terça-feira, junho 06, 2017

21

As Dez Virgens: Parábola usada para aterrorizar os crentes


Por Hermes C. Fernandes


Uma das passagens mais usadas para aterrorizar os crentes é a parábola das Dez Virgens. De acordo com a interpretação de alguns pregadores, a parábola indica que apenas uma porcentagem dos crentes em Jesus participariam do Arrebatamento, e os demais seriam deixados para trás. Se formos um pouco mais literais, somente 50% dos crentes serão realmente salvos. Os demais estão entre os imprudentes, que serão pegos de surpresa, despreparados, e por isso, inaptos para subir com Cristo.

Será que tal interpretação faz jus àquilo que Jesus intentava dizer aos Seus discípulos?

Nessa parábola, Jesus está falando da chegada do reino, e não de Sua segunda Vinda. E o Seu reino foi inaugurado ainda em Seu primeiro advento. O texto diz que “o reino dos céus será semelhante a dez virgens que, tomando as suas lâmpadas, saíram ao encontro do noivo” (Mateus 25:1).

Soa até estranho, se não atentarmos para o contexto cultural da época. Estaria Jesus defendendo algum tipo de poligamia? Por que “dez virgens”, em vez de apenas uma? Teria Jesus mais de uma noiva?

As virgens da parábola não seriam desposadas pelo noivo. Elas eram como “madrinhas” da noiva. Fazia parte do ritual de bodas judaicas, o encontro das “madrinhas” virgens com o noivo para acompanhá-lo até a noiva.

Ora, o noivo da parábola representa o próprio Cristo. E a noiva, embora não figure na parábola, é a Igreja. Quem seriam, então, as virgens? Elas representam o povo judeu.

É interessante que em outra passagem, João Batista se apresenta como “o amigo do Noivo”. Além das virgens madrinhas, o noivo também era assistido por um amigo, geralmente, aquele que fosse considerado o melhor amigo. Assim como não podemos confundir o noivo com o amigo do noivo, também não podemos confundir a noiva com as dez virgens.

Ao ser confundido com o Cristo, João respondeu: “Eu não sou o Cristo, mas sou enviado adiante dele. A noiva pertence ao noivo. O amigo do noivo, que lhe assiste, espera e ouve, e alegra-se muito com a voz do noivo. Essa alegria é minha, e agora está completa” (João 3:28b-29).

De acordo com o protocolo, as virgens madrinhas deveriam sair ao encontro do noivo, portando lâmpadas devidamente acesas.

Segundo a parábola, dentre as dez virgens, cinco eram prudentes, e cinco eram insensatas.
“As insensatas, ao tomarem as suas lâmpadas, não levaram azeite consigo. Mas as prudentes levaram azeite em suas vasilhas, com suas lâmpadas. Demorando o noivo, todas elas acabaram cochilando e dormindo.” Mateus 25:3-5
Repare no detalhe: todas elas acabaram dormindo. Ficaram desatentas, e cochilaram. A diferença entre elas era o suplemento extra de azeite que cinco delas haviam trago. Portanto, a questão não era apenas de vigilância, como bradam os pregadores, mas de prevenção e prudência. Ser prudente aqui, é ser precavido.

Por isso, não parece razoável usar esse texto para amedrontar os crentes, fazendo-os duvidar de sua salvação, temendo que o Senhor lhes flagre “dormindo”. Paulo escreve acerca disso em sua primeira epístola endereçada à igreja em Tessalônica:
“Mas, irmãos, acerca dos tempos e das épocas, não necessitais de que se vos escreva, pois vós mesmos sabeis muito bem que o dia do Senhor virá como o ladrão de noite (sem aviso prévio) (...) Mas vós, irmãos, já não estais em trevas, para que esse dia vos surpreenda como um ladrão. Todos vós sois filhos da luz, e filhos do dia. Nós não somos da noite, nem das trevas. Não durmamos, pois, como os demais, mas vigiemos, e sejamos sóbrios. Pois os que dormem, dormem de noite, e os que se embriagam, embriagam-se de noite. Nós, porém, que somos do dia, sejamos sóbrios (...) Pois Deus não nos destinou para a ira, mas para alcançar a salvação por nosso Senhor Jesus Cristo, que morreu por nís, para que, quer vigiemos, quer durmamos, vivamos juntamente com ele.” I Tessalonicenses 5:1-2,4-8a, 9-10
É claro que devemos “vigiar”, isto é, estar atentos, para que não sejamos surpreendidos. Entretanto, quer vigiemos ou durmamos, nosso encontro com o Senhor é garantido. O risco é o de sermos pegos de surpresa, e não o de sermos condenados. Voltando à parábola:
“Mas, à meia-noite ouviu-se um grito: Aí vem o noivo, saí ao seu encontro.” Mateus 25:6
Esse “grito-convocação” foi o grito dos profetas, dos quais, João foi o último expoente. Apenas parte do povo judeu deu ouvidos ao alarde profético. A outra parte se manteve surda e insensível ao apelo de Deus. Faltava-lhes o azeite, a luz, a revelação. Seu coração foi endurecido. Paulo compreendia bem tal situação, pois a havia testemunhado. Em sua última investida evangelística direcionada aos judeus, o apóstolo dos gentios se viu profundamente decepcionado com seus patrícios.

