segunda-feira, setembro 02, 2013

8

O Último Salto da Humanidade




Por Hermes C. Fernandes

Recentemente ganhei um exemplar do filme Distrito 9, que fala da convivência nada pacífica entre humanos e alienígenas, numa espécie de Apartheid cósmico. O filme foi rodado na África do Sul, e me surpreendeu pela sua narrativa incomum e seus efeitos pra lá de especiais, colocando muitos filmes americanos no bolso. O problema é que o filme não estava em DVD, mas em Blu-ray. Por não ter um blu-ray player, fiquei impossibilitado de assisti-lo. Porém, minha curiosidade era tão grande, que acabei alugando um DVD do filme na Blockbuster próxima de minha casa.

A olhos nus, não há qualquer diferença entre um DVD, um CD e um Blu-ray. São mídias muito parecidas. O mesmo tamanho, a mesma textura, o mesmo aspecto exterior. Mas a qualidade é inconfundível. Tudo porque o Blu-ray faz uso de um laser de cor azul-violeta, cujo comprimento de onda lhe permite gravar mais informação num disco do mesmo tamanho usado por tecnologias anteriores, e com altíssima definição e densidade. O DVD usa um laser de cor vermelha.

Sou de uma geração que assistiu ao salto tecnológico dos últimos trinta anos. Lembro perfeitamente da vitrola que havia na sala de nossa casa. Aliás, minha mãe conta que nasci ao som de hinos cristãos tocados na velha vitrola. Lembro do meu deslumbramento quando pela primeira vez vi uma TV colorida numa loja do Ponto Frio em Alcântara, S. Gonçalo, enquanto esperava com minha mãe no ponto de ônibus. Lembro quando trocamos o velho televisor de válvulas por um de transistor. Lembro ainda quando meu pai ganhou seu primeiro vídeo cassete, cujo controle remoto era ligado por um enorme cabo.

Do vinil para o CD foi um salto.

Do VHS para o DVD foi outro grande salto.

Das TVs de válvula para as de transitor, depois para as de plasma e LDC, e agora lançaram a TV LED, cuja espessura é inacreditavelmente fina. Um salto com vara!

Da internet discada para a banda larga, outro salto.

E agora, do DVD para o Blu-ray.

Que bom que teremos um tempo para nos adaptar.

O player já está barateando aqui pelas nossas bandas. Já o encontramos a 99 dólares (cerca de 175 reais). Mas além dele, temos que comprar um cabo especial que custa cerca de 50 dólares. Li que no Brasil já se pode comprar um Blu-ray player por menos de 500 reais.

O fato é que estamos presenciando uma evolução tecnológica sem precedentes. Ninguém fica com um mesmo celular mais que um ano. Tudo evolui. E ninguém quer ficar pra trás, não é mesmo?

Pois vamos aproveitar a analogia que a tecnologia nos oferece para falar de outro tipo de evolução, a espiritual.

Não me vejo propriamente como um darwinista, mas devo admitir que haja uma evolução em andamento. Não nos moldes propostos por Darwin, mas naqueles encontrados nas páginas do Livro Sagrado dos cristãos.

O primeiro salto evolucionário se deu quando o homem recebeu o sopro de Deus em suas narinas. Naquele momento, um ser inanimado recebeu vida. O “boneco de barro” se levantou sobre seus próprios pés, fazendo jus à designação científica de Homo Erectus (Gn.2:7). O homem foi formado a partir de matéria pré-existente. A imagem do pó da terra foi escolhida por representar a menor partícula conhecida pelos hebreus. Pode representar moléculas, ou células, ou mesmo o DNA. Porém a constituição espiritual do homem advém do sopro da boca de Deus. O que lhe confere o status de imagem e semelhança de Deus não é sua composição química, ou  biológica, mas o sopro recebido da boca do Criador. Por isso, como cristão, não me sinto ameaçado por qualquer teoria que tente explicar a origem física do ser humano. Costumo até dizer que, de fato, o homem tem parentesco com todos os demais seres vivos do planeta, pois têm um ancestral e um destino comuns que a Bíblia chama de “pó da terra”. Leia e confira:

“Disse eu no meu coração: Isso é por causa dos filhos dos homens, para que possa prová-los, e eles possam ver que são em si mesmos como os animais. Porque o que acontece aos filhos dos homens, isso também acontece aos animais; a mesma coisa lhes acontece. Como morre um, assim morre o outro. Todos têm o mesmo fôlego, e nenhuma vantagem têm os homens sobre os animais. Tudo é vaidade. Todos vão para o mesmo lugar; todos são pós, e todos ao pó tornarão” (Ecl. 3:18-20).

