quarta-feira, julho 18, 2007

5

O que vale mais? Medalhas ganhas ou vidas perdidas?

Hoje o povo brasileiro experimentou um misto de euforia e luto concomitantes. Tínhamos 37 motivos para comemorar, e cerca de 200 motivos para chorar.

Os jornais não sabiam como dividir suas principais notícias em sua página principal. A manchete principal anunciava a maior tragédia da aviação brasileira, apenas dez meses depois do acidente envolvendo as aeronaves da GOL e da Legacy.
Logo abaixo, quase no rodapé dos jornais, lia-se as conquistas e medalhas dos atletas brasileiros no PAN.
Quem quer que comemorasse tais conquistas, logo se sentia mal, por achar que as razões para lamentar eram muito maiores do que para celebrar.

O que vale mais? Medalhas ganhas ou vidas perdidas?

Bilhões de reais foram gastos para que o PAN do Rio projetasse o Brasil no Exterior, e fortalecesse sua candidatura à Copa do Mundo em 2014 e aos Jogos Olímpicos em 2016. O investimento parece ter surtido efeito. Pena que não houve o mesmo esforço por parte dos governos para solucionar o caos aéreo, o que resultou nessa histórica tragédia.

Ironicamente, não foi o PAN que mais projetou o Brasil nos telejornais internacionais, como o da CNN, o da FoxNews e o da BBC. Mas foi a tragédia aérea, e o descaso do governo brasileiro para com a segurança aérea de seus cidadãos.

5 comentários:

  1. De fato, as prioridades estão distorcidas. É como cobrir o atleta com roupa de ouro, sem dar-lhe o pão. A roupa de ouro acabaria se tornando sua roupa mortuária.

    É assim que o grande Brasil, gigante pela própria natureza, posa com orgulho para a foto: roupa de ouro, magro e com olheiras.

    ResponderExcluir
  2. Vagner9:28 PM

    Concordo e discordo.
    Na verdade o governo não segurou a mão do infeliz que desligou o transponder;
    Não estava na base do sindarta quando não houve um controlador para entrar em contato com o voo da gol;
    Não estava na cabeça do controlador que ao ivés de falar com os dois comandantes, falou apenas no do legacy;
    Não estava na mente assassina de doentia dos pilotos americanos quando testavam o aparelho em pleno voo.
    Na verdade mesmo, não temos certeza do que pode ter causado a queda e explosão deste avião, diante das hipóteses a mais remota é com relação à pista que recebeu tratamento especial e mais ainda teve vistoria de rotina apenas algumas horas antes, o que fazer num momento desses?
    Chorar e lamentar, também agradecer a Deus pelas vidas salvas com as desistências e trocas de voo.
    Quando não se permite a decolagem e aterrissegem de aviões em maos tempos, a população pula para dentro dos balcões para insultar e as vezes agredir as pessoas que nada tem haver com isso, deveriam sim era falar com Deus para evitar chover nas áreas onde são construídos os aeroportos.
    Tenho lamentado também a falta de aplicação de recursos nas escolas públicas, que é um setor extremamente importante, vejo no caso da aviação falta de estratégia, há um peso muito grande em cima de duas cidades, Brasília e São Paulo, isto deveria mudar um pouco.

    Essa é a minha exprimida opinião.

    ResponderExcluir
  3. João Eduardo9:28 PM

    Concordo que a referida tragédia deixou todos nós atônitos. Lamento profundamente o episódio e me solidarizo com a dor das famílias, mas é incrível como a sociedade só fica perplexa com as mortes relacionadas com as pessoas da classe MÉDIA pra CIMA. Agora pergunto: quantas pessoas, das classes mais baixas morrem nesse país, todo ano, vítimas do descaso do Governo e da própria sociedade? O engraçado é que ninguém fica consternado e nem pede para o país parar, nem luto oficial e muito menos CPI. Aliás, porque ninguém fala em CPI do transporte terrestre, onde morrem centenas de pessoas por causa das péssimas rodovias. Essas tragédias, aéreas, ocorrem de “caju em caju”, mas a morte por falta de atendimento em hospitais, por causa da violência, por causa da fome, entre outras, acontecem todos os dias e nós achamos todo isso natural. Assim é o meu país, assim caminha a humanidade. Até quando???

    ResponderExcluir
  4. Ana Cristina9:29 PM

    É meus caros, tragédia, dá ibope e faz deixar de lado a vida diária, miséria diária já está fora de moda, ninguém vê, ninguém sabe ninguém viu.

    A situação está gravíssima, e o que se precisa é de resultados e não desse joguinho de jogar a culpa para o Zé, o João ou o Joaquim.

    Algo muito simples, mas que poucos são os que fazem é o bom e velho “cada um fazendo sua parte” só essa atitude já ajudaria e muito. Quando se dá dinheiro a criança pedinte se ajuda a continuar na miséria, quando se dá um jeitinho para se conseguir algo é um ato corruptivo, e por ai vão dezenas de ações tomadas diariamente pela grande maioria e que todos acham normal, só não percebem que é uma parcela para piorar a situação geral.

    Tenho minha parcela de culpa, assim como tenho de indignação ao descaso que as pessoas se permitiram chegar.

    Já não se dá mais valor a vida, ao respeito ao próximo, isso tudo está fora de moda. O legal é ser “descolado”, “sabidão” e “se dá de bem” em todas, não importa quem será prejudicado, desde que você esteja como quer e com o que quer.

    Quem colocou os governantes no poder foi esse mesmo povo que hoje reclama e nas próximas eleições colocaram os mesmos, desde que ganhem alguma coisa em troca de alguma forma. Iludidos ou não, mas cabe ao povo reverter a situação, se é que ainda há como isso ser feito.

    ResponderExcluir
  5. Anônimo1:19 AM

    bem vinda ao nosso mundo...

    ResponderExcluir