Segundo o relato de Atos, dentre os judeus que vieram ao seu encontro em Roma, “alguns foram persuadidos pelo que ele dizia, mas outros não creram” (28:24). Os que criam eram as virgens prudentes, e os que desdenhavam eram as virgens insensatas. Suas lâmpadas estavam apagadas. Lucas diz que eles “discordaram entre si, e começaram a sair, havendo Paulo dito esta palavra: Bem falou o Espírito Santo a nossos pais pelo profeta Isaías: Vai a este povo, e dize: Ouvindo, ouvireis, e de maneira nenhuma entendereis; vendo, vereis, e de maneira nenhuma percebereis. Pois o coração deste povo está endurecido; com os ouvidos ouviram pesadamente, e fecharam os olhos, para que jamais vejam com os olhos, nem ouçam com os ouvidos, nem entendam com o coração, e se convertam e eu os cure” (Atos 28:25-27).

Dentre os filhos de Israel, somente o remanescente pôde entrar no Reino de Deus. Quem são os remanescentes? Os que deram ouvidos ao grito profético, e foram ao encontro do Noivo. Isso é confirmado por outras passagens, como aquela que Paulo menciona aos Romanos: “Ainda que o número dos filhos de Israel seja como a areia do mar, o remanescente é que será salvo”(Romanos 9:27).

Somente os que atentassem para as profecias, e se dessem conta de que elas falam de Jesus de Nazaré, e confiassem em Sua provisão para a salvação, seriam, de fato, salvos. Ninguém seria salvo por pertencer a uma etnia, ou por ter o sangue de Abraão correndo em suas veias. É Paulo quem afirma: “Tenho declarado tanto aos judeus como aos gregos que devem se converter a Deus, arrepender-se e ter fé em nosso Senhor Jesus Cristo” (Atos 20:21).

Por todo o livro de Atos encontramos o cumprimento da parábola das virgens. Em Antioquia, por exemplo, “muitos dos judeus e dos prosélitos devotos seguiram a Paulo e Barnabé, os quais, falando-lhes, exortavam-nos a que permanecessem na graça de Deus”(Atos 13:43). Esses equivalem às “virgens prudentes”. Mas logo abaixo no texto, lemos que “os judeus, vendo a multidão, encheram-se de inveja, e, blasfemando, contradiziam o que Paulo falava” (v.45). Esses equivalem às “virgens insensatas”.

A parábola prossegue:
“Então todas aquelas virgens se levantaram e prepararam as suas lâmpadas. E as insensatas disseram às prudentes: Dai-nos do vosso azeite; as nossas lâmpadas se apagam. Mas as prudentes responderam: Não seja o caso que nos falte a nós e a vós. Ide antes aos que o vendem, e comprai-o.” Mateus 25:7-9
De quem elas deveriam comprar o azeite? Onde encontrariam a luz de que suas lâmpadas necessitavam? Com a palavra, Simão Pedro, o apóstolo da circuncisão:
“E temos ainda mais firme a palavra dos profetas, à qual bem fazeis em estar atentos, como a uma luz que ilumina em lugar escuro, até que o dia clareie, e a estrela da manhã surja em vossos corações.” 2 Pedro 1:19
Revelação não é algo que se possa receber de terceiros. Não há como terceirizá-la. Tem-se que buscar na fonte. Podemos adquirir informação através de outros, mas só adquiriremos “azeite” para nossas lâmpadas, se buscarmos diretamente na fonte. Por isso Jesus insistia: “Examinai as Escrituras...”