Na linguagem da informática, o que nos difere dos animais não é o hardware, mas o software. Em termos morfológicos, até que somos bem parecidos com eles, principalmente com os mamíferos. Repare a maneira como nossos membros e órgãos estão distribuídos no corpo.

O escritor de Eclesiastes nos revela que compartilhamos até o mesmo fôlego. Todos os seres vivos necessitam de oxigênio para viver, mesmo os subaquáticos.

Se assumirmos que o tal “pó da terra” é uma alusão ao DNA, podemos afirmar sem medo de errar que somos todos parentes, pelo menos em se tratando de composição física.

O DNA é o responsável pelas características físicas de todos os seres vivos. Desde um inseto até o maior mamífero, todos são compostos dos mesmos elementos básicos. O que os difere uns dos outros é o código secreto existente em cada célula. Como pode uma bactéria ser formada dos mesmos elementos que compõe o homem? O que os distingue é a forma como esses elementos se arrumam para formar o código, ou melhor, o DNA.

Para facilitar a compreensão, tomemos, por exemplo, algumas letras do nosso alfabeto. Com as letras A, M, O e R, podemos formar a palavra AMOR. Mas se invertermos a ordem das letras, poderemos formar a palavra ROMA. Ora, trata-se de palavras com sentidos completamente diferentes, mas com as mesmas letras. A mesma idéia pode se aplicar ao DNA. Embora todos os seres vivos possuam os mesmos elementos deste código, estes são arrumados em seqüências diferentes.

O DNA é formado pelos nucleotídeos adenina, citosina, timina e guanina, representados por suas iniciais A, C, T e G. Por incrível que pareça, apenas quatro elementos compõem o código da vida!

É interessante que um dos mitos judaicos sobre a formação do primeiro homem diz que Deus tomou quatro porções de terra provindas dos quatro cantos do Mundo. Tudo isso pode indicar que haja uma congruência entre o relato bíblico e os postulados científicos.

Se em vez de genes, assumirmos que o “pó da terra” seja uma alusão ao mundo atômico? Ora, o corpo humano é composto de células, trilhões delas, que surgiram a partir da fusão de duas células, o espermatozoide o óvulo. E de que são feitas as células? De moléculas. Todos os seres, animados ou inanimados, são feitos de moléculas. A diferença é que nos seres vivos, as moléculas produzem células, enquanto nos inanimados não. Entretanto, todos são feitos de moléculas. E de que são feitas as moléculas? De átomos. Estes são os tijolos da Criação. Tudo o que Deus criou no Universo, desde as estrelas até a mais singela flor, é feito desse “tijolo” chamado átomo.

E por incrível que pareça, só há 92 tipos de átomos em toda a natureza. E como pode haver tamanha variação na obra de Deus? Como exclamou o salmista: “Ó Senhor, quão variadas são as tuas obras!” (Sl.104:24a). Tudo depende das combinações que houver entre esses 92 tipos de átomos. São como letras de um alfabeto. Em nosso alfabeto existem apenas 26 letras, mas com elas pode-se escrever qualquer coisa: desde as mais aterrorizantes manchetes de jornais, até as boas-novas do Evangelho.

A partir daí, podemos concluir que o parentesco do homem não se limita aos seres vivos, mas também abrange toda a matéria existente no Universo. Olhando por este ângulo, parece razoável que Francisco de Assis se dirigisse ao Sol e à Lua, chamando-os de irmãos.

