domingo, novembro 22, 2009

9

Geração que dança, e daí?

“E seremos a geração que dança. E seremos a geração que canta.” E daí? Grande coisa. Vamos ser honestos, quem sonhava com isso? Eu não. Sei lá, mas eu sonhava com algo tipo missões, ganhar almas, marcar minha geração, morrer pelo evangelho. Pode me chamar de José se quiser, o sonhador, não me importo, pois não coloco muito valor na palavra, ou melhor, na crítica de alguém que depois de muitos anos ainda está tentando pular como um coelho nas conferências realizando seu sonho de ser a geração que canta e dança. Deus me livre!

Eu acho que a coisa que mais me irrita hoje, além do lixo sendo pregado nos púlpitos, é que foi isso que nós vendemos para uma geração; uma geração que está agora casada, barriguda, e que nem dança mais, pois tem medo de enfartar. Caraca, o que aconteceu? Onde nós erramos? Era tanto potencial e disposição e agora é “comunhão na casa de Fulano”.

Quando era para enviarmos eles, nós seguramos, pois queríamos o grupo maior da cidade.
Eles queriam ser missionários, então ensinávamos umas peças, pintávamos seus rostos e os levavámos para a praça mais perto para que pudessem ser completamente humilhados e nunca falar de missões de novo. Só pra saber, “Aquilo era missões?”.

E agora tem entrado uma nova geração e nós estamos cometendo os mesmos erros e pecados. Quando olhamos para os jovens da igreja, é obvio que temos falhado em capturar seus corações e imaginações. Nós temos falhado em dar a eles uma razão de viver, uma causa pelo que dar as suas vidas. Nós temos falhado em mostrar algo a eles tão importante que vale a pena morrer por ele.

Quando você olha nos seus olhos não há fogo, não há vida. Vida para eles é quatro horas na frente do computador batendo papo com seus amigos virtuais. Mas eles não têm nada que queima no coração deles, que lhes façam sair da cama de manhã, que lhes possua. Eles não têm nada pelo que viver e bem menos nada pelo que morrer.

Nós falávamos para eles que Deus queria usá-los e depois os fechamos em prédios com bandas, pizza e luzes coloridas para gastar a noite dançando e cantando enquanto o mundo lá fora está passando fome, morrendo e indo para o inferno. Será que era a isso que estávamos referindo quando falávamos que “Deus queria usá-los”? Será que não tem mais? E se eles mostram uma preocupação com aqueles fora da “terra protegida”, nós falamos que não são preparados, que sua hora vai chegar. Por enquanto, é festa e alegria. Pegue mais um pedaço de pizza.

Nós falávamos para eles que podiam mudar o mundo enquanto eles nem sabem como mudar as suas próprias vidas. E em vez de confrontá-los pela maneira que vivem e seus valores, nós mudamos a estrutura da igreja para acomodá-los. Nós criamos “namoro santo” e colocamos “play stations” na sala de oração. Mas, não muito tempo depois, a nossa estrutura não os satisfazia mais. Em vez de treiná-los, nós os temos entretido. Em vez de desafiá-los, nós os acomodávamos e acabávamos frustrando-os e perdendo-os, pois a verdade é que não era isso que eles queriam.

Cada geração precisa de uma bandeira pra levantar, uma causa pra abraçar, algo para dar as suas vidas, mas em algum lugar no caminho somente Jesus e a salvação deixaram de ser suficientes. Somente alcançar os perdidos parecia ser algo comum demais. Então, nós começamos falar em milagres e mortos ressuscitando. Nós tentamos criar coisas melhores, mais barulhentas, mais animadas, projetos que íam no fim fazer nada mais do que ocupar seu tempo e os fazer pensar que estavam fazendo algo enquanto não estavam realizando nada. Nós críamos uma geração que canta e dança, mas não faz nada mais do que isso, e eles sabem disso. Ninguém foi enganado e eles ainda estão tentando se descobrir e achar seu propósito, sua razão de viver, e morrer.

Preguiçoso, desinteressado, não produtivo: termos que muito bem podem ser usados para descrever essa geração que uma vez tinha esperança em ser usada e marcar o mundo. Mas, por quê? Por que nós não demos nada pra eles fazerem de verdade. E vamos ser honestos, esperar é ruim. É agora ou nunca. Nós os desafiamos agora, nós os treinamos agora, nós investimos neles agora, ou nós os perdemos para sempre.

• 75% dessa geração estão deixando a igreja para não voltar mais.

Considere isso uma carta de um velho que chora para a juventude, que lamenta tanto potencial perdido, que quer pedir seu perdão.

Pr. Jeff (Via Geração Benjamim)

9 comentários:

  1. Maravilhoso e pertinente!
    Ainda tem igrejas cometendo os mesmos erros.
    O mais triste é a verdade que aqui foi exposta: "75% dessa geração estão deixando a igreja para não voltar mais". Isso é muito doído, e me deixa "doido".

    ResponderExcluir
  2. oi hermes, demorei pra aparecer, mas estou aqui :)
    Que texto dez, qto coisa mudou, e cade vez mais uma geração sem proposito.
    Sinto vergonha!
    Esse texto mecheu comigo.
    Um abraço!!

