terça-feira, janeiro 10, 2017

17

PERIGO: Pastores Psicopatas



Por Hermes C. Fernandes

Uma das profissões que mais atraem psicopatas é a de pastor. Pelo menos, segundo os estudos do psicólogo Kevin Dutton, autor do livro “A Sabedoria dos Psicopadas: O que santos, espiões e assassinos em série podem nos ensinar sobre o sucesso”. Dutton conta que psicopatas nem sempre são pessoas conturbadas como muitos acreditam. “Quando psicólogos falam sobre o termo psicopatia, eles se referem às pessoas que têm um conjunto distinto de características de personalidade, que incluem itens como destemor, crueldade, capacidade de persuasão e falta de consciência e empatia”.

Geralmente, os psicopatas são dotados de charme, simpatia, carisma, capazes de impressionar e cativar qualquer pessoa com invejável destreza. Ninguém imagina que por trás de seu jeito educado, inofensivo e gentil se esconde alguém desprovido de consciência, capaz de atitudes cruéis e desumanas.

Um pastor psicopata assume uma personagem performática quando sobe ao púlpito. É capaz de encenar os papéis mais dramáticos como se estivesse num teatro. Em questão de segundos, transita entre a tragédia e a comédia, provocando lágrimas e gargalhadas com a mesma desenvoltura. Mas tudo não passa de fachada para disfarçar sua astúcia.

Não se trata de um louco varrido, mas de alguém que vive na fronteira entre a sanidade e a loucura, mas sem perder o controle. 

Suas maiores habilidades são mentir, enganar, ludibriar, trair, sem sequer sentir-se culpado ou envergonhado. Trapaceiam, difamam, traem, abusam de autoridade, roubam, e sentem-se confortáveis com isso. A única coisa que não admitem é serem desmascarados. Não pela vergonha que passariam, mas porque isso os impediria de continuar enganando.

Cinicamente, se aproveitam da dor alheia para se locupletar. São verdadeiros predadores soltos na
sociedade à procura de pessoas vulneráveis que caiam em sua lábia.

Psicopatas gostam de ser o centro das atenções. Por isso, sempre buscam oportunidade para roubar a cena. Querem estar em evidência a qualquer custo. Ainda que isso custe o sofrimento de outros.

Algumas das principais características do psicopata são:

 1 – Carisma : Tem facilidade em lidar com as palavras e convencer pessoas vulneráveis. Por isso, torna-se líder com frequência. Seja na política, na igreja, no trabalho ou até na cadeia.

2 – Inteligência : O QI costuma ser maior que o da média: alguns conseguem passar por médico ou advogado sem nunca ter acabado estudado para isso.

3 – Ausência de culpa : Não se arrepende nem tem dor na consciência. É mestre em botar a culpa nos outros por qualquer coisa. Tem certeza que nunca erra.

4 – Vanglória: Vive com a cabeça nas nuvens. Mesmo que a sua situação seja de total miséria, ele só fala de suas supostas glórias. É do tipo que come sardinha e arrota caviar.

5 – Habilidade para mentir : Não vê diferença entre sinceridade e falsidade. É capaz de contar qualquer lorota como se fosse a verdade mais cristalina. Algumas vezes acredita em sua própria mentira.

6 – Egoísmo : Faz suas próprias leis. Não entende o que significa “bem comum”. Se estiver tudo bem para ele, não interessa como está o resto do mundo.

7 – Frieza : Não reage com sinceridade ao ver alguém chorando ou sofrendo.

8 – Parasitismo :  Quando consegue a amizade de alguém, suga até a medula.

Infelizmente, algumas destas características têm sido fartamente encontradas em líderes religiosos, vitimando milhares de pessoas com suas artimanhas.