Por muitos séculos, os judeus negligenciaram a Palavra. Por isso, foram incapazes de reconhecer o Messias, quando Ele apareceu nas ruas da Galileia.

Quando procuraram por Paulo em Roma, queriam um pouco de azeite para suas lâmpadas, mas a porta já se havia fechado. Como disse Jesus, o Reino lhes fora tirado, e entregue a um outro povo, a igreja. Somente os remanescentes “entraram com ele para as bodas”. Para esse “remanescente”, a porta sempre estará aberta. Como bem afirmou o apóstolo: “Assim, pois, também agora neste tempo ficou um remanescente, segundo a eleição da graça” (Romanos 11:5).

Como vimos, a parábola das virgens jamais teve a intenção de causar pânico aos seguidores de Cristo. Não estamos nem entre as cinco prudentes, nem entre as cinco insensatas. Somos a única noiva do Cordeiro, aquela que está sendo preparada para ser apresentada “como uma virgem pura a um marido, a saber, a Cristo” (2 Coríntios 11:2).

21 comentários:

  1. Fantástico! Isso coloca o texto bíblico, irremediavelmente, na perspectiva preterista.

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  2. Muito bom esse texto de esclarecimento, Hermes!

    Aliás... muito bom todo o conteúdo do teu blog!

    Tô reproduzindo esse post aqui no Mural na Net, OK?

    ResponderExcluir
  3. Carambaaaa! Sempre fui amedrontada quando os pregadores faziam referências a essa parábola correlação a quem iria para os céus e quem ficaria por não vigiar!! Mas esse texto deixou bem claro o real sentido da parábola!!
    Parabéns!!
    Que o Senhor Jesus continue a dar-lhe sabedoria para nos trazer textos esclarecedores da bíblia!!

    ResponderExcluir
  4. Noiva - A igreja
    Virgens - que cuidavam da noiva (apóstolo, profeta, evangelista, pastor e mestre)

    5 virgens com azeite - 5 ministérios com unção,
    5 virgens sem azeite - 5 ministérios sem unção, mercenários e ladrões (joão 10:10), é dado a eles a mesma resposta que aqueles que fizeram milagres, curas et cetera (compare Mateus 7:22-23 - Mateus 25:11-12)

    ResponderExcluir
  5. Anônimo2:53 PM

    Infelizmente as pessoas que não tem internet e não fazem uma boa leitura a biblia, pensam que as virgens representam a Igreja, quando na verdade elas representam Israel!!

    ResponderExcluir
  6. Hermes, este meu amigo aí anônimo é que está precisando ler mais a bíblia.
    PARÁBOLA DAS DEZ VIRGENS.
    Esta parábola ressalta o fato que todos os cristãos devem constantemente examinar sua vida espiritual, tendo em vista a vinda de Cristo num tempo desconhecido e inesperado.
    Devem perserverar na fé, para que uma vez chegados o dia e a hora, sejam levados pelo Senhor na sua volta( Mt 25.10).
    Estar sem comunhão pessoal com o Senhor quando Ele voltar, significa ser lançado fora da sua presença e do seu reino.
    1- O que faz a diferença entre o néscio e o sábio é aquele(louco) não reconhecer que o Senhor, ao voltar( ver Jo 14.3), virá num tempo em que não é aguardado, nem precedido de sinais visíveis específicos ( Mt 25.13; 24.36.44)
    2- Jesus Cristo mostra aqui em Lc 18.8 que uma grande parte dos cristãos estará despreparados no momento da sua volta( vv.8-13).
    Jesus Cristo deixa, pois, claro que Ele não vai esperar até que todas as igrejas locais estejam preparadas para sua vinda.
    3- Note-se que todas as dez virgens( tanto as prudentes como as loucas) foram supreendidas, ao vir o noivo ( ver Mt 25.5-7).
    Isto indica que a parábola das dez virgens refere-se aos cristãos vivos antes da tribulação e não àqueles durante a tribulação, os quais terão sinais específicos precedendo a volta de Cristo no final da tribulação.
    A parábola das dez virgens destaca a urgente necessidade disso, pelo fato de Cristo vir numa data imprevisível.
    "Na vossa paciência", disse Jesus "possuí a vossa alma (Ver Lc 21.19).
    O azeite nesta parábola representa no cristão a presença permanecente do Espírito Santo, aliada à fé verdadeira e à santidade.
    Cinco outras parábolas contendo a lição da perseverança são:
    - O Semeador( Lc 8.4-15).
    - O Servo Vigilante( Lc 12.35-40).
    - O mordomo Fiel( Lc 12.42-48).
    - O construtor da torre( Lc 14.28-30).
    E O Sal Degenerado( Lc 14.34,35).
    Então Bispo Hermes, e Roberta Pires, que não estiver Santificado não será levado pelo Senhor Jesus ao seu encontro nos ares, ficaram para a grande tribulação sim.
    Mas os que perseverarem até o fim na grande tribulação como diz a Palavra de Jesus: Jesus Cristo fala que dar-te-ei a coroa da vida.
    Roberta, não é de ter medo não! Se vc estiver santificando sua vida, e quem estiver santificado em Cristo encontrará com toda certeza com Jesus e reinará para todo sempre com ele.
    Mas se não estiver santificado infelizemnte ficará para grande tribulação, aí minha irmã não queira ficar porque será terrível.
    Isto é real e vai acontecer!
    Então o melhor é santificar sua vida a Jesus, e renunciar totamente este mundo e seus prazeres.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo10:25 AM

