segunda-feira, agosto 11, 2014

15

A vergonha dos pulpiteiros



Por Hermes C. Fernandes

É sempre a mesma novela. E do tipo que não vale a pena ver de novo. Chega ano eleitoral, e logo a igreja se vê assediada por candidatos em busca de votos. Geralmente, a crítica de quem não concorda com o engajamento político/partidário da igreja é dirigida aos candidatos e aos pastores. E de fato, chega a ser vergonhoso a maneira como nossos púlpitos têm sido profanados, e os votos das ovelhas negociados.

Mas há algo que passa despercebido por muitos. Quem estaria por trás dos bastidores de toda esta promiscuidade? Teríamos que inventar uma nomenclatura para designar o agente intermediário entre o púlpito e o palanque. Já que existe o marketeiro (profissional de marketing que conduz a campanha política), que tal chamarmos este elemento de “pulpiteiro”?

De onde surgem os pulpiteiros? Na maioria das vezes de dentro das próprias igrejas. Pode ser um obreiro, ou simplesmente um membro que pareça bem intencionado, que preocupado com o “de$envolvimento” da obra, trata de buscar recursos para incrementá-la.

O papo segue sempre a mesma linha.
- Pastor, nossa igreja precisa crescer, dar uma arrancada. E o senhor sabe… os irmãos aqui são pobres… Precisamos de recursos de fora. Por falar nisso, conheço um político muito boa praça que tem um coração aberto pra obra do Senhor. O que o senhor acha de trazê-lo aqui qualquer hora dessas? Ele até me falou que gostaria de patrocinar a laje do templo. O que o senhor me diz?
Imaginemos que o pastor seja um homem de bem, que não queira se vender. Ele poderia responder mais ou menos assim:
- Meu irmão, não queremos nos envolver com isso. Não acho legal ceder nosso púlpito a candidatos. Sabe como é… questão de princípios.
Daí, nosso pulpiteiro responde:
- Que isso, pastor? Deixa disso. Sabe aquela igreja ali na esquina? Veja como cresceu rapidamente de um tempo pra cá. Eles apoiaram o atual prefeito em sua candidatura, e ganharam um terreno pra construir o novo templo. Não adianta querer ser muito certinho. Além do mais, o irmão Fulano (já chamando o candidato de “irmão”) me confidenciou que gostaria muito de lhe dar um carro novo pra lhe ajudar na evangelização. Disse até que iria com o senhor na agência, e que o senhor poderia escolher o modelo que lhe agradasse. Isso é bênça, pastor! Aproveita. Todos os pastores desta área estão de carro novo, só o senhor com este fusquinha velho. As pessoas comentam… Tá pegando mal…
A partir daqui, a conversa toma outro rumo. Os votos das ovelhas são negociados em troca de instrumentos novos pra igreja, cargo no gabinete do político para o filho do pastor, e às vezes, uma oferta generosa, entregue discretamente no gabinete pastoral.

Ora, se o pastor ganha com isso, imagine quanto ganha o pulpiteiro?

É também ele quem orienta o candidato para não cometer gafes no púlpito. Dá dica de versículos bíblicos, ensina os jargões e trejeitos dos crentes, e até a orar. Não duvido que haja quem ensine candidatos a falar em línguas… Tudo para angariar a confiança e os votos dos irmãozinhos.

Alguns são tão insistentes que quando o pastor se recusa a ceder seu púlpito, chegam quase a implorar para que pelo menos apresente o candidato durante o culto, e que permita a panfletagem do lado de fora da igreja.

Há pulpiteiros que recebem do pastor plenos poderes para falar em seu nome. E aí o perigo redobra. Outros, mesmo não recebendo qualquer procuração, falam e negociam em nome da igreja.

A figura do pulpiteiro nos remete Geazi, o discípulo ganancioso de Eliseu.

Quando o profeta se recusou a receber os presentes de Naamã, Geazi ficou inconformado, e disse: “Meu senhor poupou a este siro Naamã, não aceitando o que ele trouze. Tão certo como vive o Senhor, hei de correr atrás dele, e obter alguma coisa” (2 Reis 5:20b).

Na concepção de Geazi, Eliseu havia passado um atestado de idiotice, simplesmente por não haver aceitado o que o general estrangeiro lhe oferecera. Assim são vistos os pastores que preferem manter-se distantes das campanhas eleitorais. Muitas vezes são recriminados pelos próprios membros da igreja.

Geazi conseguiu mais do que queria. Além dos bens que recebera de Naamã, foi contaminado com a lepra da qual o general havia sido curado. E de acordo com a palavra do profeta, aquela enfermidade se pegaria a ele e à sua descendência para sempre.

A pior de todas as lepras é a lepra ética. Homens corruptos geram filhos corrompidos.

