terça-feira, março 05, 2013

9

Perdoa-me por me enganares




Por Hermes C. Fernandes

“Perdoa-me por me traíres” é um filme brasileiro de 1983, dirigido por Braz Chediak e com roteiro adaptado de um texto de Nelson Rodrigues. No drama, o marido começa a sentir ciúme doentio da esposa, que, para fazer jus à sua desconfiança, passa a agir de acordo com suas acusações. Chega a um ponto em que o marido tem que reconhecer que é o principal culpado pelas traições da esposa. Este título cairia muito bem dentro da relação vivida em muitas igrejas entre os que enganam e os que se deixam enganar.

Até que ponto temos responsabilidade pelo sucesso adquirido por certos ministérios que se apostataram da verdade?

Recentemente assistimos à confissão de um conferencista que admitiu ter mentido em suas palestras e testemunhos. Que bom que ele pediu perdão. Porém, persistiu na mentira por dez anos. Por quê? Por que não se arrependeu antes? Como pode deitar a cabeça no travesseiro à noite todo esse tempo sabendo que iludia pessoas? Entre outras mentiras, ele contava ter sido curado de síndrome de down. Quantos pais de filhos portadores desta mesma síndrome se encheram de esperança, que logo fora substituída por uma imensa frustração por não terem alcançado o mesmo resultado? Isso me enoja. Tenho uma filha especial e sei o quanto dói. Embora Deus a tenha feito andar, quando os médicos lhe haviam desenganado, ela continua sendo uma criança especial. Não tenho o direito de acrescentar nada ao seu testemunho.

Os aplausos que recebia, os convites para pregar dentro e fora do Brasil, as ofertas, a vendagem dos CDs e DVDs, enfim, era muita coisa em jogo. Romper com tudo isso requereria muita coragem e disposição para sofrer o prejuízo.

Assim como ele veio a público demonstrando arrependimento, sugiro que seus fãs, seguidores e apoiadores também venham a público se arrependendo de sua ingenuidade e do incentivo que deram para que continuasse a mentir. Seu líder, em vez de simplesmente se desculpar, deveria igualmente se arrepender de tê-lo apoiado sem averiguar a veracidade de seus testemunhos.

Enquanto houver quem apoie este circo gospel que se armou em nossa nação, dificilmente alguém terá a coragem que teve este conferencista.

Tão culpados quanto os falsos mestres são aqueles que sentem comichão nos ouvidos, atraídos por novidades, novas revelações e ventos de doutrina. Paulo os denuncia dizendo que os tais “cercar-se-ão de mestres, segundo as suas próprias cobiças; se recusarão a dar ouvidos à verdade, voltando às fábulas” (2 Tm. 4:3-4).

Tenho a nítida impressão de que essa gente gosta mesmo de ser enganada. Minha conclusão, baseada nas Escrituras, é que tais ministérios de iniquidade são juízo de Deus sobre os que não buscam nem amam a verdade, e sim a conveniência. “Por isso Deus lhes envia a operação do erro, para que creiam na mentira, e para que sejam julgados todos os que não creram na verdade, antes tiveram prazer na iniquidade  (2 Ts. 2:9-12).

Poucos são os que de fato podem ser considerados inocentes. A maioria não é ingênua, mas tão-somente busca ouvir o que lhe apraz. Por isso os mentirosos se dão bem.

Não basta que os enganadores se arrependam. Os enganados também precisam se arrepender e voltar-se para a Verdade.

Há uma indústria de testemunhos que precisa falir. Mas enquanto houver pastores dispostos a pagar os cachês exigidos por esses “testemunheiros profissionais”, esta indústria prosseguirá a todo vapor.
Cantores que cobram cachês de igrejas para louvar têm que vir a público e pedir perdão. Mas pastores que se prontificam a pagar também têm que confessar seu pecado.

Espero sinceramente que a confissão de Davi Silva seja aquela nuvenzinha do tamanho de uma mão, que anuncie a chegada de uma abundante chuva. Que muitos outros o tomem como exemplo e se arrependem de suas mentiras, não só as ditas no púlpito, mas também as espalhadas pelos corredores, proferidas nos gabinetes, estampadas nos outdoors, postadas nos blogs, etc. 

Não adianta dizer que mentiu com a melhor das intenções, no afã de estimular a fé das pessoas, ou mesmo para a glória de Deus. Ora, Deus não precisa de embustes para ser glorificado. Sejamos, pois, verdadeiros em tudo para que mais tarde não tenhamos do que nos envergonhar, nem do que nos arrepender, e assim, poupemos o Evangelho de mais um escândalo.

9 comentários:

  1. Graça e Paz irmão, concordo com seu texto. Infelizmente os evangélicos são facilmente enganados por testemunhos mentirosos pois buscam o sensacionalismo, quando sensacional mesmo é servir a Cristo e ser luz em um mundo de trevas. Pelo menos o Davi teve coragem de assumir seu erro, mas tem muito falso ex-bruxo , ex-bandido e outros tantos por aí enganando e sendo enganados. Peço permissão para postar em meu blog também
    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Bom dia!

    Corajosas e sensatas palavras.

    As pessoas brincam com a Verdade.

    Tania

    ResponderExcluir
  3. Ganhar dinheiro às custas de uma mentira, e ainda por cima dentro da igreja é o fim da picada.

    Mas como o irmão bem falou, isso acontece porque ainda existem os que financiam tais embustes, pois têm o desejo de ouvir coisas agradaveis.