Os pastores psicopatas se apresentam como líderes atenciosos, polidos, cheios de amor, porém, sua intenção é a pior possível. Por fora, sempre impecavelmente vestidos, beirando ao narcisismo. Por dentro, um trapo imundo. Por trás de seu carisma sedutor, um mentiroso contumaz, um manipulador calculista. Sempre agem prevendo a reação de quem pretendem vitimar. Para eles, a vida não passa de um tabuleiro de xadrez. Se alguém se puser em seu caminho, passam como rolo compressor, sem dó nem piedade.

Quem os vê chorar em suas performances de púlpito, não imaginam o ser frio que se esconde por trás daquela capa. Se flagrados, jogam com as palavras e os gestos para tentar inverter o jogo a seu favor. Sabem como se passar de vítima sem deixar rastro. Estão sempre cercados de cúmplices que se deixam ludibriar por seus convincentes argumentos, sendo capazes de colocar sua mão no fogo por seus líderes.

Cerque-se de todos os cuidados necessários. E não seja negligente com a sua família e aqueles a quem você ama. Todos podem estar correndo perigo. Ninguém jamais imaginou que Jim Jones fosse um psicopata que levaria mais de 900 fiéis ao suicídio de uma só vez. Portanto, antes de submeter-se a uma liderança, verifique seu histórico. Veja se tem o respaldo de sua família. Se não é adepto do emocionalismo barato e manipulador. 

Uma palavra aos líderes: seja prudente e não se precipite em ordenar alguém ao ministério. Observe-o exaustivamente. Verifique sua conduta em casa e fora da igreja. Cuidado para não colocar uma bomba relógio em posição de liderança na igreja. As estatísticas dizem que um em cada 25 brasileiros se enquadra neste perfil psicológico. Então, não custa nada redobrar a vigilância.

Aviso aos pais: adolescentes são sempre mais vulneráveis a este tipo de liderança extremamente carismática, mas sem escrúpulo e compromisso com a ética. Procure saber a quem seus filhos estão seguindo. Há casos em que pastores jogam os filhos contra os pais, exigindo deles absoluta obediência.

Não seja cúmplice de um pastor psicopata. Se verdadeiramente se importar com ele e seu séquito, tente convencê-lo a buscar ajuda psicológica. Se ele se recusar, denuncie-o. Antes que seja tarde demais.

17 comentários:

  1. Madou bem. E olha que tem muitos desses soltos por ai!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Eu conheço uma penca. Diria que é o caso de 50%, rs.

    ResponderExcluir
  3. NOSSA FIQUEI IMPRESSIONADA COM SUA REPORTAGEM!PARABENS!

    ResponderExcluir
  4. Muito bom o texto, que o Senhor continue te abençoando cada dia mais.

    ResponderExcluir
  5. Amigo, excelente texto! Sugeria apenas a mudança do título para líderes psicopatas, pois é perfeitamente adequado a qualquer mau tipo de liderança. Abraço!

    ResponderExcluir
  6. Amigo, Gostei do texto. Sugeria a mudança do título para líderes psicopatas, pois o texto é perfeitamente adequado a qualquer mau lider, seja de qualquer área: política, econômica, social. Abraço!

    ResponderExcluir
  7. concordo que existem pastores psicopatas, assim como padres,como médicos e qualquer um ser que viva neste mundo tão insano, ao qual a sociedade pede socorro de alguma forma e acaba caindo na mão de muitos lobos por ae, uma sociedade ao qual os menores gemem e os maiores "estupram" sem dó nem piedade...acho que devemos sempre analisar cada situação com cuidado e avaliar as características de cada um para não cair em armadilhas, mas o melhor mesmo, é ser guardado por Deus; pois quando estamos debaixo de suas asas ele nos livra dos laços do passarinheiro...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Temos que andar constantemente em discernimento, Apesar que algumas características postadas não refletem uma anomalia psicológica, carisma e inteligência, por exemplo, vc possui. Devo ficar com medo?

      Excluir
  8. Edvaldo Fernandes5:23 PM

    Realmente... a profissão de pastor está bastante cotada hoje em dia.
    Deve ser pelo salário bastante atrativo, além das despesas pagas, viagens "em nome do ministério" entre outras arregalias.
    É um prato cheio para extelionatários, pois a igreja não é obrigada a pagar impostos sobre serviços, e as ofertas e dízimos não são tributáveis, e ainda que exista alguém que recorra na justiça, a igreja prova que foi "uma oferta voluntária"...