      Eita!!! Quer dizer que a salvação do cristão depende de sua postura, comportamento e vida devocial diária até vinda de Jesus, e eu, ingenuamente pensei que fosse pela Graça. Eu realmente sou um néscio...

      Excluir
    2. Anônimo4:47 PM

      Nemli&Nemlerei

      Excluir
  7. Anônimo11:45 AM

    Sinceramente! Somos pessoas formadoras de opiniões. Cada um ler e absorve de um jeito. Se tratanto de opiniões/leitura, não existe certo ou errado. É claro que considerando o contexto. Vejo que devemos nos a ter a palavra (Bíblia), ao momento e verdadeiramente à aquilo que o espírito Santo de Deus nos revelar. Abraço a todos! Excelente texto.

    ResponderExcluir
  8. Miguel4:54 PM

    Anônimo é todo seu direto de opinião ao que respeitamos.
    Mas não podemos concordar com voce, a bíblia à Verdadeira original Palavra de Deus diz, e em vários lugares o contrário.
    Mas não vá além do que a bíblia diz.
    O Espírito Santo te deu revelação como dizes, mas está na contra-mão da Palavra de Deus que é verdade escrita.
    Que Espírito é este que só revela para voce?
    A revelação do Espírito Santo tem que estar na Palavra de Deus escrita, eles andam juntos, e o azeite é o Espírito Santo, se voce não tiver a sua vida cheio do Espírito Santo, e não se santificar separando deste mundo e seus prazeres, voce ficará com toda certeza para grande tribulação, pois sem santificação ninguém verá o Senhor.
    Para santificar, tem que estar com o azeite cheio, ou seja, tem que estar cheio do Espírito Santo e a Palavra de Deus Viva e sua vida.
    Há vários espíritos enganadores andando aí no mundo, cuidado! Só a Palavra de Deus é a Verdade.
    Esta escrito claramente, que o azeite é o Espírito Santo, o salmista diz ao SENHOR: unjas minha cabeça com óleo( azeite), no manuscritos original óleo é azeite e meu cálice se transborda; " Unjes a minha cabeça com óleo" ( azeite) refere-se ao favor e bênção especiais de Deus, pela unção do seu Espírito Santo no corpo, mente, e espírito do cristão, um versículo para quem interessar está em Efésios 5.18 .
    E as dez virgens somos nos o povo de Deus, e não Judeus, por favor me mostre na bíblia que é Israel judeus.
    Poucos judeus subirão no arrebatamento, leia a bíblia por gentileza.
    Mas haverá salvação para o judeus e sua nação Israel sim! Mas na grande tribulação, na segunda vinda de Cristo .
    Isto meu amigo anônimo é um estudo mais profundo em escatologia, que posso lhe mandar-lhe sobre este assunto sobre judeu e salvação de Israel.

