quarta-feira, abril 13, 2011

11

A Cruz e a Subversão da Ordem





Por Hermes C. Fernandes

Uma das características do ministério de Jesus era a coerência. Ele não apenas pregava uma mensagem, mas Ele era a própria encarnação da mensagem. E para isso, Ele Se dispunha a ir às últimas conseqüências.

Por várias vezes, Jesus afirmou que no reino de Deus “os últimos serão os primeiros, e os primeiros, os últimos” (Mt.19:30; 20:16; Mc.10:31; Lc.13:30).

Em outras palavras, quem quiser seguir os passos de Jesus, deve colocar-se como o último na fila de prioridades, deixando que todos estejam à sua frente. Quem assim faz, é visto por Deus como Sua prioridade. Porém, aquele que se acha mais importante que todos, colocando-se como o primeiro da fila, Deus o coloca por último.

Paulo repete o mesmo princípio em sua epístola aos Filipenses: “Cada um considere os outros superiores a si mesmo” (2:3b). E em Romanos: “Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros” (12:10).

Jesus viveu tal princípio intensamente, fazendo-Se servo de todos à Sua volta. Mas é durante Seu suplício que esse princípio é colocado à prova.

Quem não priorizaria Sua própria vida em face da morte?

Vejamos como Jesus agiu, lembrando que Ele deixou-nos exemplo, para que sigamos Suas pisadas (1 Pe.2:21).

Quais foram Suas prioridades naqueles momentos de profundo sofrimento?

1 – Gerações Futuras

Enquanto caminhava em Sua via-dolorosa, Jesus avistou um grupo de mulheres comovidas pelo Seu sofrimento. Veja Sua reação:

“Seguia-o grande multidão, e também mulheres que batiam no peito e o lamentavam. Porém Jesus, voltando-se para elas, disse: Filhas de Jerusalém, não choreis por mim, chorai antes por vós mesmas, e por vossos filhos” (Lc.23:27-28).

Não significa que Jesus não Se importasse com aquele gesto de carinho. Ele apenas quis realinhar o foco daquelas mulheres, projetando-o para as gerações futuras.

Era por tais gerações que Ele estava padecendo, a fim de garantir-lhes um futuro.

Precisamos aprender com Jesus a priorizar o futuro. Em vez de focarmos nas tribulações presentes, devemos focar no testemunho que deixaremos para as gerações que nos sucederem. Este será o nosso legado.

2 – Seus inimigos

Durante o auge de Seu sofrimento, Jesus priorizou o bem de Seus inimigos, suplicando ao Pai que os perdoasse.

“Quando chegaram ao lugar chamado Caveira, ali crucificaram Jesus e com ele os dois criminosos, um à direita e outro à esquerda. Jesus disse: Pai, perdoa-lhes, pois não sabem o que fazem” (Lc.23:33-34a).

Jesus sabia que muitos daqueles inimigos eram seguidores em potencial. E a prova de que estava certo é que ao dar o último suspiro, o centurião responsável pela crucificação exclamou: “Verdadeiramente este homem era o Filho de Deus!” (Mc.15:39).

3 – Seu próximo

Quem é nosso próximo? Foi esta a pergunta que um doutor da Lei fez a Jesus. Com uma parábola, conhecida como “O Bom Samaritano”, Jesus revelou que nosso próximo é aquele com quem nos deparamos na jornada da vida, independente de que as circunstâncias sejam boas ou más.

Durante Seu suplício, ninguém estava tão próximo de Jesus do que aqueles ladrões que morriam ao Seu lado.

Mesmo esvaindo em sangue, Jesus ainda encontrou forças para expressar Seu amor pelo moribundo que suplicou: “Senhor, lembra-te de mim quando entrares no teu reino.” Aquele clamor não podia ficar sem resposta. Por isso, Jesus ignorou Suas dores, buscou as últimas forças que Lhe restavam, e respondeu: “Em verdade te digo que hoje mesmo estarás comigo no paraíso” (Lc.23:42-43).

Não temos o direito de achar que o mundo nos orbita. Embora Jesus fosse o centro de toda a Criação, naquele momento Ele voltou toda a Sua atenção para um homem considerado refugo da sociedade.

Jesus poderia ter repreendido aquele homem, dizendo: - Você não está vendo a minha situação? Quando as coisas melhorarem para mim, quem sabe eu encontre um tempo para me preocupar com você?

Temos a tendência de valorizar nosso sofrimento, esquecendo daqueles que sofrem à nossa volta.
Não deixe pra lembrar-se deles quando as coisas melhorarem. Lembre-se deles agora, enquanto as dores transpassam sua alma.

