terça-feira, julho 26, 2016

4

O inventário do amor - O que lhe falta para ser feliz?




Por Hermes C. Fernandes

Os pombinhos estavam em lua-de-mel. Sua felicidade parecia não ter fim. Pareciam feitos um para o outro. Mas perto dali, o pai da noiva não se conformava. A armadilha falhara. Os filisteus não deram conta de eliminar a Davi. Algo teria que ser feito. Não dava para conviver com aquele pastorzinho metido a herói debaixo do mesmo teto. Cruzar com ele pelos corredores do palácio era insuportável.

Saul estava decidido. Não passaria daquela noite. Soldados foram colocados de prontidão para vigiar o casalzinho. Enquanto dormissem, Davi deveria ser assassinado. A notícia vaza. Mical sabe da intenção do seu malévolo pai e está decidida a impedir o seu desatino.
- Davi, fuja daqui. Saia pela janela, antes que meu pai te mate.
Enquanto seu esposo busca um jeito de saltar da janela sem ser notado pelos soldados, Mical põe uma estátua deitada em seu lugar sob as cobertas. Quando os mensageiros do seu pai chegam, Davi já não estava ali. Mical diz que ele está doente. Mas Saul não aceita a desculpa e manda trazê-lo mesmo enfermo para que o mate com as próprias mãos.

Por que tanto ódio? Simplesmente porque Davi agora era amado não apenas pelo povo, mas por sua própria filha, e ainda por cima, pelo próprio Deus. Mais do que nunca, ele teria que ser eliminado.

Da segunda vez que os mensageiros entram nos aposentos de Mical, percebem que foram enganados. Davi não estava lá. Quando Saul soube, ficou profundamente desapontado com sua filha.
- Por que me enganaste? Você o prefere a mim? Não sabe que ele ameaça a estabilidade do meu reino?
Tentando consolar seu pai, Mical afirma ter sido coagida por Davi, sendo ameaçada de morte. Se ela demonstrasse estar a favor de Davi, correria risco de ser assassinada pelo próprio pai, tamanha era sua fúria.

Agora Mical estava quite com Davi. Se para desposá-la ele teve que expor sua vida como pagamento do dote, para salvá-lo, ela igualmente se expôs.

Durante o tempo em que esteve foragido, Davi casou-se com outras duas mulheres, a saber, com Aionã (cujo nome era o mesmo de sua sogra, esposa de Saul) e com Abigail, viúva de Nabal. Mical, por sua vez, foi entregue por seu pai como mulher de Palti, filho de Laís.

O destino parece tê-los separado para sempre. O mundo deu suas voltas, e em uma delas, as coisas se reverteram. Saul morreu e Davi foi declarado o novo rei de Israel. Entre sua família e a de Saul manteve-se um clima de animosidade que duraria vários anos. O povo parecia estar dividido. Alguns partidários de Davi, e outros partidários de Saul.

No auge da crise, Davi recebe uma visita inusitada. Abner, general de Saul, procurou-o para fazer-lhe uma proposta de trégua. Se Davi o aceitasse em suas fileiras, Abner o tornaria unanimidade em Israel. Era uma oportunidade única. Todos respeitavam muito àquele veterano. Sua palavra tinha peso. Sua popularidade era inquestionável. Bastava que Davi dissesse ‘ok’ para a sua proposta, e Israel se tornaria novamente numa nação unida, sob a égide de uma única coroa. Porém, para a surpresa de todos, Davi apresenta uma contraproposta.
“E disse Davi: Bem, eu farei aliança contigo, porém uma coisa te peço: não verás a minha face, se primeiro não me trouxeres a Mical, filha de Saul, quando vieres ver a minha face...” 2 Samuel 3:13 
O tempo vivido na caverna de Adulão não foi capaz de fazê-lo esquecer aquela que lhe havia custado tão precioso dote, e que salvou a sua vida quando seu pai intentava matá-lo. Nem mesmo Abigail, mulher sensata e formosa, pôde substituí-la.

