segunda-feira, abril 19, 2010

10

Confissões de uma (ex) esposa de pastor

Ele disse um dia: em primeiro lugar está meu ministério.

Senti-me traída, a mais traída das mulheres. Posso até “competir” com outra mulher, outros lábios, outro corpo, outros abraços, outros beijos e ganhar (ou perder) a batalha. Mas com o “ministério” é demais pra mim. Foi pior que vê-lo na cama com outra.

Claro que se ele dissesse "Deus está em primeiro lugar na minha vida" eu aplaudiria e ficaria feliz, mas ministério não é Deus, e esse é o problema de muitos líderes, que confundem trabalho, atividade, serviço, com relacionamento com Deus. Lastimável!

Aos poucos, ele foi demonstrando essa preferência. Eu não estava mais na sua listinha de prioridades, nem eu, nem os filhos. Somente o ministério importava, por ele daria a vida, era algo quase insano, doentio. “Que adianta ganhar o mundo inteiro e perder a sua família?”

De forma progressiva, suas atitudes foram se tornando agressivas e incoerentes, pois como alguém que viajava pelo mundo falando do amor de Deus não conseguia de fato amar sua própria família? Primeiramente, vieram agressões verbais, depois as físicas, a mim e aos filhos. Nada que questionasse ou desvalidasse seu ministério poderia ser refutado ou contrariado. Ele reagiria com unhas e dentes. A família não importava mais, somente seu belo e frutífero ministério.

E assim segui... fingindo por 18 anos para todos e pra mim mesma que tudo isso era normal, e que para não envergonhar o ministério (dele), eu deveria aceitar calada a situação.

Ah! Mas como Deus me ama... Me ama tanto que foi ele mesmo que disse: “Filha: chega disso!”

Foi então que liberei o tão dedicado pastor e missionário de seu jugo de ter uma família. Agora ele deve estar feliz sozinho “servindo ao Senhor”.

Seguimos eu e meus filhos rumo ao centro da vontade de Deus, que é perfeita e agradável. Um Deus que ama e que não deixa seus filhos sofrerem além do que podem suportar.

Sim, eu fui traída. Sim, ele cometeu adultério. Adulterou com o próprio ministério, em nome de Deus, destruindo a própria família. Eu já o perdoei, mas acho que nunca vou entender...

por motivos óbvios, a identidade da autora do texto será mantida em sigilo.

10 comentários:

  1. Eu estava indo por este caminho, meus dias se resumiam em "fazer a obra", algo que hoje chamo de trabalho com mão de obra barata.
    Meu esposo foi paciente e juntos fizemos a cisão.
    Hoje estou livre para servir ao Senhor, em casa, na rua e no templo.
    Querido Hermes, pode ter certeza que existe um número quase que incontável de homens e mulheres nestas condições.
    Pessoas forçadas e se permitindo ser enjauladas pela "mão divina" dos chanceleres da fé.

    obrigada por compartilhar este depoimento

    ResponderExcluir
  2. Como ouvi várias vezes o Ricardo Gondim falar:

    1) Deus
    2) Seu cônjuge
    3) Seus filhos
    4) Seu trabalho
    5) Seu ministério

    Fora disso vai dar caca...

    ResponderExcluir
  3. Paz de Jesus.
    Show o texto, aliás, o depoimento, o relato, o desabafo e o ensinamento para muitos que lêrem esse texto.
    Com certeza, hoje, mais do que nunca entendo o que é servir e seguir á Cristo, pois quando somos criados na igreja, não só criados, mas quando entramos no "esquema" da igreja, estamos debaixo de um molde que coloca muito peso e desfoca o real sentido de servir e seguir á Cristo. Não são todas as igrejas é claro, até por que igreja somos nós, eu, você e outros que estão lendo isso aqui. Glórias a Deus pela sabedoria que Jesus nos dá para entendermos cada vez mais sobre como fazer sua obra de maneira próxima com o que ele nos orientou.
    Paz aí.

    ResponderExcluir
  4. Lóis6:03 PM

    Meu irmão Hermes,Jesus te AMA com amor ETERNO.
    Meu irmão,aí só tem um peso e duas medidas.
    Esta Irmã,falou só da parte dela,isto não é justo.
    Ao meu ver,antes de publicar,temos que ouvir as duas partes,ou seja também o depoimento deste pastor que ela relatou.
    Antes de jogar pedras,vcs devem ouvir os dois lados,não somente um.
    Isto que é justo e coeerente para que possamos saber como chegou à acontecer isto,se foi real ou não,conforme as palavras deste texto.
    Me desculpem,não concordo com isto ok? È minha opinião certo?
    No livro de lamentações 3.39,29 diz: De que se queixa,pois, o homem
    vivente? Queixa-se cada um dos seus pecados.
    Ponha a boca no pó;talvéz assim haja esperança.

    ResponderExcluir
  5. Oi Hermes, oi Lóis, quero fazer um comentário sobre seu comentário Lóis: não sou o ex-marido dessa moça, mas sei do que ela está falando, sei sim.
    Por ver e viver, por testemunhar e praticar. Quantas vezes por causa do "sistema igreja" meus filhos me falaram sabedoria que vem do alto, mas preferi o ministério? A ponto de , confesso aqui, um dels quase até perder completamente a fé.
    Então, me desculpe, ela pode ser ouvida sim. Nós homens (masculino) somos cruéis quando nos deixamos envaidecer pelo "ministério".
    Fou graças a Deus pelo Hermes ter postado este texto, que aliás não cita nomes, nem acusa ninguém, apenas relata uma dolorosa história que acontece todos os dias.

    Graça e paz, sempre
    Marcus Vinicius
    http://marcusviniciuscomenta.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Deus acima de tudo, mas Deus também agradece quando a pessoa sabe dosar o Amor. Creio que Deus é equilíbrio e tudo que Ele não quer é ver os Seus filhos perderem o controle em situações onde apenas persistir na fé e seguir em frente com Deus!

    A Paz

    ResponderExcluir
  7. É uma realidade dura.
    Pessoas que acham que o próximo das ruas, é mais importante que os de dentro de sua casa.
    Acham que tem que livrar os jovens das drogas, e possui filho drogado; tenta tirar casais do adultério, e sua esposa é abandonada, e fica a lastimar-se com um "amigo".
    A Bíblia fala em cuidar bem da sua casa, este é um quesito esquecido por muitos.

    Graça e Paz!

    ResponderExcluir
  8. Muito bom! Impactante... Deus continue te abençoando!!!

    ResponderExcluir
  9. incrível como alguém prefere fazer as coisas pra Deus, sem Deus...

    ResponderExcluir
  10. Anônimo12:06 PM

    Já vi casos assim

    ResponderExcluir