Apesar disso, o homem foi elevado à condição de coroa da criação (Sl.8:3-6). Deus lhe conferiu o domínio sobre a Terra, instituindo-o como seu representante. Coube-lhe, entre outras coisas, cuidar e desenvolver a Terra, classificar e catalogar os demais seres vivos, dando-lhes nomes, e multiplicar-se. Portanto, a cultura, a ciência e o sexo são anteriores à Queda.

Para que cumprisse seu mandato cultural, o homem necessitaria desenvolver seu potencial latente, aprendendo a lidar com as diversas situações ao longo de sua jornada existencial. Tal conhecimento deveria ser obtido através de sua comunhão com o Criador e de sua experiência com a criação. Em vez de saltos, o homem teria que desenvolver-se passo a passo. Porém surgiu a possibilidade de um atalho. Uma árvore se erguia no centro do jardim.



O Segundo Salto

O segundo salto se deu quando homem ingeriu o fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal. Talvez alguém discorde dizendo que o que aconteceu ali não foi um salto, mas uma queda. Eu diria que foi uma queda proveniente de um salto. O mesmo salto proposto por Satanás a Jesus, ao levá-Lo ao pináculo do templo, ou ainda, ao mostrar-Lhe os reinos deste mundo, oferecendo-os de mão beijada, caso Ele se lhe sujeitasse. Atalhos! É isso que o diabo sempre tem a oferecer. Nada de processo, aprendizado, sacrifício, caminhada. Bastaria acessar o tal fruto, e pronto, o homem adquiriria todo o conhecimento de que necessitasse, sem ter que importunar o Criador. O que talvez levasse séculos, o homem obteria numa só tacada, ou melhor, abocanhada.

Acredito numa leitura arquetípica daquela árvore. Ela representa um tipo de conexão que Deus não queria a humanidade fizesse. E se quisermos avançar em nossa reflexão, descobrindo que tipo de conexão era aquela, basta-nos seguir à recomendação de Paulo, “comparando as coisas espirituais com as espirituais” (1 Co.2:13). Ela é chamada de “árvore do conhecimento do bem e do mal”. De que maneira adquirimos tal conhecimento? Deixe que Paulo responda: “Eu não conheci o pecado senão por intermédio da lei” (Rm.7:17). Portanto, pela Lei temos o conhecimento do mal. Mas por ela também adquirimos o conhecimento do bem, pois “a lei é santa, e o mandamento santo, justo e bom” (v.12). A noção de certo e errado advém da árvore do conhecimento do bem e do mal. A Árvore não é a Lei, mas o instrumento através do qual a Lei é dada. O fruto desta árvore é a Lei. Então, o que seria a tal árvore? De onde nos provém a Lei? Em última instância, provém de Deus. Porém, por qual intermédio ela nos foi entregue? De acordo com Estevão, em seu derradeiro sermão, “recebestes a lei por ordenação dos anjos” (At.7:53). Paulo concorda com o primeiro mártir cristão, ao dizer que a Lei “foi ordenada por intermédio de anjos” (Gl.3:19).

Minha conclusão é que a Árvore do conhecimento do bem e do mal representa a raça angelical, que inclui tanto os anjos eleitos, quanto os que se rebelaram.

Em vez de contentar-se em receber diretamente de Deus o conhecimento necessário para cumprir sua vocação, o homem preferiu contactar o mundo angelical. Por isso, Deus o entregou à tutela de tais seres (Gl.4:2). Este aprendizado começou no jardim, e culminou na entrega das tábuas da Lei no Monte Sinai. Com eles aprendemos, não apenas o que concerne à ética e a moral, mas também ao conhecimento tecnológico que nos proporcionou um salto que deixa atordoados os arqueólogos e antropólogos. O Livro de Enoque, que chega a ser citado no Novo Testamento, registra este intercâmbio entre os humanos e os anjos. Enoque diz que foram eles que ensinaram os homens a fabricar armas, a extrair metais da terra, a fazer feitiçarias, fabricar cosméticos e etc. De repente, a humanidade deu um salto tecnológico. Sem mais, nem menos, o homem deixa as cavernas, e o uso da pedra lascada, e começa a fabricar armas de metal. Talvez aí encontremos a explicação para alguns mistérios arquitetônicos da antiguidade, como as pirâmides do Egito, o sofisticado calendário Maia, etc.