Naamã não era corrupto. Ele sequer percebeu que estava sendo vítima da avareza de Geazi, que por sua vez, falava em nome do profeta sem o seu consentimento.

Pastores, tomem cuidado com os Geazis que rondam nossas igrejas. Talvez estejam usando seu nome para obter vantagens pra si. Não cedam seus púlpitos. Não o profanem, transformando-o em palanque. Não peçam voto pra ninguém. Não indiquem. Se quiserem manifestar sua opinião, façam fora do ambiente do templo. Mas não usem de suas prerrogativas como líderes para influenciar os crentes a votarem em seu candidato predileto. Isso não é ético. E chega mesmo a ser imoral.

Se um pulpiteiro lhe procurar, não ceda à pressão, não tente argumentar com ele, nem lhe dê esperança.

Faça as pazes com o seu travesseiro. Dê aos membros de sua igreja a oportunidade de exercerem sua cidadania livremente.

15 comentários:

  1. Graça e Paz Bispo é verdade vai chegando essa época de eleição o caso fica sério,não sabemos se estamos passando por uma igreja,ou um comício do candidato tal,louvo a Deus por termos um pastor que não empresta o pulpito da igreja para se fazer campanhas políticas,já chega na televisão,com a graça de Deus chegaremos ou teremos oquê Deus quiser que terenos ou chegaremos,não podemos achar que os homens podem dar o crescimento,só Deus pode fazer uma semente brotar e crescer,essa dee pulpiteiro pior é que existe muito,fica na paz.

    ResponderExcluir
  2. Hermes, tal diálogo entre o "pulpiteiro" e algum servo de Deus desavidado parece remeter a Gênesis 3.

    Parece que muitos pastores e líderes estão caindo nos encantos enganosos propostos pela "serpente", que é designada como "sagaz".

    Esquecem de que o político, na maioria das vezes, é aquele que com palavras esconde os pensamentos!

    Cuidado povo de Deus! Atenção! Púlpito não é palanque, é local sagrado para a exposição da palavra que liberta!

    ResponderExcluir
  3. A Paz do Senhor!

    Bispo, essa prática acontece com mais frequencia do que se pensa. Os politicos de hoje, mais ainda do que ontem, usam deste expediente para angariar votos. Em muitos casos são candidatos lançados pela própria congregação, e outros, são candidatos que oferecem favores para obter a simpatia da membresia e com isso mais votos.

    O diálogo do texto tem muita chance de ser a reprodução de um diálogo verdadeiro. Isto demonstra apenas a falta de conhecimento e, principalmente, e mais grave, a falta de temor a Deus. E assim como ficam impunes em muitos casos diante da justiça humana, creem que diante de Deus não fazem "nada de mais". Se justificam que é para o "bem da obra" [e do seu bolso]

    Nossa liderança é bem clara, e o pastor que desebodece é repreendido e advertido do erro que está cometendo. Nossa liderança Geral é bem taxativa a recomendação é: congreguem em um barraco de madeira ou pau-a-pique se for necessário, e até ao ar livre, mas não aceitem de jeito nenhum favor ou presentes de politicos e nunca, jamais ofereçam um pulpito para eles pisarem para falar de politica e candidatura.

    O povo tem memória curta e esquece que seu voto vale milhões, e mesmo assim, se vendem por favores que são direito legal deles e que eles mesmos pagam. Ou sejam, se vendem e são pagos com seu próprio dinheiro.

    Que Deus abra os olhos dos crentes, em cada igreja, para que essa prática seja estirpada do meio evangelico.

    Quem ama a Deus e tem temor não se vende.

    Vou reproduzir no PC@maral.

    Que Deus te abençoe!

    ResponderExcluir
  4. Josias9:18 AM

    Prezado Hermes,

    Gosto muito do seu blog, das suas pregações, mais uma coisa que me deixou muito triste foi ver que o Senhor também é adepto do BISPADO, porque ninguém quer ser mais pastor? qual o motivo a ser elevado a BISPO? se possível gostaria que o senhor me respondesse, porque quando eu descobri que o senhor tem este título, começei a duvidar das suas palavras,( do jeito subversivo de ser )e me entristeceu muito é algo relacional entend;: Edir Macêdo, Serra Vale, átila Brandão, Valdomiro, Estevão Hernandes e por aí vai.