Ao receber a notícia de que seu amado a esperava, Mical deixou seu marido e saiu ao seu encontro. Este, inconsolado, foi à espreita, chorando e implorando para que ela voltasse, porém Mical não lhe deu ouvidos. Foi necessário que Abner lhe desse um “chega pra lá” para que ele fosse dissuadido de tentar impedi-la.


O amor de Davi por Mical serve-nos como analogia do amor de Cristo por Sua igreja. Cada um é insubstituível. Assim como Abigail não substituiu a Mical, novos membros não substituem os antigos. Todos são igualmente importantes, e tendo-lhe custado o mesmo preço de sangue.

Foi este Cristo teimoso de amor que foi em busca de Pedro, mesmo depois de lhe ter negado. Encontrou-o nu, pescando como da primeira vez, abençoou novamente a sua pesca, e por fim, perguntou-lhe por três vezes: Você me ama? Então cuida das minhas ovelhinhas.

A melhor declaração de amor que podemos fazer a Cristo é cuidando daqueles que tanto lhe custaram. Em vez de prepúcios, o sangue do próprio Deus. Bem fariam os líderes do rebanho de Deus se lessem atentamente a admoestação apostólica:
“Olhai, pois, por vós, e por todo o rebanho sobre que o Espírito Santo vos constituiu bispos, para apascentardes a igreja de Deus, que ele resgatou com seu próprio sangue.” Atos 20:28
O problema é que nos esquecemos que o rebanho é de Deus e não nosso. Por isso, pensamos que as pessoas são descartáveis ou substituíveis. Já ouvi pastores dizendo: Se vai um, vêm dois.

Não duvido que se Judas não houvesse se suicidado, Jesus fosse igualmente atrás dele (Por favor, não vamos entrar aqui em questões relacionadas à eleição e a soberania de Deus; a questão aqui é os cuidados de Deus).

Um dia teremos que prestar contas a Deus de cada ovelha que nos foi confiada. Pedro sabia disso desde o dia em que afirmou amar o Senhor.  Por isso, declarou com veemência:
“Apascentai o rebanho de Deus, que está entre vós, tendo cuidado dele, não por força, mas voluntariamente, não por torpe ganância, mas de boa vontade; não como dominadores, dos que vos foram confiados, mas servindo de exemplo ao rebanho. E, quando se manifestar o sumo Pastor, recebereis a imperecível coroa de glória.”  1 Pedro 5:2-4
O escritor de Hebreus complementa:
“Obedecei aos seus pastores e submetei-vos a eles. Eles cuidam de vós, como quem há de prestar contas.” Hebreus 13:17a
Não importa onde estivesse Mical, ela era mulher de Davi e deveria ser-lhe restituída.
Imagino que antes do encontro com Abner, Davi tenha feito uma espécie de inventário de tudo quanto possuía.
- Coroa. Ok.- Cetro. Ok.- Trono. Ok.- Servos. Ok.- Palácio. Ok.
Foi aí que ele percebeu que faltava algo. Seu reino não estaria completo, enquanto não tivesse ao seu lado aquela a quem tomara como mulher. Semelhantemente, no inventário feito pelo Bom Pastor, Seu rebanho não estará completo enquanto faltar a centésima ovelha.

Se deseja expressar seu amor por Jesus, deixe-se usar como um cajado em Suas cuidadosas mãos, estendido para resgatar ovelhas que se extraviaram e deixaram o Seu redil.

4 comentários:

  1. O problema foi a continuação dessa história, com Mical crescendo para cima de Davi quando este traz a Arca da Aliança de volta a Israel...

    ResponderExcluir
  2. Anônimo7:46 PM

    Obrigado pelas postagens, me banho sempre que posso e cada vez mais limpo enseio por mais instruções.

    ResponderExcluir
  3. A cada postagem, me certifico que és um Profeta de Deus, que com suas palavras, somos edificados no Amor e na Misericórdia de Cristo. Isto é Evangelho! Obrigado Bispo! Estás sempre em minhas orações.

    ResponderExcluir
  4. Adriana Barros Gonçalves11:53 PM

    Dificil e necessário ser resgatada pelo pastor. Obrigada Pastor.

    ResponderExcluir