quarta-feira, maio 05, 2010

3

O autêntico é livre de si mesmo


Há um poder de libertação muito grande na autenticidade do ser.

Uma das coisas que a religiosidade produz é a hipocrisia omissa. Diria que o religioso torna-se vítima da sua própria devoção. Na busca por mudança interior há a tentativa de transformar o exterior, e isso costumeiramente resulta na dissimulação e até simulação de caráter.

O engajamento em trocar velhos hábitos tidos impuros por atitudes condizentes com as regras de fé adotadas é igualado ao arrependimento e entrega dos quais conclamam as boas notícias de Jesus Cristo, para os mais vis e repugnantes.

Quando me esforço para mudar o jeito como falo, o tipo de roupa que visto, o tipo de amigos que tenho, a natureza dos lugares que frequento e como lido com as pessoas sem antes ter tido a essencial renovação do ser, estou apenas limpando o exterior do copo.

Provavelmente, e muito provavelmente, sua religião empurra-lhe por esse infrutífero caminho: adotar novos preceitos de vida, nova indumentária, novos jargões e formulações prontas e a incapacidade de sustentar pensamento livre. Tudo isso sob a retórica de estar nascendo de novo.

Ao passo que, com Jesus Cristo, a ordem das coisas é bastante diferente. Aliás, se há alguém que quebrou paradigmas sem conta foi esse cara; Mas isso fica para outra explanação. Não me recordo de ler nos Evangelhos nenhuma narrativa que mostre Jesus aceitando pessoas sob a condição de mudança exterior. A mesma pode até vir a ocorrer, mas sempre em consequência de uma total reviravolta interior. O que carregamos no coração é que será refletido na aparência. E não há falsidade que esconderá isso por muito tempo, seja luz ou trevas o que existir lá dentro.

Jesus não dizia, “venha para minha igreja, mude de vida e receba meu perdão e aceitação”. O contrário, “receba meu perdão e minha aceitação, e isso mudará sua vida”. Um dos atributos dessa ordem é ser livre do status quo. Tornar-se autêntico mesmo que não signifique ainda pronto, totalmente santo e irrepreensível, é uma virtude pouco encontrada nos crentes. Como posso receber o perdão salvífico de Cristo sem exercer a disciplina da autenticidade? O autêntico vê pouca dificuldade na humildade. Assim, vê grande alegria no perdão reconciliável do Pai, em seu Filho. Sua honestidade para consigo mesmo o conduz a uma saudável transformação de dentro para fora.

Eis, então o problema do religioso que aprendeu a mudar como vive sem antes receber a Vida dentro de si. Acometido da pressão de parecer santo e ungido para os outros, apodreceu seu interior pelo preço de ostentar parecer o que ainda não conseguiu ser.

Portanto, vive preso a si mesmo.

3 comentários:

  1. Barbosa2:11 PM

    Na minha opinião,religião é uma praga que alastra nas igrejas.
    Homens apegados a totes humanos e doutrinas inventadas,lugares melhores na igreja para quem tem poder aquisitivos altos e etc.ou seja a igreja virou um encontro social,e lucrativo.
    Ver no livro de Tiago 1.27,que diz:
    A religião pura e imaculada para com Deus,o Pai,é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribuções e guardar-se da corrupção do mundo.
    No livro de Atos 26.5 diz: Sabendo de mim,desde o princípio ( se o quizerem testificar),que conforme amais severa seita da nossa religião,vivi fariseu.
    Tiago fala de dois princípios que definem o conteúdo do Verdadeiro cristianismo.
    1- O amor genuíno pelos necessitados.
    Nos dias do NT,os orfãos e as viúvas tinham poucos meios de autosustento;em muitos casos,não tinham ninguém para cuidar deles.
    Esperava-se da parte dos cristãos que lhes demostrassem o mesmo cuidado e amor que Deus revela aos orfãos e às viúvas ver Deuteronômio 10.,17,18:Pois o Senhor,vosso Deus,é o Deus dos deuses e o Senhor dos senhores,o Deus grande,poderoso e terrível,que não faz acepção de pesssoas,nem aceita recompensas;que faz justiça ao orfão e à viúva,e ama o estrangerio,dando-lhe pão e veste.
    Ver Salmos.146.9; Mateus 6.32;
    Deuteronômio 24.17;Salmos 68.5.
    Hoje entre nossos irmãos e irmãs em Cristo,há os que precisam de ajuda e cuidados.
    Devemos procurar aliviar suas aflições e sofrimentos e,dessa maneira,mostrar-lhes que Deus tem cuidado deles ver Lucas 7.13;Galatas 6.10.
    2-Conserva-se Santo diante de Deus.Tiago diz que o amor ao próximo deve estar acompanhado do amor a Deus,expresso na separação das práticas pecaminosas do mundo.
    O amor ao próximo deve estar acompanhado da santidade diante de Deus;doutra forma,não é amor Cristão.
    Religião inclui-se:Está expressão significa demostrar atenção especial,ou favoritísmo,a uma pessoa por causa da sua riquesa,roupas ou posiçação.Trata-se de um erro por várias razões.
    1- Desagrado a Deus,que olha,não a aparência exterior,mas o coração ver Salmos 16.7.
    2- Não é motivado pelo amor genuíno a todos ver Tiago 2.8.A aceitação de alguém pela posição social é um pecado contra a lei do amor..
    3- Torna-nos "juizes de maus pensamentos" ver Tiago 2.4;isto é,ao invés de honrarmos nosso "Senhor da glória" Ver Tiago 2.1 e,de aceitarmos as pessoas à base da fé que têm em Cristo,favorecemos injustamente os ricos ou os poderosos do mundo,com motivos malignos das vantagens que disso podemos auferir.
    O Evangelho é para a salvação das almas perdidas,e também para o sustento da pessoas que carecem de necessidades.
    O que vemos hoje são luxuosas igrejas palacetes,e os necessitados excluidos,muitos vivendo através de ajuda dos irmãos.
    Esta é minha opinião.
    Que Deus tenha misericórdia deste mau que se chama religião.
    Irmão Hermes,e todos os irmãos; fiquem na Paz do Grande Eu Sou,o nosso Deus Todo Poderoso.

    ResponderExcluir
  2. Olá Bispo Hermes!
    A religião ou melhor os religiosos é que levaram o Senhor Jesus Cristo para a cruz. E, até hoje, continuam levando, não o Senhor e sim as pessoas.
    Só nos resta dizer: Maranata. "Vem Senhor".
    Estive em visita ao seu Blog,aprendi muito com seu testemunho: "Minha filha especial e meu encontro com a Graça". Já estou seguindo-o,levei o seu banner. Aguardo sua visita ao meu simples Blogs, será uma honra.
    Peço a Deus pra abençoar o seu ministério poderosamente em nome do Senhor Jesus.

    ResponderExcluir
  3. Religiosos hipócritas me deixam revoltada. Ordem e decência é bem diferente de imposição e autoritarismo. Ter autoridade é uma coisa, ser autoritário é outra totalmente diferente. Ter autoridade é você utilizar junto com Deus a sabedoria para tomar as melhores decisões em um contexto geral, ser autoritário é você agir como Hitler "eu mando, você obedece e quem for contra é morto!". Até onde eu saiba, Jesus é libertador, não opressor!

    A Paz!

    ResponderExcluir