    ResponderExcluir
  3. Graça e paz seja contigo Hermes...!!
    Carissimo irmão ... queria dizer ao irmão, que foiuma surpresa em encontrar o meu link.. aqui... poxa... emocionado de mais... Hermes para mim é uma honra em fazer parte de sua ilustre Lista..assim como sou ternamente agradecido ao Danilo... estou aqui para te agradecer e fortalecer, estarei colocando o link do Hermes Fernandes la no blog com muita alegria, assim também como o link banner, que Deus continue a abençoar o trabalho que vocês fazem melhor do que todos que ja vi na blogsphera que é em abrir os olhos dos cegos, que muitos lobos com suas sensualidades vem obscurecendo e corrompendo os humildes servos do senhor com suas garras ambicionistas e com seus malabaris em tipudiar a Santa Palavra de DEUS, Oro sempre para Deus em capacita-los mais e mais para batalha,,porque que a cada dia mais surge um novo pica pau no meio evangélico, mas Deus é justo e conhece os seus...!!!
    Irmão gostaria de te parabénliza-lo pelo oultimo artigo de sua autoria no Genizah... foi uma benção para aqueles que esperam a justiça divina...
    Bom no mais que Deus abençoe sua semana assim como tua casa!!!!

    ResponderExcluir
  4. Rev.Hermes:

    Triste e real retrato que acabou de pintar. É uma pena mesmo que estejas com a razão. Temo que meus filhos não estejam incluídos nessa "geração de dançarinos". Claro que corto-lhes as pernas antes..rs....
    Tudo de bom! Deus o mantenha assim.

    ResponderExcluir
  5. Triste quadro, mas me vejo pintada lá sentada, Senhor me desperta para essa geração!!!

    ResponderExcluir
  6. Infelizmente é a mais pura verdade. Mas como as igrejas podem fazê-los acreditar em uma causa se nem ela mesma tem??? Hoje o que importa é bater no peito quantos membros tem sua denominação, quanto arrecada de dizimos e quão belo são seus templos...
    cadê Jesus??? Cadê a Salvação? Cadê a preparação da igreja para a volta de Cristo?
    eu sou uma das que perderam a motivação de viver...

    ResponderExcluir
  7. sinto muito mas tenho que descordar.
    concordo com o fato de estarmos acomodados e tudo ,
    mas acho que vocêesqueceu de algo incrível da palavra do Senhor que o equilíbrio .
    nao se pode dizer que todos são uma vergonha , mas tbm nao digo que todas as dança e tantomimas são impactantes . acho que cê esqueceu que todas as coisas foram criadas pelo Senhor e transformadas para o ruim pelo diabo , oq fazemos é resgatar o Deus nos deu .
    o corpo . e com ele Adorar e glorificar a Deus . se o própio davi dançou pq nao dancemos? e davi foi um homem segundo o coração de Deus lembram? não digo que todas as formas de adoração artísticas são certas , mas acho que é necessário um equilíbrio. e não acho certo sair julgando tudo no geral e dizer que teatro na rua é humilhante. claro que não , lá estamos indo e alcaçando aqueles a quem normalmente a igreja esquece que são os mendigos, as prostitutas entre outros e mostrando a eles o que Deus pode fazer em suas vidas , a única diferença e que não falamos. Não creio que seja uma atitude cristã jusgar os seus irmão que estçao tentando adorar a Deus pela a forma mais primordial de expressão que é própio corpo. Existem situações mais importantes que devemos manter o foco como a prostituição e a falta de comprometimento cristão a igreja e o verdadeiro sentido da palavra matania ou arrependimento.E não querer dizer que alguém que dança ou canta nao estaá adorando ao Senhor então porque Ele mesmo teria dado esse dom? ou é por simples' coencidencia' que pessoas nascem com uma bela voz , ou um bom senso de ritmo ?

    ResponderExcluir
  8. O que essa geração de bispulhas, apústulas e putriarcas está colhendo é isso mesmo, Rev. Hermes:
    Uma geração de ovelhas com as pernas amputadas, que não vai pelo mundo fazendo discípulos, antes porém, engorda as fortunas pessoais de seus líderes em troca de um botão de rosa santa, ou um vidrinho de óleo aromatizado, ou uma miniatura da Arca da Aliança que lhes sirvam de amuleto contra o azar de terem que encarar as dificuldades da vida.
    Feiticeiros disfarçados de pastores, lobos em pele de cordeiro, até quando teremos de suportá-los em nosso meio?

    ResponderExcluir
  9. este texto poderia se chamar geração que dançou, eu dancei, abracei uma fé histórica que como vc bem conhece não faz apologia à sua forma de ser cristão respeitando e convivendo pacificamente com outros credos, amo você e te respeito muito a distancia mesmo, estou por ai servindo a deus onde ninguém vê (com certeza não é nos templos)
    se der da uma passada www.rederadioescola.com
    música boa eu te garanto!

    ResponderExcluir