4 – Sua família

Já quase expirando, Jesus volta Sua atenção para a pessoa mais importante de Sua vida terrena: Sua mãe, que a esta altura, estava viúva, e necessitaria de alguém que cuidasse dela em sua velhice.

“Vendo Jesus ali a sua mãe, e que o discípulo a quem ele amava estava presente, disse a sua mãe: Mulher, eis o teu filho. Depois disse ao discípulo: Eis a tua mãe. Dessa hora em diante o discípulo a recebeu em sua casa” (Jo.19:26-27).

Jesus destaca o discípulo em quem mais confiava, para amparar Sua velha mãe.

Interessante que Sua primeira prioridade são as gerações futuras, mas isso não ofusca Sua responsabilidade com a geração que O antecedeu.

Infelizmente, nossa sociedade hedonista e consumista não dá a mínima para os anciãos. Esses são considerados pessoas inúteis, um espécie de “mal necessário”, e acabam abandonados em asilos ou em quartinhos cheirando a mofo nos fundos de casa.

Temos uma dívida de gratidão com quem nos gerou, criou e educou. Nossos filhos estão assistindo à maneira como tratamos nossos pais, e certamente, reproduzirão em nós o mesmo tratamento. Se plantarmos amor e cuidado, colheremos o mesmo.

5 – A Si mesmo

Cada prioridade equivale a um círculo. Somos o círculo do meio, o menor, e o último, contando de fora pra dentro.

Jesus deixou-Se por último.


“Mais tarde, sabendo Jesus que tudo estava consumado, e para que a Escritura se cumprisse, disse: Tenho sede!” (Jo.19:28). Repare nisso: “Mais tarde”. Será que aquela sede surgiu de repente? Ou será que Ele já a sentia mesmo antes de ser levado à cruz? Por que não a expressou antes? Pelo simples fato de que esta não era Sua prioridade.

Para o ladrão penitente, Jesus disse "Hoje mesmo!". Mas para a Sua própria necessidade, Ele disse: "Mais tarde!"

Embora colocando-Se por último, o Pai O exaltou soberanamente, dando-Lhe um nome sobre todos os nome (Fp.2:9).

Estaríamos prontos para cultivarmos o mesmo sentimento que houve em Cristo? Estaríamos dispostos a levar isso às últimas conseqüências, como fez Jesus?

Estou certo de que a mensagem da Cruz é muito mais ampla e profunda do que temos imaginado. Basta prestarmos um pouco mais de atenção. Ela é um atentado ao orgulho humano, e por isso mesmo, é a única mensagem capaz de transformar o Mundo, tornando-o um lugar mais justo e digno de se viver.

Postado originalmente em 5/4/10

11 comentários:

  1. Gostei muito do texto.
    Já tinha lido em outro lugar.
    Estou te seguindo também.
    Sempre andando com quem tem a mesma visao.
    PAZ.

    ResponderExcluir
  2. Anônimo11:58 PM

    É uma Condenação não reconhecer o significado da Cruz.

    ResponderExcluir
  3. Muito lindo o texto.

    AMEI!!!

    Enquanto lia passou mil e quinhentas coisas na minha cabeça, eis algumas delas: "Quantas pessoas eu já humilhei?" "Quantas eu já pedi perdão?" "Faz quanto tempo que eu não visito meus avós?" "Por quantas vezes eu me senti melhor que muitas pessoas?" "Quantas coisas eu não tenho que aprender ainda?"
    Parece coisinhas tão bobas mas que fazem a real diferença. Claro que pedi já muito perdão por ter agido sem pensar. Mas sempre quando eu lembro eu sinto vergonha de mim mesma.
    Acho que agora eu tive um momento de epifania rsrs

    Adoro os seus textos Hermes, eu sempre me sinto melhor ou pior e isso me faz muito bem.

    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Obrigado, Melina.

    Que bom que este texto te levou à reflexão. Tomara que tenha o mesmo efeito em muitos outros leitores.

    Seus comentários são sempre muito bem-vindos aqui.

    ResponderExcluir
  5. Anônimo1:19 PM

    Me emocionei e responde muito a um email que te enviei uma vez...
    Esclarecedor e motivador...
    Me levando ao verdadeiro foco!
    Obrigada por se permitir ser usado!
    Eu sempre coloquei minha família e eu na frente, confesso que dói, inverter a posição do círculo, mas é o necessário... é o certo!

