu revelo que quem disse a frase foi Jesus Cristo, haverá outro entendimento. E para compreender qual a intensão de Jesus ao dizer isso, será necessário compreender o contexto no foi dito.

    Por isso não acho o experimento um sucesso, mas o considero falho e tendencioso.

    ResponderExcluir
  84. A filosofia de Marx e' uma utopia inaplicavel a humanidade, pois apena uma pequena minoria e' disposta a trabalhar para o bem comum.

    ResponderExcluir
  85. Me atrevo a dizer que 99% dos elogios aqui mencionados ocorrerem em similaridade ao conteúdo do artigo.
    Enquanto nos preocuparmos com quem "diz o que", e não com o que temos que fazer, sem levantar bandeiras, nada deve mudar!
    Singela, humilde e "ignorante" opinião!

    ResponderExcluir