O salto dado pela humanidade foi a causa de sua queda. Não estávamos preparados para lidar com tanto conhecimento. Esta queda nos causou uma espécie de lesão espiritual.

É interessante notar que uma das características do Homo Sapiens é o tamanho de seu crânio, maior do que seus ancestrais, que deve ao desenvolvimento do seu cérebro. Lembremo-nos que Deus disse à mulher que a partir daquele “salto”, seriam multiplicadas suas dores de parto. Não estaria esta “maldição” relacionada ao desenvolvimento do cérebro humano? Não seria esse um dos efeitos colaterais desta “evolução”?

Tutelado por anjos e assediado por demônios, o homem continuou sua jornada evolutiva (ou seria 'involutiva'?). Dos anjos recebeu a Lei, através da qual pôde discernir tanto o bem quanto o mal.

Dado seu estado de lesão e alienação espiritual, o Homo Sapiens foi se revelando Homo Demens.

Somente uma intervenção divina poderia alterar o curso das coisas. O homem precisaria dar um salto muito maior, haja vista que o último salto o levou a um patamar mais baixo que o anterior. Houve uma involução, em vez de evolução. Ainda que do ponto vista tecnológico houvesse ocorrido um progresso, do ponto de vista espiritual houve mesmo um retrocesso.


O salto de Deus

Em vez de seguir numa seta ascendente, a raça humana se via rolando precipício abaixo. Em vez de saltar "de glória em glória", estávamos indo "de abismo em abismo". Como bem disse o salmista, "um abismo chama outro abismo"(Sl.42:7). Como reverter isso? Como redimir a humanidade, trazendo-a de volta ao lugar de onde caiu? Só havia uma saída.

O próprio Deus, então, mergulha de cabeça na Criação, e Se faz homem na Pessoa de Seu Filho Unigênito, Jesus.

Cristo é o protótipo da Nova Humanidade. Paulo enxergou isso perfeitamente quando chamou-O de “o último Adão” (1 Co.15:45). Ele desce ao coração da matéria, assume nossa natureza, para elevar-nos com Ele.

Não haverá outro salto depois deste proposto por Cristo, que promove a emergência de uma nova designação: Homo Christus.

Jesus recapitula a história do primeiro Adão. Ele também tem a oportunidade de optar entre obedecer ou rebelar-Se contra o Pai. Mas prefere manter-Se leal Àquele que O enviou ao Mundo para redimi-lo.

N’Ele, o DNA humano (recebido de Maria) é fundido à Natureza Divina. Ele é 100% Homem e 100% Deus. Como homem, enfrenta os temores que assombraram nossa raça desde a queda. Vence a morte, o egoísmo, o ódio, e todas as mazelas advindas do nosso salto desastroso.

Uma vez ressurreto, reúne os Seus discípulos e assopra sobre eles, da mesma maneira como o Pai assoprara no primeiro Adão, e diz: “Recebei o Espírito Santo” (Jo.20:22). Com este gesto carregado de simbolismo, Jesus estava afirmando que através de Sua igreja, a humanidade experimentaria um recomeço, dando um novo salto, que diferente daquele, não teria resultados desastrosos, mas gloriosos. A igreja seria, por assim dizer, o embrião da nova humanidade, que construiria a civilização do Reino de Deus. Aquele sopro era uma espécie de Avant Premier , ou se preferir, uma pré-estréia do que aconteceria dez dias após Sua ascensão, com a chegada efetiva do Espírito Santo em Pentecostes.

