sexta-feira, maio 20, 2016

36

A nada santa indignação seletiva de Ana Paula Valadão e o boicote à C&A



Por Hermes C. Fernandes

Depois que o Malafaia propôs que seus fiéis boicotassem os produtos da Boticário, o Feliciano sugeriu o boicote à Natura, chega a vez da pastora e cantora Ana Paula Valadão utilizar sua influência no mundo gospel para pedir que seus fãs boicotem as lojas C&A. De acordo com a pastora mineira, a última campanha publicitária da rede seria um acinte à família e aos valores cristãos, sugerindo que sua verdadeira intenção seria propagar o que ela chama de “ideologia de gênero”.

Do ponto de vista publicitário, a peça é belíssima. Locação e fotografia impecáveis. Fala-se, nas entrelinhas, da igualdade de gênero e de liberdade de escolha, valores cada vez mais caros à sociedade ocidental. Porém, Ana Paula não vê outra coisa que não seja a disseminação de tudo o que é contrário à sua fé. Ela sugere aos fiéis que promovam um boicote semelhante ao que os evangélicos americanos fizeram à rede de lojas de departamento Target, rendendo-lhe um histórico prejuízo.

De acordo com alguns sites dedicados ao público evangélico, o que teria motivado a cantora seria vingança, pois a C&A teria se recusado a contratá-la como garota propaganda, depois que ela pediu de cachê uma bagatela de três milhões de reais.

Interesses comerciais à parte, o que incomodou aos evangélicos mais conscientes foi o falso moralismo proposto pela campanha. O que deveria chocar e causar o que ela chamou de “santa indignação” não são homens usando roupas femininas ou vice-versa. Em momento algum, Ana Paula mencionou o recente escândalo em que a loja se envolveu relacionado ao uso de mão de obra de escrava. Em sua visão religiosa tacanha, deve-se boicotar a loja por estimular a permissividade, a sem-vergonhice, a nudez despudorada. Por que deveríamos nos importar com trabalho escravo? Por que ficar chocado com gente amontoada em oficinas clandestinas, incluindo imigrantes ilegais e até crianças? A julgar pelo perfil que os evangelhos traçam de Jesus, com o que ele realmente se importaria? Com um comercial que promove mais do que simplesmente consumismo ou com a exploração e a opressão a que são submetidas centenas e até milhares de pessoas em confecções que abastecem as grandes lojas de departamento como a Zara e a própria C&A? Isso sim é imoral. Isso que deveria nos causar indignação (não precisava nem ser santa!), independentemente de credo. Mas, pelo jeito, a indignação da cantora, além de não ser nada santa, também é seletiva. 

Enquanto prevalecer tal mentalidade pudica entre boa parte dos evangélicos, dar-se-á muito mais importância à sexualidade alheia do que ao sofrimento alheio. De que adianta ser bela, recatada e do lar e perder o bonde da história, mergulhada em alienação? 

De que adianta aparecer de avental e colher de pau nas redes sociais em apoio à primeira-dama interina do país, mas não ter senso crítico social? 

Já passou da hora de parar de coar mosquitos enquanto ficamos com dromedários atravessados na garganta. Menos falso moralismo e mais consciência social. Menos farisaísmo e mais solidariedade. Menos boicotes revanchistas e mais consumo consciente. Menos rancor e mais, bem mais amor.

Uma última sugestão para Ana Paula e seu séquito: Que tal nos preocuparmos menos com homens vestidos de mulher ou vice-versa e nos preocuparmos mais com lobos vestidos em pele de cordeiro?

36 comentários:

  1. O que seria uma indignação santa?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo2:56 PM

      Pergunte a Ana Paula Valadão. Foi ela quem disse estar com a santa indignação.

      Excluir
  2. Sou imensamente grato por Deus dar sabedoria e discernimento aos seus servos. Esse pensamento retrógrado de alguns que ainda vivem em seus próprios velhos testamentos e não sabem viver em um mundo evoluído.

    ResponderExcluir
  3. Anônimo9:59 AM

    Biscateira e vendida, contra a população!!!

    ResponderExcluir
  4. Anônimo2:01 PM

    Eu proponho a um boicote aos produtos desta pseuda-pastora que vive pregando o preconceito À diversidade.

    ResponderExcluir
  5. Tem que boicotar sim. O comercial e mal intencionado sim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mal intencionado são os que tentam impor um credo as outras pessoas usando argumentos cheios de alegorias bíblicas para disfarçar o falso moralismo.
      Não passam de sepulcros caiados.

