domingo, abril 11, 2010

11

O que aprendi com meu pai

eu e meu pai e o rhuan

Hoje amanheci com uma imensa saudade de meu pai. Faz 9 anos que o Senhor o tomou para Si. O tempo passa, mas a saudade não diminui, apenas aprendemos a conviver com ela.

Saudade de ouvir sua voz rouca e cansada, e sentir o cheiro do seu suor quando nos abraçava. Saudade de vê-lo com o seu pijama, de joelhos dobrados no jardim de casa, orando e chorando na presença de Deus. Constrangidos, dobrávamos os joelhos ao seu redor. Mas ninguém conseguia dizer uma palavra. Ficávamos apenas concordando com sua oração.

Saudade dos seus conselhos. Como aprendi com eles! Alguns só me fizeram sentido anos depois de sua partida. Hoje vejo o quanto ele tinha razão.

Com ele aprendi o que é honra, e o que é ser honrado. Quando deixou a denominação em que trabalhou por quase vinte anos, olhou nos olhos do seu líder e disse tudo o que estava em seu coração. Nunca usou de meias-verdades. Depois de sair, proibiu-nos de falar mal de nossa antiga liderança. Ele nos ensinou que palavras são sementes, e que tudo o que dissermos um dia voltará contra nós.

Com ele aprendi o valor do perdão. Quantas vezes foi traído, mas ao seu procurado por seus detratores, não negou-lhes o perdão. Perdoava até quando seus adversários não reconheciam seu erro. Costumava dizer que morreria perdoando. Dito e feito!

Com ele aprendi o que é o amor. Não só de palavras, mas sobretudo de obras. Aprendi que o amor não faz propaganda de si mesmo. Quantas vezes ele ajudou alguém pedindo-lhe discrição! Nunca se promoveu em cima de suas boas obras. O que fazia com a mão esquerda, a direita jamais tomava conhecimento.

Com ele também aprendi que a carranquice não vale a pena. É melhor levar a vida com leveza e bom humor. Seu médico me disse que ele só conseguiu prolongar sua vida por mais quinze anos depois de ter sofrido duas paradas cardíacas por causa de seu bom humor.

Com ele aprendi o que é a sinceridade. Jamais escondeu seus sentimentos, nem maquiou suas intenções. Ele era o que era. Brincalhão, sério, às vezes duro, porém, um líder inigualável, por quem muitos se dispunham a lutar.

Com ele também aprendi que o combustível que faz a vida avançar são os sonhos. Ele costumava dizer que o homem só morria quando deixava de sonhar. Mas não basta sonhar, é preciso trabalhar. Nunca vi alguém com a disposição que meu pai tinha para o trabalho. Nem sua saúde debilitado foi capaz de impedir de prosseguir sua jornada até o último suspiro.

Papai não nos deixou grande herança, mas nos deixou um legado. A chama que ardeu em seu peito, foi transferida para o peito de seus filhos, netos e discípulos, e jamais se apagará.

* Na foto acima, meu pai e eu durante uma cerimônia de batismo, e eu e meu filho Rhuan repetindo a mesma cena inconscientemente.

11 comentários:

  1. Muito bom.

    Me faz sonhar em ser um bom pai.

    ResponderExcluir
  2. Cada vez que leio essa crônica, lembro cada vez mais do meu avô (infelizmente meu pai foi ausente por quase toda a minha infância e por toda a minha adolescência e fui criada pelos meus amados avós) me ensinando a orar, ensinando a Palavra quando eu era criança e o quanto eu fui idiota por acreditar nos homens por 10 anos. Infelizmente precisou completar 6 anos da morte do meu avô para eu seguir nos caminhos do Senhor e compreender que Deus o usou como referência para eu seguir o seu legado de Amor, Respeito, Tolerância, Humildade, Perdão e Caridade .

    O Pr. teve um privilégio que poucos tiveram e eu também tive, mas desperdicei a chance e paguei um preço alto por acreditar nos homens.

    A Paz!

    ResponderExcluir
  3. Em junho fará 7 anos que meu pai se foi... e assim como o seu, não deixou grande herança, mas um grande legado.

    A saudade cresce enquanto diminui o tempo do reencontro... em breve estaremos reunidos para sempre e isso me consola.

    E apenas DEUS pode fazer isso.