    Graças a Deus pela cnfissão pública, uma vez que a mentira tbm foi pública. Espero que vire moda.

    Deus abençoe a todos nós e nos dê vergonha na cara.

    ResponderExcluir
  4. Barbosa11:54 AM

    Meu irmão em Cristo,Hermes,a Paz do Senhor Jesus de Nazaré.
    Lembre-se que eu também estou orando por vc.
    É meu irmão o falso evangelho está ficando sério dentro das igrejas.
    Vamos caminhar na Bíblia!
    O Espírito Santo adverte repetidas vezes nas Escrituras que sugirão muitos falsos mestres dentro das igrejas.
    As advertências a respeito de mestres e líderes introduzindo heresias no meio do povo de Deus foram feitas antes por Jesus ver Mt 24.11 nota;24.24,25,e o Espírito Santo continuou advertindo através de Paulo
    ver 2 Ts 2.7; 1 Tm 4.1; 2 Tm 3.1-5,de Pedro 2 Pe 2.1,de
    João 1 Jo 2.18;4.1; 2 Jo 7.11,e Judas Jd 3.4,12,18 e das cartas de cristo às sete igrejas ver Ap 2.2,6.
    De conforme com Pedro,os falsos mestres dentro da igreja que estavam " negando (arneomai=repudiar ou renunciar)o Senhor que os resgatou"tinham abandonado o caminho certo e se desviado ver 2 Pe 2.15,tornando-se "fontes sem água" 2 Pe 2.17.
    Antes,eles tinham se livrado da maldade do mundo,mediante Jesus Cristo,mas agora voltaram a amaranha-se no pecado ver 2 Pe 2.20.
    Muitos cristãos professos seguirão esses falsos pregadores,com suas
    "dissoluções"imoralidades sexuais e etc.
    Por causa da vida pecaminosa desses líderes e seus seguidores,Deus e seu evangelho serão inflamados ver 2 Tm 4.3,4.
    Os falsos mestres comercializarão o evangelho,sendo peritos na avareza e em conseguir dinheiro dos cristãos,a fim de promover ainda mais seus ministérios e seus modos luxuosos de vida.
    Os cristãos devem estar a par de que um dos métodos principais dos falsos ministros é usar "palavras fingidas",ou seja,contar histórias impressionantes,mas inverídicas,ou publicar estatísticas exageradas a fim de motivar o povo de Deus a contribuir com dinheiro.
    Glorificam a si mesmo e promovem seu próprio ministério com esses relatos inventados ver 2 Co 2.17.
    Deste modo,o cristão sincero,mas desinformado,torna-se um objeto de exploração.
    Pelo fato de esses "ministros"profanarem a verdade de Deus e fraudarem o seu povo com sua cobiça e engano estão destinados à perdição e à destruição.Ver 2 Pe 2.9,12,13,14,19,e 22 este diz: O Cão voltou ao seu próprio vômito;a porca lavada,ao espojadouro de lama.
    Maranata Jesus!O Seu Verdadeiro povo Santo e Justo não aguenta mais!

    ResponderExcluir
  5. Caro Pr.
    Espero que outros que mentiram, omitiram ou caluniaram "em nome de Deus" tenham essa consciência e vão se arrepender e pedir perdão a Deus e aos homens.
    Mas enquanto houver a ignorância sempre haverá a manipulação.


    A Paz

    ResponderExcluir
  6. Hermes, meu querido irmão,

    Faço coro à sua oração: Que esta nuvenzinha seja o prenúncio de um verdadeiro avivamento.

    Que haja arrependimento e confissão de pecados à partir da Santa Igreja de Jesus.

    Como está escrito em 1Pedro4:17:

    "Porque já é tempo que comece o julgamento pela casa de Deus; e, se primeiro começa por nós, qual será o fim daqueles que são desobedientes ao evangelho de Deus?"

    O preço do arrependimento numa situação dessa é alto, a vergonha é muito grande, mas certamente o coração e a alma de Davi Silva está vivendo a paz que excede todo o entendimento.

    Um grade abraço!

    (Dá uma passada lá no meu blog, sinto falta de seus comentários...)

    JC

    ResponderExcluir
  7. Há alguns anos assistia horrorizada uma pregação de um pastor de Goiânia. Dizia ele: "dê 7 voltas e coloque as mãos na cadeira do seu chefe e diga:'esse lugar é meu! Você não foi posto por calda, mas por cabeça!"
    Fiquei pensando: "Estou pra ver um cara desses vir a público e confessar:'eu estava errado, me perdoem'"... há muito em jogo na história da confissão...
    Por causa de gente assim que o Caminho é blasfemado...
    Ainda bem que alguma coisa começou a acontecer!

    ResponderExcluir
  8. Anônimo7:38 PM

    É dito que esse ministério de Davi Silva jogou urina sobre a cidade de Londrina "unção da urina". Os contatei pelo site para saber se é verdade, mas eles negaram à acusação alegando ser uma calúnia maldosa que inventaram contra o ministério.
    Caio Fábio deu uma opinião sobre Davi Silva dizendo que "Espero que o Davi Silva deixe esse ministério testemunheiro, e que viva do Testemunho do Evangelho, e não de casos e de causos…
    O Grande Arrependimento que espero que os visite é aquele que daria o fruto de fazê-los deixarem as histórias e viverem para Pregar apenas o que Jesus fez e ensinou!" (Fonte: http://noticias.gospelprime.com.br/polemico-caio-fabio-da-sua-opiniao-sobre-davi-silva-e-seu-arrependimento/)

    ResponderExcluir