Aqui vemos de maneira mais acentuada a diferença entre o primeiro Adão e Cristo, o último Adão. O primeiro recebeu o sopro da parte de Deus, tornando-se “alma vivente”, retransmitindo esta condição a toda sua descendência. O último Adão, por ser “espírito vivificante”, é quem sopra sobre os Seus, compartilhando-lhes a natureza divina (1 Co.15:45). Todos recebemos a natureza adâmica por nascimento, via DNA. Mas somente os que experimentam o “novo nascimento”, promovido pelo Espírito Santo naqueles que creem em Cristo, são partícipes da natureza divina. Formamos, então, uma nova espécie, a do Homo Christus, chamada nas Escrituras de “Homem Espiritual”.

O salto evolutivo proposto por Deus através de Cristo nada tem a ver com a teoria darwinista. Não se trata de uma evolução biológica, mas de consciência.

A exemplo da tecnologia Blu-ray, a mídia continua aparentemente a mesma. Não dá para distinguir um DVD de um disco Blu-ray. A mudança está no interior da mídia. Da mesma forma, qualquer membro de nossa espécie pode potencialmente ser agregado ao Homo Christus, tornando-se parte do Seu Corpo Místico. Basta que haja uma mudança no âmbito da consciência, chamada nas Escrituras de “coração”.

O que os antropólogos chamam de Homo Sapiens, a Bíblia chama de “homem natural”. A propósito, Homo Sapiens significa literalmente Homem Sábio. Porém, Deus chama de loucura a sabedoria humana. Já o Homo Christus é o homem espiritual, cuja consciência foi transformada pela atuação do Espírito Santo.

Veja o que Paulo diz sobre isso:
“Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, pois lhe parecem loucura, e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente. Mas o que é espiritual discerne bem a tudo...” (1 Co.2:14-15a).
Nosso DNA continua o mesmo, porém nossa composição espiritual foi afetada para sempre. Assim como Deus Se mesclou à nossa natureza, assumindo nossa composição genética, somos assimilados pela Natureza Divina (2 Pe.1:4), de maneira que “aquele que se une ao Senhor é um só espírito com ele” (1 Co.6:17).

Deus desce ao patamar no qual a queda nos colocou, para elevar-nos a um patamar de glória inalcançável pelos nossos próprios esforços ou méritos.

No linguajar bíblico, recebemos um novo coração.

Quando recebi o filme em Blu-ray, tentei rodá-lo em meu computador, pois imaginei que fosse capaz de ler qualquer mídia. Mas não logrei. Se quiser assisti-lo, terei que comprar um player mais cedo ou mais tarde. O problema não é o disco, mas a ausência de um aparelho compatível para tocá-lo.

Não há nada de errado com a Lei de Deus. O problema não está na Lei, mas na incapacidade do homem em obedecê-la. Embora tenha sido dado pelos anjos, sua origem é o próprio Deus. A Lei é perfeita, mas não pode ser “tocada” senão em um novo coração.

Para que lográssemos atender às suas demandas, precisaríamos ser regenerados, isto é, receber um novo coração, uma consciência transformada.

Foi Deus quem prometeu: “Dar-lhes-ei um coração para que me conheçam...” (Jr.24:7a). “Então eu lhes darei um mesmo coração, e um espírito novo porei dentro deles; tirarei da sua carne o coração de pedra, e lhes darei um coração de carne, para que andem nos meus estatutos, e guardem os meus juízos, e os executem...” (Ez.11:19-20a). E o escritor de Hebreus cita a mesma promessa: “Esta é a aliança que farei com eles depois daqueles dias, diz o Senhor: Porei as minhas leis em seus corações, e as escreverei em seu entendimento...” (Hb.10:16a).

Nossa relação com a Lei é diferente dos que viviam sob a égide da Antiga Aliança. Já não estamos sob a Lei, nem tampouco sob a tutela dos anjos! A Lei agora foi gravada em nossas consciências, e estamos sob a tutela do Espírito Santo. No dizer de Paulo, recebemos a mente de Cristo, apta a discernir o bem e o mal, e optar pelo o que é certo.