      Excluir
  6. Anônimo2:15 PM

    Amei o texto. Gostaria de saber se esse filtro da pastora se estende também às grifes de luxo com as quais ela e familiares de vestem.

    ResponderExcluir
  7. Tem que boicotar sim. O comercial e mal intencionado sim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não assista, mude de canal...

      Excluir
    2. se voces são santos estão fazendo o que aqui na terra bando de desocupados usando com sempre o nome de jeus em vão voce a dão nojo cada um tem que fica na sua deus e de todos queira voces queira ou não

      Excluir
    3. Anônimo2:57 PM

      Se seguirmos a orientação de Ana Paula Vailadrão precisaremos, além da C&A, boicotar a Boticário, a Microsoft, a Aplle, a Dell, o Facebook, o Google, o Youtube, o Itaú, a Motorola, Amazon, Coca-Cola, Nike, Unilever, Halls, Walmart, Ponto Frio, Spotify, Disney,Gol, Burger King, Toyota, Levi's, entre outras que também apoiam a causa gay.

      Excluir
  8. Parabéns, finalmente um pensador consciente entre os evangélicos....

    ResponderExcluir
  9. Numa sociedade permissivista, liberal,é quase que impossivel para ela enxergar valores fundamentais que prezam pela dignidade e constituição familiar. Tudo é permitido, aceito, pois segundo ela somos influenciados e devemos aceitar suas prerrogativas subversivas.

    ResponderExcluir
  10. Parabéns pelo texto/matéria!!!
    O certo e o errado é muito singular...as ideologias de um Ser nao pode ser empurrada goela abaixo de outros.
    Viva a liberdade de ser o que te faz feliz,e a Deus eu busco e sirvo por amor,não por medo de ir pro inferno.

    ResponderExcluir
  11. Um simples propaganda não influenciam o meu ser em relação a minha sexualidade!Talvez surgeriu o "boicote " pq não teve o que queria seus 3milhões...Aquilo que não me convém não me agrada.Parabéns só assim se descobre os verdadeiros sentimentos e pensamentos.

    ResponderExcluir
  12. Há perversidade no modo como os tais "evangélicos" lidam com as coisas do mundo. Não concordo e nem aceito o trabalho escravo que as confecções tratam seus trabalhadores. Já fui costureira e já sofri horrores por não dar conta de entregar um produto a tempo. Quanto a Ana Valadão...tds podem ver e sentir que Deus não tem nada a ver com isso. Mesmo porque, Ele o Senhor,tem coisa mais importante pra fazer e pensar do que se preocupar com mesquinharia de Gospel famoso.

    ResponderExcluir
  13. Anônimo1:08 PM

    Não entendo por que alguns insistem em se preocuparem com a vida particular das pessoas, com a sexualidade dos outros. Façam a sua parte, o resto é cada um com Deus, ou será que a preocupação não bem intencionada mesmo?

    ResponderExcluir
  14. Descordo , acho válido o que Ana expõe, querem nos enfiar guela abaixo e a força, crermos em igualdade de gênero, distruir a familia, dar opção de vc decidir se ao crescer o que quer ser... homem ou mulher? Ai a pergunda:
    O que você quer ser quando crescer? Vai querer ser homem ou mulher?
    Tipo isso, deixarmos pra decidir quando quisermos, o papel de Deus não terá mais sentido algum, infelizmente querem destruir a familia.
    E o que importa é o poder, o dinheiro, não respeitam mais ninguém, e querem que fiquemos calados, vamos sim promover a família.
    O que a mídia faz neste momento, é colocar na cabeça de nossas crianças a perversão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo6:30 PM

      Amiga, não viaje. Você só reproduz discursos religiosos sem se dar conta disto. Os únicos indivíduos capazes de destruir a tua família são você e quem mais fizer parte dela. Inveja, ciúme, ganância e outros frutos da carne são mais nocivos que uma propaganda para este fim. Não gostou da propaganda? O controle remoto basta; ou não compre nenhuma peça dessa coleção. A escolha é sua. Mas fazer disto a causa das causas para a promoção do Reino... menos, bem menos.

      Excluir
  15. Anônimo2:55 PM

    Boicotar sim

    ResponderExcluir
  16. Bherta2:56 PM

    Concordo com Ana

    ResponderExcluir
  17. Anônimo3:39 PM

    se procede o que o pensador falou eu estou extremamente decepcionada com Ana Paula que avarenta ....