    @danysussa

    ResponderExcluir
  6. Missionário Barbosa2:20 PM

    Bispo Hermes, graça e paz do Cordeiro Santo que nos deu vida Eterna, através do seu sangue real e sendo inocente "JESUS CRISTO DE NAZARÉ."
    " O PREÇO JÁ FOI PAGO POR NOS HOMENS, SENDO PREÇO DE SANGUE.
    MAS QUE OS IRMÃOS ESTÃO FAZENDO PARA ELE E O SEU EVANGELHO? JESUS APENAS DISSE E QUER: IDE E PREGAI O EVANGELHO A TODA CRIATURA.
    JESUS CRISTO QUER SANTIFICAÇÃO DO SEU POVO, SE NÃO? NINGUÉM VERÁ A DEUS!
    Meu irmão quero falar sobre a crucificação de Jesus, que o irmão mencionou em Lucas 23.33,34.
    " LUGAR CHAMADO CAVEIRA." Lc 23.33.
    Jesus Cristo foi crucificado num local fora da cidade; leiam Hebreus 13.12. Porque o local era chamado "CAVEIRA" é assunto discutido até hoje. O termo grego para "CAVEIRA" correponde ao latim "CALVÁRIO", como está na versão bíblica em latim.
    " O CRUCIFICARAM"
    A crucificação e a morte de Jesus Cristo são a essência e o fundamento do plano divino da rendenção; leiam I Coríntios 1.23,24, Jesus Cristo, que nunca pecou, morreu em lugar da humanidade pecadora. Mediante sua crucificação, foi paga a penalidade dos nossos pecados, e a obra de Satanás foi desfeita; leiam
    Romanos 3.25.
    Agora, todos podem voltar-se para Deus, com arrependimento e fé em Jesus Cristo, e receber o Perdão, a Salvação do pecado e a vida Eterna.
    " PAI, PERODOA-LHES, PORQUE NÃO SABEM O QUE FAZEM." Lc 23.34.
    Provavelmente, esta declaração de Jesus Cristo o Justo, é a primeira das suas sete últimas palavras na cruz.
    As sete palavras ou frases foram pronunciadas na seguinte ordem:
    1- Entre 9:00 horas e o meio-dia:
    (a) A palavra do perdão: "Pai, perdoa-lhes"; Lucas 23.34.
    (b) A palavra da salvação: "hoje estarás comigo no paraíso"; Lucas 23.43.
    (c) A palavra do amor: " Mulher, eis aí o teu filho...Eis aí a tua mãe" João 19.26,27.
    2- A três horas de trevas: do meio-dia às 15:00 horas, nenhuma palavra registrada.
    3- Cerca das 15:00 horas:
    (a) A palavra do sofrimento espiritual: "Deus meu, Deus meu, porque me desamparaste?
    Marcos 15.34.
    (b) A palavra do sofrimento físico: "Tenho sede" João 19.28.
    (c) A palavra do triunfo:
    "Está consumado" João 19.30.
    (d) A palavra da entrega:
    "Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito" e havendo dito isso, expirou. Lucas 23.46.
    Jesus Cristo de Nazaré o Senhor dos senhores, e Rei dos reis, entregou voluntariamente a sua vida à morte de cruz.
    Noutras palavras: A morte não tinha poder de tirar a sua vida.
    Isto tudo por amor a humanidade, o ser humano que vira as costas para Ele, e se deleita nos prazeres do mundo.
    Naquele último momento, Jesus voltou em espírito para seu Pai no céu, "O DEUS TODO-PODEROSO, O GRANDE EU SOU CRIADOR DOS CÉUS E A TERRA E TODO O UNIVERSO OH! GLÓRIAS!
    SEM MAIS COMENTÁRIOS, APENAS MEDITEM!
    O QUE TENS FEITO PARA JESUS E AS ALMAS PERDIDAS, QUE ESTÃO PEDINDO, CLAMANDO POR SOCORRO.
    PENSE NISTO!

    ResponderExcluir
  7. TE ENCONTREI NO BEU BLOG - ENTRE ESPINHOS - OBRIGADA...EU JÁ ESTOU TE SEGUINDO A UM TEMPINHO!!!
    CONTINUE NESTA TUA FORÇA, VARÃO DE VALOR, O SENHOR É CONTIGO!!!

    ResponderExcluir
  8. Hermes

    A palavra que você usa subversão está fora de contexto.

    Subversão significa: Ação ou efeito de subverter; prática de atos subversivos; revolta, insubordinação contra a autoridade, as instituições, as leis e os princípios estabelecidos.

    Jesus Cristo veio fazer cumprir as leis, como Ele mesmo disse em Mateus 5: 17 Não pensem que vim abolir a Lei ou os Profetas; não vim abolir, mas cumprir.

    Os subversivos eram os doutores da lei, os fariseus e outras autoridades religiosas da época.