A morte vicária de Cristo na Cruz nos resgatou da condenação da Lei, e nos livrou definitivamente do poder que o império das trevas exercia sobre nós. Nossos fantasmas foram exorcizados. O ciclo interminável deflagrado pelo pecado foi rompido. A morte já não se constitui ameaça para nós. Nosso pesadelo chegou ao fim. Sua ressurreição é a garantia de que um dia, quando nosso disco estiver gasto, receberemos uma nova mídia, isto é, um corpo glorificado, que jamais se desgastará. A descida do Espírito Santo em Pentecostes nos habilitou a sonhar novamente, a acreditar e trabalhar pelo futuro da humanidade.

A Árvore da Vida agora nos é franqueada. Somos convidados a alimentar-nos dela constantemente. Esta árvore é ninguém menos que o próprio Cristo, a “Videira Verdadeira”, (Jo.15). Ele quem disse: “Quem de mim se alimenta, por mim viverá” (Jo.6:57b).

 Postada originalmente em 11/01/10

8 comentários:

  1. Anônimo6:40 PM

    Amén.

    Ciência e Fé devem caminhar de mãos dadas.No entanto,a Bíblia deve ser o padrão da Ciência.felicitações pelo blog.está maravilhoso.

    André

    ResponderExcluir
  2. Fiquei muito feliz pelo privilégio de sua visita ao meu blog (METANÓIA), como também por seu comentário, pois sua opinião sincera tem grande peso.

    Reconheço o valor de uma boa reflexão bíblica e a importância dos blogs para a edificação cristã, por isso sempre tenho acompanhado e indicado cada postagem de seu blog.

    Agradeço muito pelo meu banner em seu blog, isso representa maior responsabilidade de minha parte, algo que assumirei com grande satisfação.

    Que Deus abençoe!

    Antonio da Cruz (www.metanoiacruz.blogspot.com)

    ResponderExcluir
  3. Missionário Barbosa10:59 AM

    BISPO HERMES, GRAÇA E PAZ DE JESUS CRISTO, O CORDEIRO SANTO, O ÚNICO E VERDADEIRO AMIGO FIEL.
    " VIDEIRA VERDADEIRA, JESUS CRISTO É! NELE FOMOS ENXERTADOS ATRAVÉS DA FÉ."
    " JESUS CRISTO DISSE: EU SOU A VIDEIRA VERDADEIRA."
    Nesta parabóla ou alegoria, Jesus Cristo o Senhor, Rei dos reis se descreve como " A VIDEIRA " e aqueles que se tornaram seus discípulos, como " OS RAMOS ".
    Ao permanecerem ligados em Jesus Cristo como a fonte da vida, frutificam.
    DEUS é o lavrador que cuida dos ramos, cuida de nós, para que dêem fruto; ler João 15. 2,8. DEUS espera que todo cristão dê fruto.
    João 6.54 diz: Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna, e eu o ressuscitarei no último Dia.
    Esta expressão de "Jesus Cristo o Senhor" revela que recebemos vida espiritual crendo nEle "somente em Jesus" e tendo parte nEle e nos benefícios redentores da sua morte na cruz: ler Romanos 3.24,25; I João 1.7.
    Destaca, ainda, a Verdade que continuamos a ter vida espiritual à medida que permanecermos no Cristo Vivo e na sua Palavra Salvifíca de Vida Eterna. Compare o versículo 53 com o 63 de João, onde Jesus: "AS PALAVRAS QUE VOS DISSE SÃO ESPÍRITO E VIDA".
    CONCLUINDO: Jesus Cristo é a Palavra Viva("VERBO"). A Bíblia é a Palavra escrita; Jesus Cristo é o Pão da Vida; ler João 1.1,5;
    2 Timóteo 3.16; 2 Pedro 1.21; João 6.35.
    Em Mateus 4.4 Jesus disse: "nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus. " Portanto, comemos a sua carne ao receber e obedecer à Palavra de DEUS; ler João 6.63.
    Tendo isto em vista, A Palavra, o Verbo que é:
    (Jesus) em nossas vidas, é impossível o abandono da comunhão com ELE, ou com sua Palavra salvifíca de Vida Eterna.
    LOUVADO SEJA O NOME DE JESUS CRISTO!
    Meu amigo, vc que não aceitou Jesus Cristo como seu único e suficiente Salvador, aceite-o agora mesmo, ou amanhã será tarde demais! É só dizer: Jesus Cristo, eu te aceito como meu único e suficiente Salvador, perdoa meus pecados, escreve meu nome no livro da vida.
    SE VC CONFESSOU A JESUS AGORA, À PARTIR DESTE MOMENTO, VC É NOVO MEMBRO DO CORPO DE CRISTO.
    É MEU IRMÃO, NOSSO IRMÃO! VC ESTÁ LIVRE DA ESCRAVIDÃO E DO PODER DE SATANÁS.
    SEJA BEM VINDO MEU NOVO IRMÃO!

