quarta-feira, fevereiro 22, 2017

20

Entre Blocos e Retiros: Uma parábola do papel da igreja no Carnaval


Por Hermes C. Fernandes

Uma parábola sobre o papel da igreja durante o Carnaval

Epêneto era o presbítero responsável pela igreja em Roma, desde que Priscila e Áquila tiveram que deixar a cidade em busca de novos campos missionários. Epêneto foi um dos primeiros a se converterem através do trabalho realizado por Paulo nessa cidade.

Aquela igreja era muito ativa, sempre aberta a acolher as pessoas. Quando havia algum cataclismo, fome ou guerra, os cristãos se mobilizavam para socorrer as vítimas. Por causa de seu envolvimento com a dor humana, ganhou a simpatia de todos, inclusive de funcionários do palácio de César.

Num belo dia, ouviu-se o clangor do clarim. Todos se reuniram para ouvir o que o mensageiro do império tinha para anunciar. Em duas semanas, o exército romano estaria chegando de uma campanha militar bem-sucedida. O próprio César o receberia com uma Parada Triunfal, que seria seguida de um feriado prolongado dedicado aos deuses Marte e Saturno, também conhecidos como Apolo e Baco, divindades da guerra e do vinho, respectivamente. Seria uma grande festa, regada a bebidas alcoólicas e todo tipo de luxúria. A população sairia às ruas para assistir ao desfile das tropas romanas, dando-lhes boas-vindas, e assistiriam à execução de milhares de prisioneiros. Ninguém trabalharia naqueles dias.

Epêneto ficou preocupado com a notícia. Qual deveria ser o papel da igreja durante essa festa pagã? Ainda inexperiente como líder, reuniu alguns dos mais antigos membros da igreja para discutir o que fazer.

Um deles, chamado Narciso, pediu a palavra e deu sua sugestão:

- Amados no Senhor, por que não aproveitamos o ensejo para promover um desfile paralelo, onde demonstraremos ao mundo a nossa força, revelando a todos nossa lealdade ao Rei dos reis, Jesus Cristo? Podemos até copiar algumas de suas canções, adaptando-as à nossa fé. Em vez de exibirmos prisioneiros, exibiremos testemunhos daqueles que foram salvos. Vamos montar nosso próprio bloco, quer dizer, nossa própria parada triunfal. Pode ser uma grande oportunidade evangelística.

Epêneto, depois de algum tempo pensativo, respondeu: Caro Narciso, a idéia parece muito boa. Porém, quem ouviria nossa voz durante os momentos de folia? Nosso modesto bloco se perderia no meio de toda aquela devassidão. Ademais, a maioria das pessoas estará embriagada, incapaz de entender nossa mensagem. Também não estamos preocupados em dar uma demonstração de força. Jesus disse que nosso papel no mundo seria semelhante à de uma pitada de fermento, que de maneira discreta, sem chamar a atenção para si, vai levedando aos poucos toda a massa. Por isso, acho que sua idéia não é pertinente. Quem sabe em gerações futuras, haja quem a aproveite?


Levantou-se então Andrônico, que gozava de muito prestígio por ser parente de Paulo, e sugeriu:

- Amados, durante o Desfile Triunfal e as Saturnais, a situação espiritual da cidade ficará insuportável. Divindades pagãs serão invocadas, orgias serão promovidas em lugares públicos à luz do dia. Não convém que estejamos aqui durante essa festa da carne. A melhor coisa a fazer é nos retirarmos, buscarmos um refúgio fora da cidade, e aproveitamos esse tempo para nos congratularmos, sem nos expormos desnecessariamente às tentações da carne.

Todos acenaram com a cabeça, demonstrando terem gostado da idéia. Já que seria mesmo feriado, ninguém precisaria trabalhar. Um retiro parecia a melhor sugestão.

O velho presbítero ficou um tempo em silêncio, meditando. Todos estavam atônitos esperando sua palavra, quando mansamente respondeu:

- Irmãos, não nos esqueçamos de que somos o sal da terra e a luz do mundo. Se no momento de maior trevas nos retirarmos, o que será desta cidade? Por que a entregaríamos ao controle das hostes espirituais das trevas? Definitivamente, nosso lugar é aqui. Não Precisamos de exposição, como sugeriu nosso irmão Narciso, nem de fazer oposição à festa, retirando-nos da cidade, como sugeriu Andrônico. O que precisamos é estar à disposição para acolher aos necessitados, às vítimas da violência, aos desassistidos, aos marginalizados.