    ResponderExcluir
  5. Barbosa9:47 AM

    Irmão HERMES,toda glória sejam dadas à JESUS CRISTO O SENHOR AMÉM?
    Meu irmão,já é de se esperar que as igrejas física,os pastores,bispos os púlpitos já estão contaminados com todo os tipos de pecados.
    Avareza,adultério,corrupção da Palavra de DEUS e etc.
    HERMES,vc mencionou o versículo de 2 Reis 2.20,gostaria de falar algo ok?
    O versículo diz: Então,Geazi,moço de Eliseu,homem de Deus,disse: Eis que meu senhor impediu a este siro Naamã que da sua mão se desse alguma coisa do que trazia;porém,tão certo como vive o SENHOR,que hei de correr atrás dele e tomar dele alguma coisa.
    HEI DE TOMAR DELE ALGUMA COISA.
    Geazi,servo de Eliseu,tinha um coração cobiçoso e,daí,intentou desvirtuar o ato gracioso de Deus,visando proveito próprio material. Nas suas transgreções,ele traiu Eliseu,mentiu a Naamã e a Eliseu e desonrou o nome de Deus. O Novo Testamento refere-se a pessoas semelhantes que mercadejam a Palavra de Deus ver 2 Coríntios
    2.17. Existem,infelizmente,obreiros pastores etc que procuram enriquecer e acumulam riquezas materiais através da proclamação do sangue derramado de Jesus Cristo,oferecendo salvação aos perdidos,cura aos enfermos,ou aconselhamento aos que estão em crise estando em pecado.
    Os tais se aproveitam da Palavra de Deus e mercantilizam a sua misericórdia,transformando as "RIQUEZAS INCOPREENSÍVEIS DE JESUS CRISTO"EM TESOUROS DO EGITO. Ver Efésios 3.8; Hebreus 11.26.
    Meu Irmão HERMES,brevemente iremos ver o nosso Redentor JESUS CRISTO,e redimidos junto dEle estaremos para todo sempre. ALELUIAS! GLÓRIAS AO CORDEIRO DE DEUS!
    TODA HONRA E GLÓRIA,SEJAM DADA SOMENTE A JESUS CRISTO DE NAZARÉ,O REI DOS REIS,SENHOR DOS SENHORES.
    FIQUEM TODOS O VERDADEIROS CRISTÃOS,SERVOS DO VIVO NA PAZ DE JESUS CRISTO.
    E AOS HOMENS QUE NÃO CONHECEM A SALVAÇÃO ATRAVÉS DE JESUS CRISTO,EIS AÍ! ESTA É A HORA DE ACEITA-LO COMO SEU ÚNICO E SUFICIENTE SALVADOR,E ENCONTRAREIS DESCANÇO PARA VOSSA ALMA.

    ResponderExcluir
  6. Caro Josias,

    Não sou adepto do BISPADO, nem do PASTORADO, nem do APOSTOLADO; sou adepto de CRISTO!

    Recebi o cargo de bispo segundo a tradição episcopal, e não faço uso dele para me promover. Ser bispo é tão-somente ser servo dos servos de Jesus Cristo. No desempenho deste ofício, pastoreio pastores.

    Desde seus primórdios, a igreja cristã adotou três ofícios: bispo, presbítero e diácono. Não se trata de hierarquia, mas de serviço.

    Infelizmente, muitos têm usurpado o título, por achá-lo mais pomposo. Porém, a nova onda agora é ser apóstolo, patriarca.

    Há dons ministeriais e há funções eclesiásticas. Apóstolos, profetas, evangelistas, pastores e mestres são "dons", e não títulos.

    Pedro, por exemplo, seu dom ministerial era de apóstolo, porém, sua função eclesiástica era de presbítero (1 Pe.5:1).

    Filipe tinha o dom ministerial de evangelista (At.21:8), porém sua função eclesiástica era de diácono (At.6:5).

    Não julgue meu trabalho apenas por um título que sequer ostento, julgue-o pelo conteúdo e pelos frutos.

    No amor de Cristo, "Pastor e Bispo de nossas almas" (1 Pe.2:25).