    ResponderExcluir
  4. Texto bem edificante e informativo.
    Que deus lhe abençoe!

    PS: Moro a 10 minutos de ônibus desta loja em Alcântara! :D

    ResponderExcluir
  5. Graça e paz!

    Hoje não estou passando para opinar sobre as dilétas postagens, mas para fezer um convite, quero convida-los a conhecer o meu espaço, criado recentemente, um blog que fala sobre os dois lados da moeda na igreja, mesclado com detalhes do nosso cotidiano sangrento. Aguardo a visita.

    Estarei seguindo esse espaço.

    Abração.

    www.emterradecego11.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Missionário Luiz2:56 PM

    Bispo Hermes, Paz de Jesus Cristo seja com o irmão.
    Se o irmão não importar, gostaria de reforçar este belo, profundo e objetivo texto que o irmão nos alimentou espiritualmente, com apenas mais um versículo que está em Mateus 11.28,29 que fala:
    Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei.
    Tomais sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração, e encontrareis descanso para a vossa alma.
    O Generoso convite Jesus Cristo destina-se a "todos os que estais cansados e orpimidos" com os problemas da vida e os pecados do próprio ser humano.
    Quem vem a Jesus Cristo e torna-se seu servo e faz a sua vontade, Jesus o alivia de suas insuportáveis aflições e lhe dará descanso, paz e seu Espírito Santo como guia.
    Deste modo podemos suportar as provações e inquietações da vida, com o auxílio e a graça de Deus.
    Hebreus 4.16 fala claramente: Cheguemos, pois com confiança ao trono da graça, para que possamos alcançar misericórdia e achar graça, a fim de sermos ajudados em tempo oportuno.
    Como diz o irmão Barbosa em seu comentário acima, nós somos apenas "os ramos", Jesus Cristo é à videira Verdadeira.
    Temos que dar frutos para Jesus Cristo, estes frutos e ganhar vidas, almas dos homens perdidos e levavá-los a vida eterna, através de Jesus Cristo e seu Doce Espírito Santo, Amém!
    "MISSÃO, OBRA MISSIONÁRIA ESTÁ NO CENTRO DO CORAÇÃO DE DEUS." PORTANTO "IDE" " A SEARA E GRANDE, E POUCOS TRABALHAM."

    ResponderExcluir
  7. Bispo, nem o conheço e nem o seu minsitério. Mas, estou passando pelo tempo de cura na área da minha saúde (corpo). Adoeci, internei, fui operada e estou em recuperação em casa. Mas, tudo correndo ótimo. Para Glória de Deus. Estou literalmente no "páre" de Deus. Então, buscando fotos, cheguei no seu blog e informo que postei citando-o. É necessário verdadeiramente que pessoas abordem esses fatos, que TODOS dizem que DEUS-BÍBLIA-CIÊNCIA-DIREITO-FILOSOFIA, etc... não se comunicam. Isso é pura mentira! Certo? Sou estudante de Direito, e por si só tenho que ler muito, para facilitar amo ler e de tudo. E ainda, sou Cristã. Então, parabéns pelo excelente e "completo" texto. Muito informativo e ousado. Cintia de Goys, RJ, Projeto Vida Nova de Irajá - A Igreja que tem Cara de Leão.

    ResponderExcluir
  8. Paso visitando su blog. Bendiciones.
    Mi blog www.creeenjesusyserassalvo.blogspot.com

    ResponderExcluir