    ResponderExcluir
  4. Barbosa7:40 PM

    Meu irmão Hermes,a Paz do Senhor Jesus Cristo.
    É um momento difícil que passamos. Mas,que que isto meu irmão!Lembre-se que estamos aqui só de passagem!
    Eu sei,o que é perder um ente querido,e sei o que vc passou e está passando.MAS DEUS É CONTIGO MEU IRMÃO!
    Ao qual,eu mesmos passei por isto.
    Perdi,um tio e uma tia;um em Agosto de 2009,e a outra em janeiro de 2010.Veja bem! 5 meses,um do outro,dá para aguentar?
    Foi difícil,mas superei porque eu sei que eles estão com Jesus.
    Através da Palavra do nosso Deus,a cada dia fui me fortalecendo.
    Hoje,sou um evangelista prego o evangelho a toda criatura.
    Hoje,eu entendo que através das perdas dos meus entes queridos, Deus queria fazer algo novo na minha vida e fez.
    Me entreguei totalmente a Deus,e a pregação de sua palavra; e estou levando Jesus as almas perdidas,em conhece-lo e aceita-lo como o seu único e suficiente Salvador.
    O Apóstolo Paulo diz: felizes os que já partiram no Senhor.
    Mas,nos cristãos,sabemos que temos a Trindade Santa: O nosso Deus o único e Verdadeiro Pai.
    Jesus Cristo o nosso Salvador das nossas almas,nosso único e Verdadeiro amigo.
    E o Espírito Santo de Deus,este é o único,que realmente nos consola nas horas mais difícieis.
    Meu Irmão Hemes,deixou uns versículos: Deixo-vos a Paz,a minha Paz vos dou;não vo-la como o mundo a dá.Não se turbe o vosso
    coração,nem se atemorize.João 14 27.
    Não se turbe o vosso coração;credes em Deus,credes também em mim.
    Na casa de meu Pai há muitas moradas;se não fosse assim,eu vo-lo teria dito,pois vou preparar-vos lugar.
    E,se eu for e vos preparar lugar,virei outra vez e vos levarei para mim mesmo,para que,onde estiver estejais vós também João 14.1,2,3.
    Fique na Verdadeira Paz do Senhor.
    A benção do Senhor que enriquece e não acrecenta dores.

    ResponderExcluir
  5. que linda mensagem Hermes...confesso que me emocionei... e realmente so depois de adultos damos valor ao pai......
    deu uma saudade do meu pai..que esta no Brasil....

    bju continue escrevendo coisas lindas....
    abraco

    ResponderExcluir
  6. Ariovaldo Jr., esse deveria ser um sonho de consumo de todos nós. Estou lutando para ser um bom pai, e preparando meus filhos para serem pais ainda melhores do que eu.

    Valeu pelo comentário!

    Forte abraço!

    ResponderExcluir
  7. Pri Viana,

    Na ausência de um pai, sempre procuramos uma referência paterna, seja um avô, um tio, um irmão mais velho, o importante é encontrar alguém que nos sirva de exemplo, e que nos mostre o melhor caminho a seguir. Infelizmente, nem sempre a gente dá o valor merecido a esses "pais". Mas podemos honrá-los mesmo depois de sua partida. É o que tenho procurado fazer. Amei meu pai profundamente, e o hoje busco honrá-lo, lembrando-me de suas lições e tentando melhorar em mim as virtudes que dele herdei.

    Seus comentários são sempre uma bênção. Obrigado.

    ResponderExcluir
  8. Thaty,

    É isso que nos consola! Que bom saber que a morte é apenas um "até logo!".

    Obrigado pela participação aqui.

    ResponderExcluir
  9. Obrigado, Barbosa, pelas palavras de conforto.

    ResponderExcluir
  10. Oi Denise,

    A saudade sempre dói. Temos saudade de lugares, ocasiões, mas a que mais machuca é sem dúvida a saudade que sentimos de pessoas. Dói mais ainda quando percebemos que nunca mais ouviremos sua voz, senão na eternidade.

    Obrigado pelo comentário.

    ResponderExcluir
  11. Bispo, sinceramente, ao ler este relato, as lágrimas vieram em meus olhos, pois lembrei vagamente deste homem de Deus, embora, de longe, eu sempre amei esta família, amo vocês, porque são canal de benção para nossas vidas, o Bispo jamais será esquecido por aqueles que realmente o amaram, de verdade a saudade bate e às vezes até dói...um abraço...Aninha Beda

    ResponderExcluir