    ResponderExcluir
  9. Parabéns Hermes, já conheço esse contexto a mais de 20 anos e sei sem dúvida alguma, que Cristo é o Noivo que vai para as bodas encontrar-se com a sua Noiva (Nós/Igreja). E as Virgens são o Povo Judeu (Israel). Mas infelizmente essa Igreja de Laodicéia, é uma miséria e está cheia de ensinamentos errados e heresias. Fico feliz que o Irmão tem esta visão. Demorei muito pra encontrar quem tivesse o mesmo conhecimento que tenho. A maioria dos irmãos não tem esse conhecimento. Me tirou um peso da minha mente e já debati com vários irmãos, fiquei sozinho e eu pensava até que tivesse errado nessa interpretação. Parabéns Irmão, que a Graça e o conhecimento aumente cada vez mais. O Espírito Santo é o Professor de quem quer aprender a Verdade de Deus...

    ResponderExcluir
  10. Anônimo12:57 AM

    A Palavra de Deus é viva.... realmente crer que sua opinião sobre ela é a CORRETA mata a palavra!!
    Cuidado irmãos...

    ResponderExcluir
  11. Cacá3:39 PM

    Naélson Ferreira vejo que vc é novo em idade e novo na fé.
    E ó anônimo, quem está matando a Palavra de Deus é vc com essa fala e essa falta de conhecimento bíblico.
    Se o Espírito Santo me revelar a Verdade na Palavra é correto no que falo, falarei o que Ele o Espirito Santo me revelou, se for assim o Bispo Hermes está dizendo mentira, tudo que ele prega da Palavra de Deus em sua igreja é mentira? Não é correto? Portanto não substime o Espírito Santo meu caro que nos revela coisas profundas que não sabemos .
    As coisas ocultas perrtence a Deus, a reveladas pertence aos homens.
    Muitas coisas aprendemos no seminário Teólogico, como vc disse, mas usou esta frase aí mata a palavra, que é de um versículo, mas vc usou de maneira diferenteo versículo diz: A letra mata, mas o Espírito edifica, se quer ver este versículo procure na bíblia para estudar.
    Mas, Naélson Ferreira por gentileza mostre na Palavra de Deus na Bíblia original, que as dez virgens são os judeus, que na minha bíblia original não achei isto, pelo que estudei no manuscritos original não fala nada que as dez virgens são os judeus o povo de Israel, me desculpe mas vai estudar bíblia por gentileza.
    Sou formado em Bacharel em Teologia e falo o que sei, vc fala o que não sabe.
    Que bíblia vc lê, se for da igreja católica aí pode ter isto que vc falou.

    ResponderExcluir
  12. Cacá2:46 PM

    Antes que venha atirar as pedras, quero dizer que o versículo que mencionei está em dois sentidos ok?
    Na bíblia que temos e que é original fala: A letra mata, mas o Espírito vivifica.
    Já no manuscritos original grego que não é a bíblia que temos diz : A letra mata, mas o Espírito edifica, tem dois sentidos, os dois estão certos.

    ResponderExcluir
  13. Anônimo10:39 PM

    Hermes nunca pensei nisso. Gostei. Pregações sobre apocalipse não estão de acordo, pois ninguem sabe de nada.

    ResponderExcluir
  14. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  15. "Por muitos séculos, os judeus negligenciaram a Palavra."
    Infelizmente não só os Judeus, mas a Igreja Católica, por muitos séculos, e hoje ainda as seitas neo-pentecostais, com seus adestramentos por versículos soltos e descontextualizado. A Palavra de Deus é Cristo e Este é a Verdade, conhecê-LO é um desafio, para os impostores, porque tal conhecimento trás consciência de liberdade no Espírito. Rezemos, para que mais Pastores de Almas, iluminados pelo Espírito Santo, nos tragam mais esclarecimentos do Verbo de Deus, que é Cristo, por meio de Sua Palavra. Obrigado Bp. Hermes, por ser este pastor de almas, consagrado a Deus. Uma honra e um enorme aprendizado, ler seus escritos.

    ResponderExcluir
  16. Parabens Hermes, sempre se exmerando ao máximo para produzir conhecimento e pensamento crítico em relação a Palavra. Seus textos são muito admirados na minha casa.

    ResponderExcluir
  17. O interesante é que se este texto se refere a Israel,pq Jesus não usou a parábola com doze virgens, que é o número das tribos de Israel? Essa revelação dada ao Hermes,é meia capenga e distorcida!A maior verdade neste texto é que uns subirão( os que estão preparados) e outros ficarão (os despreparados)> Não importando nisto a porcentagem! Agora o que de crentes com a vazilha vazia de azeite e cheia com as coisas do mundo, não tá no gibi!

    ResponderExcluir