    ResponderExcluir
  18. Anônimo4:52 PM

    Não estamos aqui para condenar! Mas para amar! O modelo de Cristo demonstrou que a humildade e o amor prevalecem sobre qualquer coisa! Na medida que julgarmos, seremos julgados! Amar sempre!!!!!

    ResponderExcluir
  19. Anônimo5:03 PM

    Não sei porque essa senhora de idade já tão avançada ainda se preocupa com isso já que graças a fé alheia ela só usa gucci , Armani , prada e confecções especialmente feitas para ela sobre medida . Não entendi porque tamanha a preocupação dela . Mas que Deus tenha piedade da vida dela e Da família dela . Amém .

    ResponderExcluir
  20. Anônimo5:31 PM

    Hernandes aproveita o comentario dos ultimos paragrafos e se inclua neles e principalmente "lobo em pele de cordeiro".

    ResponderExcluir
  21. Infelizmente nem tudo que postam na rede é verdade,mas se isso realmente é verdade, a pastora Ana Paula tem que aprender a não usar da sua influência no meio evangélico para persuadir as pessoas porque ela não foi contratada pelas lojas CA.Entendo também que os evangélicos não podem agir como cavalos que tem suas ferraduras e são guiadas por alguém.

    ResponderExcluir
  22. Anônimo8:24 PM

    ASSUSTEM-SE:faltou informar a loja da beldade Valadão que vende ouro e jóias pelo olho da cara "MAS SÃO JÓIAS DE JESUS" confira: http://darajoias.com.br/diantedotrono/

    ResponderExcluir
  23. Anônimo9:41 PM

    Sua opinião é válida, mas deveria ter guardado pra vc. Uma vez q vc faz um post e abre uma brexa para outras pessoas ofenderem e atacarem a Ana Paula, não se faz muito diferente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Usando o seu argumento: Ana Paula deveria guardar a opinião dela pra ela também. Uma vez que abre brecha para as pessoas agirem de modo preconceituoso.

      Excluir
  24. Sua visão é tacanha como a dela, só que de lado diferente. Um erro não anula o outro, ou seja, se não houve preocupação social da parte dela, nao sabemos os motivos mas é tacanha tbm sua insinuação de que tenha sido pelos 3 milhões, tampouco houve sua preocupação com a ideologia que tenta ser imposta goela abaixo através de uma visão errada do ser humano, essa ideologia que diz que pessoas podem escolher sua sexualidade. Visão errada pelos parâmetros bíblicos, já que vc tenta usar Cristo e o evangelho para apoiar seu pensamento. Sua visão é tão tacanha como a dela.

    ResponderExcluir
  25. Faço minhas as palavras do Alexandre Siqueira. Sua visão também é seletiva. Não existe o "mais com" e "menos com" para nos preocuparmos e a Ana Paula não teria a obrigação de levantar várias pautas para se posicionar contra a clara proliferação industrial da ideologia de gênero por parte da marca como sendo a realidade familiar global e a ser incutida no pensamento humano brasileiro como verdade insofismável que nem a Escritura pode negar. Ela pode não ter mesmo a capacidade de se informar mais e melhor quanto a diversas pautas que devem causar indignação a todos os cristãos, inclusive as que o senhor levantou (mas tem muitas outras), só que, obrigação para reunir tudo numa publicação em rede social é querer exigir do outro aquilo que nem nós procuramos fazer.

    Agora o mais patético do texto é citar sites de especulação duvidosos-em-si que sugerem que ela tenha alguma questão moralmente pervertida de grana envolvida para fazer tal ataque contra a empresa. Se não há provas, tanto os sites quanto o senhor são passivos de processo jurídico e incorrem no sério risco de sofrer prejuízo pela falta de verificação para trazer a público (a fim de fomentar o próprio discurso crítico e/ou informativo, para o caso dos sites) uma informação especulativa e tendenciosa, caso realmente não hajam as provas para afirmar o que afirmou-se.

    Agora, com uma coisa tenho de concordar e é por onde o senhor mais trabalhou no texto: é amplamente desnecessário e imaturo todo e qualquer manejo do público para a realização de boicotes. Nós vencemos as lutas com outras armas.

    ResponderExcluir
  26. Anônimo9:47 AM

    Os preconceituosos mudarão seus conceitos somente quando tiverem filhos na mesma situação. Torço para que isso aconteça, melhorarão como seres humanos.

    ResponderExcluir
  27. Hermes Carvalho Fernandes seu currículo pode até ser rico, mas sua insensatez o degenera.

    ResponderExcluir