    ResponderExcluir
  7. Barbosa1:01 PM

    IRMÃO HERMES GOSTARIA DE DEIXAR ESTE COMENTÁRIO AOS IRMÃOS. ´SENDO ESTA A MINHA OPINIÃO OK?
    Dons Ministeriais para igreja.
    "MINISTÉRIOS" no grego é diakoniai,derivado de diakonia, que significa "SERVIÇO".
    Isso mostra que há diferentes tipos de serviços e que certos dons envolvem o recebimento da capacidade e poder de ajudar e assistir o próximo,favor leia I Coríntios 12.4,5,27-31 e leia Efésios 4.7,11-13.
    O Apóstolo Paulo indica que o aspecto ministerial dos dons fala do ministério do Senhor Jesus como "SERVO". Assim,a operação dos dons é defenida em termos da presença e da ação de Jesus Cristo em nosso meio favor leia I Coríntios 12.3 e 1.4.
    "Operações" ou "Efeitos" no grego é energemata,derivado de energes, significa Ativos,Enérgico. O Termo indica que os dons espirituais são operações diretas do poder de Deus Pai,visando resultados definidos favor leia I Coríntios 12.6,10.
    A manifestação do Espírito no grego é phanerosis,derivado de phaneros,que significa "Manifestar" realça o fato de que os dons espirituias são manifestações diretas da operação e da presença do Espírito Santo na congregação. Favor leia-se I Coríntios 12.7-11.
    Os dons espirituais e ministérios não devem ser base para se destacar uma pessoa,ou para considerar um ministério ou seja pastor,bispo,apóstolo,reverendo etc mais importante do que o outro favor leia I Corintios 12.20,22,24-27 e 28 este diz: E a uns pôs Deus na igreja,primeiramente,Apóstolos,em segundo lugar,profetas,em terceiro doutores(Mestres),depois milagres,depois,dons de curar,socorros,governos,variedades de línguas.
    No versículo de I Coríntios 12.31 conclui: Portanto,procurai com zelo os melhores dons;e eu vos mostrarei um caminho ainda mais excelente. Cada pessoa é colocada no corpo de Cristo de conformidade com a vontade de DEUS,no que diz o versículo de I Coríntios 12.18 que fala: Mas,agora,Deus colocou os membros no corpo,cada um deles como quis. E todos os membros(OS MINISTÉRIOS)são importantes para o bem-estar espiritual e funcionamento apropriado desse corpo. Os ministérios e dons devem ser usados,não com orgulho,nem visando a exaltação pessoal,mas com desejo sincero de pregar o evangelho de salvação e ajudar o próximo,e com um coração que realmente se preocupa com os outros.
    Favor leia I Coríntios capítulo 13.
    Somos todos iguais para DEUS,mas Ele usa O HOMEM QUEM ELE QUE,COMO ELE QUE,NA HORA QUE ELE QUE.
    TÍTULOS NÃO LEVA O HOMEM PARA O CÉU. SÓ JESUS CRISTO É COMINHO QUE DÁ A VIDA A ETERNA.

    ResponderExcluir
  8. olá hermes! boa tarde. gostei mt do artigo e gostaria de posta-lo no blog da revista Impacto World (uma revista cristã em Juiz de Fora/MG), na seção sobre as Eleições. Acho que será muito útil e edificante p/ nossos leitores. Fico no aguardo! o blog é o www.blogdaiw.wordpress.com
    abraço

    ResponderExcluir
  9. Sinta-se a vontade, Gabriel.

    ResponderExcluir
  10. Josias5:18 PM

    Hermes, não é o caso de julgar o teu trabalho, o qual eu disse que admiro muito e me edifica bastante, o que não entendo é que este negocio de Bispo/Apostolo, começou no Brasil depois destes caras da teoria da prosperidade/G12 e etc...introduzirem.
    Antes todos eram Pastores, e ensinavam e Pastoreavam e serviam também.
    Admiro a sua pessoa através dos textos e pregações, mais continuo a não entender e aceitar este negócio de Bispo.
    Estes títulos foram duarnte séculos usados pela Igreja Católica.

    No amor de Cristo.

    Josias Cunha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia um pouco mais a bíblia...só isso.

      Excluir
  11. Conheço muitos pulpiteiros.
    Se o candidato ganha, ele some da igreja.
    Se o candidato perde, ele some também.
    Melhor manter distância o quanto antes.
    Excelente post.
    Deus abençoe!

    ResponderExcluir
  12. E reparem que as melhores "Marchas para Je$u$" foram em vésperas de eleições, é onde o Hernades e Cia Ltda. arrecada maiores fortunas dos políticos que querem subir no "palanque político da fé", sem falar que a mesma razão, a motivação que faz o crente ir para esse "frevinho" é a mesma que ele tinha ao ir no carnaval, parada gay, na rave ou no estádio ver o seu time jogar. Ele tem a necessidade existencial de participar de um clube, levantar uma bandeira ideológica, seja a bandeira do partido, do arco-íris ou do seu time. No mínimo ele vai ver o bumbum da meninada e se seu chaveco colar, dali ele vai pro motel dar uma aliviada nas suas pulsões ou dar uma passada na boca de fumo da esquina.
    E para os que vão no coração sincero, coitados, acham que estão seguindo algo genuíno em favor do Evangelho, mas na verdade estão vestindo a camisa e levantando a bandeira de mais uma ideologia.

    ResponderExcluir
  13. Paz do Senhor Irmão Hermes, gostei muito do seu texto, é um alerta para muitos membros terem a liberdade de votarem em seu candidato e não no indicado pelo pastor, fica com Deus.

    ResponderExcluir
  14. Sem comentarios. Vou compartilhar.

    ResponderExcluir