sexta-feira, outubro 13, 2006

1

Quem cala, consente
Como posso me calar
Diante deste mar de violência?
Homens matam por tão pouco
alegando que é pela sobrevivência

Como posso me calar
Quando vejo à minha volta tanta fome?
Como posso consentir com algo que revolta e me consome?

Como posso me calar?
Vendo jovens se drogando nas esquinas
E turistas procurando
Prostitutas que não passam de meninas

Como posso me calar?
Se a justiça que era cega faz acepção
e a impunidade é o combustível da corrupção

Como posso me calar?
Quando gente inocente sofre com o terror
Atentados terroristas espalhando a insegurança e o desamor

Como posso me calar?
Se meus olhos não enxergam a bonança
E todos a uma só voz falando o tempo todo de vingança
Pra quê vingança? Eu só quero bonança!

O que fazer pra mudar esta realidade?
Resta dizer quem trará Paz à Cidade
Quem é capaz de dar trégua a esta guerra,
Trazendo a paz às nações de toda a terra?
Jesus é o Príncipe da Paz
Paz: Só Jesus traz!
Autor: Hermes C. Fernandes

Um comentário:

  1. Muito bom o poema...Um tom extremamente reflexivo. Chega ser angustiante perceber tanta falta de paz,justiça social e amor nesse mundo, jesus é o princípe da paz só Ele com sua ação transformadora em nossas vidas para mudar essa situação!

    "Como Posso me Calar?"

    Resp:Eu não posso me calar!!!

    Deus o abençoe bispo Hermes!

    ResponderExcluir