A propósito, não temos estado sempre disponíveis para atender as pessoas durante as tragédias que tem abatido o império? E o que seriam tais desfiles, senão tragédias morais e espirituais? Saiamos às ruas, mesmo sem participar da folia, e estendamo-los as mãos, em vez de apontar-lhes o dedo, oferecendo compaixão em vez de acusação, amor em vez de apatia. Que as casas que usamos para nos reunir estejam de portas abertas para receber quem quer que seja, e assim, revelaremos ao mundo Aquele a quem amamos e servimos. Afinal, o reino de Deus se manifesta sem alarde, sem confetes, sem barulho, mas perturbadoramente discreto.

Depois dessas sábias palavras, ninguém mais se atreveu a dar qualquer outra sugestão.


* Esta é apenas uma parábola que elaboramos para emitir nossa humilde opinião acerca do papel da igreja durante o período carnavalesco.

Postado originalmente em 11/02/2010

20 comentários:

  1. Sábias palavras, ultimamente temos ficado tão individualistas, que muitas vezes só sabemos apontar os outros e mais nada!Vou participar de um retiro, mas muitas vezes sinto falta de abrir as portas da minha casa para os não crentes e demonstrar carinho e atenção, devo pensar mais nisso.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pela mensagem. Há alguns anos a liderança da minha igreja recebeu um comando de Deus para não sair da cidade nos dias de carnaval. Antes fazíamos retiros, mas já faz vários anos que ficamos na igreja, inclusive com atividades todos os dias, pela manhã e noite. Temos tido a experiência de recebermos pessoas que ao invés de procurar folia, vão em busca de Deus.
    Mais uma vez devo lhe dar o parabéns pelos seu trabalho

    ResponderExcluir
  3. Muito boa a parábola e a reflexão que a mesma inspira. Em dias de tão densas trevas a Igreja precisa mesmo estar atenta e disponível. Evidentemente o retiro é muito mais cômodo, porém não podemos nos omitir em momentos em que as pessoas estão mais fragilizadas diante da luxuria que essa festa maligna inspira.
    Aproveito esse comentário para perguntar ao irmão se leu minha mensagem no facebook, e se tem algo a me dizer.
    Abração.

    ResponderExcluir
  4. Muito boa reflexão sobre o papel da Igreja nos dias atuais.
    Tão boa, que tomei a liberdade de publicar em nosso blog, o qual peço a vossa autorização, que se não for concedida, retirarei imediatamente. Inclusive, solicito também vossa autorização para colocar o seu link em nosso blog.
    O fato de colocar o artigo antes de vossa permissão, é devido a oportunidade que temos para divulgar este artigo.
    Certo da vossa compreensão, subscrevo-me, colocando à vossa disposição para qualquer tipo de colaboração ao meu alcance.

    ResponderExcluir
  5. Anônimo9:39 AM

    Caro Hermes, muito inteligente e apreciável seu texto, sem falar nas manifestações abaixo atestando a qualidade de seu texto. Preciso de sua ajuda no tocante ao seu texto, você mesmo disse ao final que, ele é uma parábola para emitir sua opinião e entendi perfeitamente isso. Mas minha pergunta é: Mesmo sendo uma parábola como afirmado, teria alguma base bíblica nesta parábola ? Obrigado, Ednei. Ps. Coloquei em anônimo por não conseguir enviar de outra forma, mas segue meu e-mail: egsednei@hotmail.com

    ResponderExcluir
  6. Bela Parabola... nos faz pensar e seguir em frente com a palavra de Deus

    ResponderExcluir
  7. Como seria maravilhoso se as "igrejas" (os lideres)deixasse de lado o misticismo religioso e aderisse a essa idéia.Precisamos "bater" muito mais nessa tecla.
    Cristaodeberea@oi.com.br

    ResponderExcluir
  8. Gostaria de alguma forma contribuir no espaço que me é concedido, fazendo o seguinte comentário sobre Evangelismo no Carnaval.
    Com relação e exposição dos membros da Igreja Local nesta festa da carne, com a dimensão que normalmente é realizada no Brasil, acredito ser um período de densas trevas espirituais; onde a anarquia, o vandalismo,a sensualidade, a promiscuidade, a violência e outras abominações ocorrem nestes dias.
    Com o pretexto de se tratar de uma grande festa popular, o Estado se torna conivente, e também algumas autoridades com objetivos eleitoreiros levantam essa bandeira, e assim a baderna torna-se visível e organizada.
    Analisando do ponto de vista de quem não se encontra no "camarote" da observação, e sim na "arquibancada" e as vezes na "geral" de quem não mora na Zona Sul e sim em Subúrbios e até em Periferias, chego a seguinte conclusão:
    Os Templos deveriam abrir nos dias de carnaval, para que seus membros pudessem frequenta-los somente na parte da manhã. Período em que os foliões encontram-se dormindo, e dessa forma a Igreja não ficaria exposta ao horário noturno, quando os transportes de massa estariam abarrotados dos admiradores do carnaval e as praças e ruas estariam com seus espaços ocupados com blocos carnavalescos e foliões, dificultando também o tráfego de veículos e consequentemente o transitar dos cristãos aos seus respectivos Templos.
    Com relãção ao Evangelismo Noturno, não creio que esta exposição ao carnaval pudesse render frutos, a não ser que os Templos permanecessem abertos somente com Obreiros Consagrados para a seguinte missão:
    Receber os necessitados de socorro espiritual, mesmo vindo do carnaval, libertando-os do engano de satanás, acolhendo-os ao Corpo de Cristo, com a pregação do Evangelho da Graça.
    Na esperança que o meu comentário, venha contribuir para este assunto um pouco polêmico. Gostaria que o irmão comentasse em seguida, dando a sua opinião, no sentido de pontos positivos e/ou negativos da minha exposição sobre o assunto em questão. E assim, ambos poderíamos Crescer na Graça e no Conhecimento do Senhor Jesus Cristo.