    Jesus foi contra estes que subvertiam os mandamentos de Deus.

    Hoje os subversivos são aqueles que pregam o ódio, a intolerância, o racismo, pois tudo isto é contrário a lei de Deus.

    O conformismo com as coisas deste mundo também é subversão pois Paulo nos diz em Romanos 12: 2 - E não vos conformeis a este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.

    Falo do Brasil agora - Muitos se conforma com as atitudes do governo atual. Dizem que a falta de ética, a corrupção, a desonestidade, a injustiça, existem em todo o mundo portanto não há nada o que fazer.

    Quem assim crê e age se conforma e subverte a vontade de Deus. Não se transforma.

    A lei de Deus é imutável, portanto todo aquele que não faz a vontade de Deus é subversivo.

    ResponderExcluir
  9. Laguardia,

    O termo subversão está relacionado a um transtorno.

    Paulo era subversivo:

    "Temos achado que este homem é uma peste, e promotor de sedições" (At.24:5).

    Os discípulos eram subversivos:

    "Estes que têm transtornado o mundo, chegaram também aqui"(At.17:6).

    "Subversão" também se refere a tentativas de destruir estruturas de autoridade.

    A missão de Cristo é totalmente subversiva:

    "Então virá o fim, quando tiver entregado o reino a Deus, ao Pai, e quando houver destruído todo domínio, e autoridade e todo poder. Pois convém que ele reini até que haja posto a todos os inimigos debaixo dos seus pés" (1 Co.15:24-25).

    Sinceramente, referir-se a Cristo como reacionário chega a ser um insulto. Um reacionário jamais teria entrado no templo e derrubado a mesa dos cambistas.

    ResponderExcluir
  10. Hermes

    Você não entende o significado da palavra subversão.

    Vou repetir: Subversão significa: Ação ou efeito de subverter; prática de atos subversivos; revolta, insubordinação contra a autoridade, as instituições, as leis e os princípios estabelecidos

    Vou tentar explicar da forma mais simples possível:

    1. No princípio Deus criou os céus e a terra e tudo que neles há. Criou o homem a sua imagem e semelhança e estabeleceu um conjunto de regras e leis que deveriam ser obedecidos. Acho que você concorda com isto.

    2. Ao pecar, tanto Lúcifer como Adão se revoltaram contra este conjunto de leis e regras estabelecidos por Deus. Portanto se subverteram, se tornaram subversivos. Veja a definição subverter é se revoltar contra uma autoridade. Ambos se revoltaram contra a autoridade de Deus.

    3. Deus, em sua infinita misericórdia, mandou seu filho unigênito para corrigir o pecado de Adão - Romanos 5:19 Porque, como pela desobediência de um só homem, muitos foram feitos pecadores, assim pela obediência de um muitos serão feitos justos.

    4. Jeus disse que não veio revogar a lei e sim fazer cumprir a lei, em outras plavras, conservar a lei original instituida por Deus que foi subvertida pelo homem pecador.

    5. Um reacionário teria sim entrado no templo e derrubado mesas e cadeiras e expulsado aqueles que subvertiam a lei de comportamento no templo.

    6. É um insulto chamar Jesus de subversivo, comparando-o assim ao subversivo mor, Lúcifer. Lembre-se de que subversivo significa revolta contra uma autoridade, e Lucifer se revoltou contra Deus, sendo portando subversivo.

    7. Todo aquele que se revolta contra a autoridade é subversivo, a autoridade máxima para nós e principalmente para Jesus Cristo é Deus, portanto toda a revolta contra Deus é subversão

    8. Vemos usar um exemplo recente da história do Brasil. Durante o regime militar quem eram os subversivos? Os militares ou os que lutavam contra a ditadura?

    Te respondo que eram ambos subversivos. Os militares por terem se revoltado contra a autoridade instituída pela Constituição de 1946. Os terroristas porque queriam implantar no Brasil a ditadura do proletariado, portanto a rigor ambos eram subversivos.

    9. Mas o ponto principal é este: Deus é a autoridade suprema. Subversão é um ato de revolta contra a autoridade, portanto Jesus nunca foi nem poderia ser subversivo. Lúcifer sim, foi e é subversivo.

    Portanto deizer que Cristo foi subversivo é coloca-lo no mesmo nível do subversivo mor, Lúcifer e além de ser um insulto é uma blasfêmia.

    ResponderExcluir
  11. Laguardia, mas Cristo realmente subverteu a ordem religiosa vigente, abrindo espaço para a Nova Aliança. Eu entendo o termo "subversão" usado por Hermes a respeito disso: ordem religiosa. Cristo quebrou essa ordem.

    ResponderExcluir