    Santo Deus... que desgraça nos fizemos...

    ResponderExcluir
  9. Fez me lembrar de Mateus 7:22 :


    Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitas maravilhas?
    23 E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de Mim, vós que praticais a iniqüidade .

    ResponderExcluir
  10. Não se arrepende nem tem dor na consciência. É mestre em botar a culpa nos outros por qualquer coisa. Tem certeza que nunca erra.


    Então , eu penso que no arrependimento sincero é que há transformação. Mas se a pessoa não se arrepende , não sente remorso , como é que fica? Somente um "impacto espiritual l" muito forte para "despertar" essas pessoas , abrir seus olhos espirituais e enxergarem a situação em que se encontram . Oremos por nós , pelos nossos, por toda a humanidade.

    ResponderExcluir
  11. Anônimo2:15 AM

    Eu conheci um que quase me levou a loucura. Ele plantou em mim a insegurança, o medo, a incerteza e quase mesmo perdi a fé. Pastor, até hojetenho esses sintomas que citei. a insegurança me acompanha sempre. Odeio igreja pentecostal.

    ResponderExcluir
  12. Caro Hermes.

    Um trecho do ensaio - "O Poder Neurotizante dos Líderes Religiosos de Massas", que postei há seis anos no blog "Ensaios&Prosas" que aqui replico, tem tudo a ver com o tema aqui abordado:

    “O líder religioso de massas “ama” aos seus seguidores ou comandados, e, em resposta, os fiéis “amam-se” como irmãos na fé. A importância do líder está em ocupar esse lugar à frente da multidão de servos que o veem como mestre (a quem entregam o comando de suas vidas). Foi assim, que os Alemães abdicando de suas próprias consciências, entregaram-se de corpo e alma à sanha do seu sanguinário e neurótico líder (Hitler), o qual via no povo Judeu a encarnação do próprio diabo.
    Há grupos religiosos que mantém uma estreita dialética com o seu líder, da seguinte forma: cada indivíduo permite o aumento de sua submissão à emoção transmitida pelo pastor; ao mesmo tempo, experimenta a diminuição no controle da razão. E isso se dá por “sugestão”, que é confundida com manifestação do poder Divino. O Pastor ou líder carismático, diante das massas, se comporta como um hipnotizador, e pela sugestionabilidade permite o afrouxamento dos impulsos instituais do grupo. O que se vê então são fenômenos arcaicos aflorando através das mais bizarras reações, fenômenos esses, que estariam reprimidos há muitos anos num grande e oculto porão chamado “Inconsciente”.

    O magnético líder religioso revestido de “todo poder” atribuído a Deus, cuida de desenvolver estratégias de sedução e de defesas, impondo ao homem as suas pretensas “verdades eternas”. O fiel como receptáculo da energia exalada de seu chefe espiritual, encontra o seu gozo ao identificar-se com a “alegria” ou sintomas neuróticos do seu comandante”.

    ResponderExcluir
  13. Anônimo6:15 PM

    Hermes eu não vejo pastores psicopatas não, eu vejo é pastores avarentos, egoístas, amantes de si mesmos, amigos do prazer do que amigo de Deus, mercadores da fé.
    o negocio é $$$$$$$$$ e só.
    Maranata Jesus Cristo de Nazaré.

    ResponderExcluir
  14. Anônimo8:56 AM

    Bom dia
    Que Deus continue iluminando sua vida.

    Servilho de Cristo

    ResponderExcluir
  15. Morgana11:52 PM

    Recomendo às minhas manas daqui:
    Cuidado com os caras que vcs conhecem, principalmente em apps de relacionamento. Psicopatas passam desapercebidos, têm uma lábia ótima e demonstram ser o tão sonhado príncipe.

    ResponderExcluir