    Um abraço do Discípulo de Cristo.

    Ao irmão Hermes "Apolo".

    Paz Seja Contigo!!!

    ResponderExcluir
  9. Anônimo5:44 AM

    Duvido se vc, não vai se retirar da cidade!!!!!!!!!!!!Hipócritassssss

    ResponderExcluir
  10. Insisto mais uma vez, ao irmão Hermes Fernandes, para que responda o comentário que postei sobre Evangelismo no Carnaval. Até para que alheios, sem serem convidados, não opinem de forma anônima e covarde.
    Sugiro a visita ao meu blog, assim como eu visitei o blog do irmão.

    http://discipulodecristo7.blogspot.com/

    http://frutodoespirito9.blogspot.com/

    ***Shalom***

    ResponderExcluir
  11. Esta deveria ser a visão da Igreja.... Muitos como o J.C de Araújo criticam sem conhecer e usam desculpas para tentar minimizar a culpa de sua própria consciência de estar indo para um retiro brincar "85%" do tempo... É lindo poder presenciar pessoas conhecendo à Jesus nesses impactos, a igreja é hospital não deve fechar nunca...

    ResponderExcluir
  12. Obrigado pelo comentário no meu BLOG.

    Sinceramente ja fazia um tempo que eu não postava nada lá, mas agora vejo diferente, ja que não podemos fazer todas as coisas que queremos pra tornar nosso "mundo" o melhor possivel, podemos ao menos expressar nossas ideias e opiniões.
    Vejo que Deus pode usar as pessoas de diversas formas: cantando, pregando, trabalhando em missões, e nós ele usa escrevendo.
    Sinceramente eu ja não tava postando mais nada la.. e hoje eu tava pensando em deletar o Blog, mas antes disso li a sua mensagem e vi que Deus é extremamente grande e não sabemos qual o seu proposito em nossas vidas e assim como você leu minhas mensagens, outras pessoas também poderão ler um dia, e Deus fará o resto.

    Deus abençoe.

    Fernando.

    guerreiros-voemaisalto.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Gordom6:57 AM

    O apóstolo Paulo ia onde os cristãos não iam, para guanhar almas.
    É nesta época que as pessoas precisam mais de Jesus Cristo, e é a oportunidade de falar de Jesus Cristo que é a Verdadeira alegria e paz e o melhor, a salvação do homem que o levará a vida eterna.
    Paulo diz que fez de fraco com os fracos, para guanha-los para Cristo.
    Quem é de Deus não se mistura com as paixões do mundo, mas prega o evangelho onde quer que for, não se contaminam, pois o Espírito de Deus está sobre ele com autoridade e poder.
    Eis aí a oportunidade do carnaval para guanhar almas.
    Meu irmão morno, ou fraco no evangelho, nã vá a estes lugares, deixem os linha de frente do evangelho ir pois estão preparados para os ataques de Satanás.
    Bispo Hermes, é uma boa causa esta ídeia sua.
    Temos que ir ao poço para buscar os perdidos.

    ResponderExcluir
  14. Anônimo11:04 AM

    COncordo plenamente!! Somos a luz do mundo!! O que aconteceria se a luz fugisse das trevas?? Temos a maior responsabilidade de estar com os braços abertos para receber os que necessitam de algo maior que uma festa, mãos estendidas para levantar o que está caido no meio da lama...!!

    ResponderExcluir
  15. Hermes, papel da igreja no carnaval? O que eu vi foi diferente, e, é este aí que segue:
    Nas igrejas de parede, as chamadas instituições financeiras lucrativas e milionárias, o negocio é agradar o homem, e não a Deus!
    Pois é meu caro! A Igreja Batista Gestsêmani em BH M.G, ano passado e no ano retrasado fez um carnaval chamado de gospel em sua sede campestre, isto mesmo, a igreja tem um clube de lazer com piscina, campo de futebol etc etc etc para os pastores e membros.
    E este carnaval chamou de carnaval gospel, com fantasias e tudo.
    OBS: Gospel só para despistar! Foi uma carnalidade total!
    A carnalidade estava igualzinho a do carnaval do mundo, só não teve samba e mulher pelada, mas teve o pior, as terríveis músicas gospel na clima de carnaval e fazendo trenzinho um atrás do outro, e marcha de carnaval ao som gospel, tudo estava eloquente! E nojento! Homens e mulheres "crentes" igualzinho aos do mundão, ou seja: piores, pois as pessoas do mundo sem Jesus não vê quem está por de trás de um carnaval que é trevas, pois são do mundo e isto é normal para eles.
    Pergunto: Como que as igrejas vão a estes lugares se estão enfermas, doentes espiritual! E dormem o sono da mornidão da fé espiritual.
    De igreja de tijolos eu não confiou, e não espero resultado não!
    Mas dos fiéis cristão que não contaminam com o mundo e seus prazeres, este eu confiou, pois sei que irá levar as boas novas de salvação em Jesus Cristo.
    Será poucos os que vão ao ataque contra Satanás, mas a Palavra de Deus que será semeada vai trazer salvação e vida eterna para alguém, isto eu sei que vai! A Palavra de Deus semeada não vota fazia sempre há arrependimento e salvação de homens pecadores.
    Hermes vc faz carnaval gospel em sua igreja? Sem critica que pergunto ok?
    Sei que não faz, pois es um homem de Deus e sabe que prestará conta a Deus de tudo que fazer nesta terra.
    E vc sabe por seu um líder pastoral o peso será maior em sua vida!
    Acho melhor, e quem quiser evangelizar, vá para as igrejas e seus retiros espirituais, lá é eles precisam Verdadeiramente de libertação, e voltar a retidão.
    No mundo já tem pessoas, cristãos Verdadeiros fazendo isto!
    Estão evangelizando em todos os lugares sem ter medo da perseguição e da morte, que pode vir por amor a Jesus Cristo e sua Palavra de salvação e vida eterna.

    ResponderExcluir
  16. Sempre vi 'Retiro' como uma espécie de covardia...tanto é assim que kardecistas e católicos também o fazem,pois é preciso de revestimento do Espírito para poder ficar em meio às festas...

    ResponderExcluir
  17. Hermes para completar o comentário do J.C aí vou dizer mais ok?
    Falo e povo que falei ok?
    Hermes, a Igreja Batista da Lagoinha em BH M.G, fez uma escola de samba e vai desfilar no carnaval na avenida junto com as escolas de samba do mundo.
    Os seus líderes disseram que é para evangelizar, dá para ser feliz com isto? dá? É por isto Hermes que a igreja do Deus vivo está enferma.
    Doente querendo curar doente.
    Estou vendo a cena das irmãs com fio dental sambando e pregando o evangelho, que safadeza é isto.
    As Igrejas de hoje poderiam entrar na lista de Jesus: Às Sete Igrejas do Apocalipse.

    ResponderExcluir
  18. Anônimo8:29 PM

    Esses retiros deveriam acabar, se querem promover algo que promovam mas nas igrejas. Para a juventude promovam louvorzão.

    ResponderExcluir
  19. Imagino os soldados em guerra, preparados, revestidos com armas poderosas e lutando por uma causa justa, digamos contra o terceiro Reich, o inimigo está atacando com toda sua força, aí entra o medo a covardia e o líder diz:Vamos nos retirar, porque o inimigo é forte e poderoso.
    Assim todos os soldados largam sua armas e saem em retirada deixando tudo nas mãos do Adversário, o espaço, os feridos, os necessitados e toda ordem.
    Não acho uma boa idéia, aceitamos a Cristo para morrer por Ele.

    ResponderExcluir
  20. "- Irmãos, não nos esqueçamos de que somos o sal da terra e a luz do mundo. Se no momento de maior trevas nos retirarmos, o que será desta cidade? Por que a entregaríamos ao controle das hostes espirituais das trevas? Definitivamente, nosso lugar é aqui."

    Não adianta cobrar a Igreja no carnaval, e ficar do lado das hostes espirituais das trevas que incentivam o aborto, doutrinação de ideologias estranhas nas escolas, do lado das roubalheiras do partido dessas ideologias, entre outras bizarrices, e ainda por cima sempre tentando distorcer a Palavra. Esses jovens, com todos esses ataques ideológicos e ainda com apoiadores de dentro da igreja não estariam prontos pra cair na folia e não cair. Infelizmente vivemos tempos de trevas generalizada, e em época de carnavais ainda mais, nada melhor que os jovens se retirarem mesmo!

    ResponderExcluir